O MESSIAS NA BÍBLIA

Quanto ao nascimento de Jesus, lemos na Bíblia, no Evangelho de São Lucas, foi assim:

“…O anjo GABRIEL foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um varão chamado José, da família de Davi; e o nome da virgem era MARIA. Entrando onde ela estava, disse-lhe: Alegra-te, CHEIA DE GRAÇA, o Senhor está contigo! Ela ficou intrigada com esta palavra e pôs-se a pensar qual seria o significado da saudação.

O anjo, porém, acrescentou:

NÃO TENHAS MEDO, MARIA! Encontraste graça junto de Deus. EIS QUE CONCEBERÁS e darás à luz um filho, e o chamarás com o nome de JESUS. Ele será grande, será chamado FILHO DO ALTÍSSIMO, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai; ele REINARÁ na casa de Jacó PARA SEMPRE, e o seu reinado NÃO TERÁ FIM. Maria, porém, disse ao Anjo: Como é que vai ser isso, se eu não conheço homem algum? O anjo respondeu: O ESPÍRITO SANTO virá sobre ti e O PODER DO ALTÍSSIMO vai te cobrir com a sua sombra; por isso o Santo que nascer será chamado FILHO DE DEUS…”
(Lc 1, 26-35).

“…Naqueles dias apareceu um edito de César Augusto, ordenando o recenseamento de todo o mundo habitado… Também JOSÉ subiu da cidade de Nazaré, na Galiléia, para a Judéia, à cidade de Davi, chamada BELÉM, por ser da casa e da familia de Davi, para se inscrever com MARIA, sua mulher, que estava grávida. Enquanto lá estavam, completaram-se os dias para o parto, e ela deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-o com faixas e reclinou-o numa mangedoura, porque não havia um lugar para eles na sala… Quando se completaram os oito dias para a circuncisão do menino, foi-lhe dado o nome de Jesus, conforme o chamou o Anjo, antes de ser concebido.”
( Lc 2, 1 . 4-7 . 21).

Observando bem os capítulos anteriores, sobre as profecias relativas ao Messias, vemos que OS PROFETAS falam com grande precisão sobre O MESSIAS. O profeta MIQUÉIAS diz que de BET-LEHEM (BELÉM) sairá aquele que deve governar Israel, e revela:

“…REMONTAM À ANTIGUIDADE AS SUAS ORIGENS, aos dias de antanho…” — “…GRANDE ELE SERÁ, até os confins da terra.”

O Profeta ISAIAS fala claramente:

“… Um ramo que sairá da cepa de Jessé, um rebento que brotará de suas raizes… O NOSSO DEUS, ELE MESMO vem salvar-nos.”

Fala também do SINAL que será dado: “… A VIRGEM está grávida e dá à luz um filho.”

E proclama o seu nome: “DEUS FORTE, Pai para sempre, Príncipe da paz…”

E a profecia sobre O SERVO, que lemos em Isaias, RETRATA FIELMENTE, com antecedência de alguns séculos a. C, a PAIXÃO E MORTE DE JESUS CRISTO, prevendo que seria desprezado, homem de dores… mas depois SERIA ENALTECIDO, ELEVADO E EXALTADO grandemente.

José, da DESCENDÊNCIA DE DAVÍ, é o pai de Jesus, PELA LEI, porque é esposo de Maria. Sendo PAI ADOTIVO transmite, LEGALMENTE, a sua linhagem da casa de Davi a Jesus. Eis o modo pelo qual JESUS CRISTO, filho de uma virgem, FILHO DE DEUS, foi, pela Lei, FILHO DE DAVÍ, por parte de seu pai adotivo José.

E pela genealogia Santo Ireneu confirma que A VIRGEM MARIA, mãe de Jesus, É DESCENDENTE DE DAVÍ. Assim Jesus tem, também, uma DESCENDÊNCIA CARNAL DE DAVÍ, pelo lado da sua mãe, Maria.

Em outras passagens da Bíblia (nos Profetas, nos Salmos), encontramos muitas citações e profecias sobre o Messias, que “desembocam” perfeitamente em Jesus, as quais não enumeramos aqui para não nos alongarmos, pois podem ser lidas, na Bíblia, por qualquer pessoa que desejar conhecer mais sobre o assunto. Também o próprio JESUS, RESSUSCITADO, confirma aos apóstolos, que os profetas falam dele. Jesus diz:

“Eis as palavras que eu vos dirigi quando ainda estava convosco: é preciso que se cumpra o que foi escrito sobre MIM na LEI DE MOISÉS, NOS PROFÉTAS E NOS SALMOS”.
(Lc 24, 44).

Pois JESUS SABE que muitos não querem compreender e aceitar a verdade, de que ELE É O MESSIAS. Fato que vem confirmar as palavras do profeta Isaias, ditas séculos antes:

“Ele (o Senhor) disse:
Vai, dirás a esse povo: Com os ouvidos, ouvi, MAS NÃO COMPREENDEREIS; Com os olhos, olhai, MAS NÃO CONHECEREIS.”
(Is 6, 9).

Desde a sua infância, JESUS TEM CONSCIÊNCIA da sua origem, O FILHO DE DEUS, conforme nos ensina o Evangelho de São Lucas, quando diz:

“QUANTO AO MENINO (JESUS), ele crescia e se fortalecia, cheio de sabedoria, e o favor de Deus estava com ele. …QUANDO ELE FEZ DOZE ANOS, tendo eles subido para lá (Jerusalém), segundo o costume da festa, e quando no fim dos dias de festa eles voltaram, o menino Jesus ficou em Jerusalém sem que os seus pais se apercebessem… Foi no fim de tres dias que o encontraram no Templo, sentado em meio aos mestres, ouvindo-os e interrogando-os. TODOS QUE O OUVIAM SE EXTASIAVAM com a inteligência das suas respostas. Vendo-o… sua mãe lhe disse: Meu filho… o teu pai e eu te procurávamos cheios de angústia. Ele lhes disse: Por que me procuráveis? Não sabíeis que DEVO ESTAR JUNTO DE MEU PAI ?”
(Lc 2, 40-49).

Naqueles dias, indo Jesus a Nazaré, onde foi criado, ENTROU NA SINAGOGA em um sábado, como era o costume, e levantou-se PARA FAZER A LEITURA. Deram-lhe o livro do profeta Isaias e, desenrolando-o, leu a seguinte passagem:

“O ESPÍRITO DO SENHOR ESTÁ SOBRE MIM, porque me conferiu a unção para anunciar a boa nova aos pobres… Depois, enrolou o livro… e começou a dizer: HOJE REALIZOU-SE ESSA ESCRITURA que acabastes de ouvir…”
( Lc 4, 18-21).

Assim, JESUS MOSTRA que além da consciência que tem da sua origem, FILHO DE DEUS, tem plena consciência, tambem, da sua missão: UNGIDO para ANUNCIAR A PALAVRA DO PAI. Mas, muitos não acreditam.

Também em outras ocasiões, é facil verificar a INCREDULIDADE DOS JUDEUS COM RELAÇÃO A JESUS. Por exemplo, no trecho em que São João diz, no seu Evangelho:

“Alguns de Jerusalém diziam: Não é a este que eles queriam matar? Ei-lo que fala abertamente e ninguém lhe diz nada. Teriam reconhecido as nossas autoridades que ele é verdadeiramente o Cristo (o Messias)? Entretanto, ESTE nós sabemos de onde é, ao passo que QUANDO VIER O CRISTO, NINGUÉM SABERÁ DE ONDE ELE É…”
(Jo 7, 25-27).

NO LIMIAR DA ERA CRISTÃ, existia na consciencia judáica uma esperança, quase mesmo uma convicção, de que DEUS IRIA ESTABELECER A SUA JUSTIÇA, ENVIANDO O SEU MESSIAS.

Conforme ACREDITAVAM, quando viesse o Messias chegaria de repente, NINGUÉM SABERIA de onde ele vinha! O MESSIAS, como era imaginado pelo povo judeu, viria com poder dos exércitos. Surgiria sem que ninguém soubesse de onde, viria RESTAURAR O REINO DE ISRAEL, exterminar o jugo do império estrangeiro e restabelecer a hegemonia de Israel sobre as nações.

Não reconheceram NAS ESCRITURAS, O MESSIAS HUMILDE QUE HAVERIA DE VIR. Assim, QUANDO VEM JESUS, na sua pobreza e humildade, aquele homem simples, filho de um carpinteiro, nascido de mulher, sem nenhuma marca aparente de poder, que muitos conheciam, o povo judeu não acredita que ele POSSA SER O MESSIAS que esperam. A incredulidade, mais uma vez, mostra-se presente nos judeus, quando Jesus andava pelo Templo, sob o pórtico de Salomão, na festa da Dedicação, e eles o rodearam.

“Os judeus, outra vez, apanharam pedras para lapidá-lo. Jesus, então, lhes disse: Eu vos mostrei inúmeras boas obras, vindo do Pai. Por qual delas quereis lapidar-me? Os judeus lhe responderam: Não te lapidamos por causa de uma boa obra, mas por blasfêmia, porque, sendo apenas homem, tu te fazes Deus.”
(Jo 10, 31-33).

Quando JESUS, RESSUSCITADO, apareceu aos apóstolos, TOMÉ não estava presente.

Depois os outros lhe contaram QUE VIRAM JESUS RESSUSCITADO, mas ele NÃO ACREDITOU.

Ele, que conviveu com Jesus, que ouvira muitas vezes as palavras de Jesus, não acreditou que tivesse ressuscitado. Posteriormente, em outra vez, quando os apóstolos estavam de novo reunidos, e Tomé com eles, Jesus de novo lhes apareceu. Então TOMÉ VIU as suas chagas, ACREDITOU e disse: “MEU SENHOR E MEU DEUS”.

Jesus lhe diz:

“Porque viste, creste. FELIZES OS QUE NÃO VIRAM E CRERAM”.
(Jo 20, 29).

Marcado com:
Publicado em Cristologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
janeiro 2012
D S T Q Q S S
« dez   fev »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  
Visitantes
  • 4.328.396 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: