Abraão

Grandes homens fizeram a história de muitos povos. Pelo amor a seu país,pela dedica- ção à causa da justiça, pelo que realizaram em proveito de todas as pessoas, tornaram se heróis do povo e personagens inesquecíveis. Na história do povo de Deus acontece a mesma coisa.

O livro do Êxodo fala da vocação e missão de um homem que soube realizar com fidelidade o projeto de Deus: Abraão. Deus precisava de uns amigos fiéis para trazer novamente a benção (= felicidade) aos homens que tinham se afastado dele. O primeiro amigo que respondeu a este chamado foi Abraão. Com ele começa a história de um novo povo do qual nasceria o Salvador. Com Abraão começa a História da Salvação, i.é, Deus e os “homens de boa vontade” caminham nova- mente juntos para viver a justiça e amizade e reconstruir a fraternidade.

Vamos conhecer as etapas fundamentais da vida de Abraão e aprender dele o jeito certo para responder ao chamado de Deus e viver com alegria a nossa fé.

A vocação de Abraão (Gn. 12, 1 – 9)

Abraão e sua esposa viviam na cidade de Ur. A vida toda trabalharam para conseguir uma terra para cultivar. Este era o maior desejo deles. Abraão era um homem de fé: sabia escutar a voz de Deus na sua vida e na sua consciência. Um dia, Deus disse a Abraão: “Sai de tua pátria, com tua família e vai para a terra que eu te mostrar. Farei de ti um povo muito grande”.

Abrão confiou na Palavra de Deus: deixou sua terra e seus parentes e, junto com sua família, partiu em direção da “terra prometida”.

Promessa de Deus a Abraão (Gn. 12, 2 – 3)

Quem confia no chamado de Deus, nunca fica desamparado. Abrão confiou e os seus descendentes receberam de Deus o prêmio merecido: a terra com muita fartura, um povo numeroso como as estrelas do céu e a proteção eterna de Deus.

Não foi fácil para Abrão acreditar na promessa de Javé. Sara não tinham mais condição de ter um filho: os dois já eram velhos (Gn. 18, 11 – 12). Mesmo assim Abrão não quis duvidar da promessa divina (Gn. 18,10). Quando nasce Isaac, o filho da promessa, Abraão constata que Deus é sempre fiel naquilo que promete!

Para Deus nada é impossível!

A fé transforma e converte a vida (Gn. 12, 10 – 20)

Nem tudo foi fácil na vida de Abrão. Além disso Abrão não era perfeito. Ele havia respondido SIM ao chamado de Deus, mas precisava ainda mudar muitas coisas erradas em sua vida. Isso nos ensina que ninguém nasce santo. Todos nós nos tornamos “santos” (i.é, amigos íntimos de Deus), na medida que procuramos viver com retidão a Palavra revelada por Deus e realizar com fidelidade à nossa vocação cristã. Santidade é uma conquista de todos os dias, procurando viver bem na família, na escola, em todo lugar!

Deus faz Aliança com Abraão (Gn. 15, 12 – 21)

Aliança significa “acordo, compromisso”. Através disso, duas pessoas fortalecem sua amizade e se obrigam a um compromisso recíproco. Deus também fez uma Aliança com Abrão: a partir daquele dia, Deus nunca se esqueceria do seu amigo Abrão e de seus descendentes. Em troca, Abrão jurava fidelidade ao Deus único e verdadeiro, Criador de todas as coisas!

Esta Aliança continua até hoje. Deus renova sua Aliança com os homens, no sacrifício da Santa Missa. Jesus Cristo, com sua morte e Ressurreição, garante a presença de Deus em nossa vida.

Deus muda o nome de Abrão (Gn. 17, 1 – 8)

Para o povo hebreu o nome era muito importante. O nome identificava a pessoa toda e somente aquela pessoa. Quando Deus muda o nome de uma pessoa, significa que ela é revestida de uma missão muito importante. A partir daquele momento, aquela pessoa passa a viver somente ao serviço de Deus.

A prova de fogo (Gn. 22, 1 – 12)

Abraão e Sara, em idade já avançada, deram a luz um filho: Isaac. Este filho era a certeza de que a Palavra de Deus estava cumprida. Mas Deus queria experimentar, ainda uma vez, a fé do seu amigo Abraão. Pediu-lhe que sacrificasse a vida de Isaac sobre um altar. Abraão, mesmo sem entender, aceitou a ordem. Constatada a fidelidade e obediência de Abraão, Deus salva a vida de Isaac.

Muitas vezes, nós também, não entendemos os planos de Deus em nossa vida. Ele quer nos experimentar, mas no fim é sempre a Vida e a felicidade que Deus quer para sua criatura. Abraão é o modelo do homem de fé e obediente à Palavra de Deus. É assim que devemos viver nossa vocação cristã e caminhar sempre à presença do Altíssimo!

Os descendentes de Abraão

Abraão e Sara, em idade bem avançada, foram abençoados com um filho. O povo contava muitas histórias sobre Isaac. Uma delas, talvez a mais bonita referia-se ao seu casamento. Vamos ler com atenção esta narração no livro do Gênesis (cap. 24).

Abraão já era muito velho e queria que Isaac casasse com uma moça que pertencesse ao seu povo. Um belo dia mandou o servo Eliezer procurar uma noiva para o filho. Eliezer chegou perto de um poço, à tardinha.

Era a hora em que as mulheres iam buscar água no poço. O servo de Abraão pediu água para si e seus camelos. Uma moça jovem e bonita, Rebeca, logo se prontificou oferecendo-lhe o jarro com água. Eliezer, grato por este gesto de carinho. quis conhecer os pais da moça. Foi ai que descobriu que pertencia ao mesmo povo de Abraão, o povo hebreu, o Povo da Promessa.

O servo ficou feliz e ofereceu a Rebeca muitos presentes. Em seguida pediu que Rebeca aceitasse casar-se com Isaac. O pai dela concordou e a jovem deixou sua casa para casar-se com o filho de Abraão. Os dois viveram muitos anos felizes, abençoados por Deus.

Quando há amor e respeito na família, Deus sempre está presente naquele lar!

Vários anos depois, Rebeca deu à luz a dois gêmeos. O primeiro a nascer foi Esaú, que quer dizer “ruivo”. Era um menino meio avermelhado e cabeludo. Cresceu forte, valente e brincalhão. Sabia caçar muito bem.

O outro filho era um menino mais fraco e com poucos cabelos: chamava-se Jacó. O pai Isaac gostava mais de Esaú, porque era forte e corajoso. A mãe, pelo contrário, preferia Jacó.

Conforme o costume do povo hebreu, o filho mais velho tinha direito à maior parte da herança do pai. Além disso, o mais velho herdava a benção de Deus, i.é., a proteção de Javé. Ao fazer isso se comprometia em continuar a missão pai: construir um grande povo.

Esaú, portanto, era o candidato natural para ganhar a benção e os bens do pai.

Um belo dia Esaú voltou faminto do campo. Jacó estava acabando de preparar um prato de lentilhas muito gostoso. Esaú pediu ao irmão aquele prato de comida para matar sua fome. Jacó lhe deu o prato, mas em troca pediu que lhe entregasse o direito à herança. Esaú, quase por brincadeira, aceitou. A partir daquele momento, Jacó se tornava herdeiro da benção de Deus e dos bens do pai Isaac.

Com a ajuda da mãe Rebeca, Jacó conseguiu que o pai o abençoasse e, daí para frente, ele se tornava o grande Amigo de Deus, aquele que devia continuar a obra de Abraão.

O cap. 27 do livro do Gênesis nos mostra como Jacó foi abençoado.

Mas a Bíblia conhece muitas outras histórias a respeito de Jacó.

Conta-se que um dia Jacó teve um sonho. Ele sonhou com uma escada que subia até o céu. Pela escada iam os anjos de Deus e o mesmo Deus estava de pé diante de Jacó.

O Senhor Deus falou a Jacó: “Eu estarei sempre contigo e te abençoarei”.

Jacó construiu ai um santuário para agradecer ao Senhor (Gn. 28, 12 – 15).

Outra vez Jacó foi atacado, no meio da noite, por um homem, enquanto estava atravessando um rio. Os dois lutaram até de madrugada (Gn. 32, 25 – 26).

Ao raiar do sol, o misterioso homem se revelou: era o anjo de Deus. O anjo falou: “De hoje em diante não te chamarás mais Jacó e sim Israel, porque lutaste com Deus”.

E Deus abençoou o seu amigo Israel. dando-lhe fartura e prosperidade. Jacó casou com Raquel e tiveram doze filhos, que deram origem às doze tribos do povo hebreu. Deus estava cumprindo a promessa feita a Abraão: “um povo numeroso como as estrelas do céu”.

O cristão autêntico luta todos os dias com Deus, procurando entender os desígnios do Criador, com fé viva e a prática da justiça. Mesmo nas horas da dor e do sofrimento, não desanima, mas confia e ora ao Pai!

Todas essas histórias ensinam a viver sempre a Palavra de Deus e a ficar unidos ao novo povo que é a Igreja, para podermos experimentar o amor de Deus em nossa vida e realizar a verdadeira felicidade.

Marcado com: ,
Publicado em Bíblia, Curso Bíblico
Um comentário em “Abraão
  1. Nubia disse:

    Muito bom me ajudou a conhecer a historis de Abraão e sua descendencia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
fevereiro 2012
D S T Q Q S S
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829  
Visitantes
  • 4.798.181 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: