Imagens

A imagem sempre foi importante na História das Civilizações e do Universo.

Sem a imagem tudo seria escuro e as pessoas se comunicariam apenas por som.

O dicionário mais famoso do Brasil, popularmente conhecido como “Aurélio”, define “imagem” como: representação de um objeto pelo desenho, pintura, escultura, etc. Define também como reprodução no espírito de uma sensação, na ausência da causa que a reproduziu.

Diz além, imagem é uma pequena estampa que representa um assunto religioso; símbolo, figura, comparação; semelhança; reflexo de um objeto na água ou num espelho; reprodução na memória.

Hoje a imagem faz parte do cotidiano das pessoas. Constantemente recebemos imagens do mundo através da televisão, da Internet, de jornais e revistas impressos. Falar contra a imagem é querer regredir no tempo e negar os avanços tecnológicos que devem ser usados para o bem das nações. Deus nunca foi contra a imagem e, por isso, fez o homem à sua imagem (Gn 1, 26).

O homem e a mulher são imagens de Deus.

O próprio Deus pediu a Moisés que fizesse a Arca da Aliança, imagem da presença do Criador junto às suas criaturas (Ex 25, 10-22). Moisés, a pedido de Deus, fez uma serpente de bronze e a colocou em um mastro, se alguém era mordido por uma serpente, deveria contemplar a serpente de bronze e viver. (Nm 21, 9)

A imagem da serpente fazia lembrar o povo de que Deus cura e não o permite morrer.

A imagem faz lembrar, não deixa esquecer. A imagem é importante para a humanidade.

A imagem traduz sentimentos, acontecimentos.

A imagem é a expressão da cultura e da História de um povo.

Destruíssem todas as obras de arte, que nada mais são que imagens, e o mundo se empobreceria. Acabassem as imagens e desaparecessem a televisão, a fotografia, o cinema, o teatro, as revistas, os livros e a humanidade não pudesse ler a Bíblia, pois as letras nela contidas também são imagens da Palavra de Deus. Destruíssem os espelhos e proibissem a água de refletir.

O que seria da humanidade sem a imagem?

Mas você deve estar pensando em (Ex 20, 4) que diz: “Não farás para ti imagem esculpida de nada que se assemelhe ao que existe lá em cima, nos céus, ou embaixo na terra, ou nas águas que estão debaixo da
terra.”

Não podemos tirar a Palavra de Deus do seu contexto, pois dessa forma a estaríamos mutilando. No salmo 53 está escrito:

“Deus não existe” (Sl 53, 2).

Você ficaria com esta afirmação se não lesse o versículo inteiro:

“Deus não existe! Diz o insensato”.

Portanto leia os versículos de 1 a 7 do capítulo 20 do Livro do Êxodo. Lembre-se de que o povo fizera uma estátua de um bezerro para substituir Deus. O bezerro era a imagem de um deus pagão. Muitos deuses pagãos eram representados com figuras de animais, pessoas, monstros e outros. Além disso, os pagãos tinham aquelas imagens como se elas fossem o próprio deus. Portanto, a ordem de Deus Criador era para o seu povo não O substituir por um outro deus. Não adorasse e nem colocasse sua esperança em um deus pagão, mas somente confiasse Nele, o mesmo que o tirou da escravidão do Egito. Será que você pensa que os católicos substituem Deus por imagens de Santos?

Os católicos não fazem isso.

Eles têm a imagem como fotografia de pessoas queridas. A imagem não deixa esquecer a História nem o testemunho daqueles que foram fiéis a Deus. Muitos Santos são mártires, foram assassinados por não traírem sua fé, por se negarem a cultuar um falso deus.

A imagem do Santo é uma representação da fé em Jesus e uma seta que nos aponta o caminho da santidade. A imagem nos lembra que, como aquele, devemos permanecer firmes no caminho do Senhor Jesus.

A cruz é a imagem da morte e ressurreição de Jesus. Jesus morreu na cruz e ressuscitou. Mas você não lê somente a parte dos Evangelhos que narram a ressurreição, você lê também os seus ensinamentos e milagres. Outros símbolos também não nos deixam esquecer Jesus.

A cruz é a imagem da morte e ressurreição de Jesus. Jesus morreu na cruz e ressuscitou. Mas você não lê somente a parte dos Evangelhos que narram a ressurreição, você lê também os seus ensinamentos e milagres. Outros símbolos também não nos deixam esquecer Jesus.

Os primeiros cristãos usavam a imagem de um peixe para identificar os seguidores do Senhor. Eles não podem ser acusados de idólatras por isso.

 

Marcado com:
Publicado em Angeologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
outubro 2012
D S T Q Q S S
« set   nov »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Visitantes
  • 4.328.396 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: