RSS

Tristes reflexões do “catolicismo” atual

18 jan

1 – “catolicismo” que não fala mais sobre o Purgatório porque os protestantes não acreditam nele, e dizem que isso não consta das Escrituras;

2 – “catolicismo”, que deixou de falar no céu e na eternidade em Deus, porque decidiu lutar pelo mundo que morre e pela vida que acaba, quando nossa morada não é aqui!

3 – “catolicismo”, que deixou de falar no inferno, pregando a falsa tese de que “Deus não pode ser tão cruel ao ponto de condenar alguém”, quando cada um se condena.

4 – “catolicismo”, que deixou de alertar contra o demônio e os espíritos caídos, abrindo assim largos espaços para a sua ação sorrateira, maligna e destruidora;

5 – “catolicismo”, que deixou de combater o pecado, porque julga algo intrínseco de natureza humana, e já não
fala mais em pecados porque está cheia deles;

6 – “catolicismo”, que derruba os sacrários, escondendo o Santíssimo e Rei em cantos escuros e fazendo
Dele um pária, como alguém do qual se tem vergonha;

7 – “catolicismo”, que para dizer-se pobre despe o sagrado, abandona os paramentos, banaliza os objetos
sacros, e troca os antigos cálices de ouro pelos tocos de pau;

8 – “catolicismo”, que despe os templos das imagens dos seus santos, os vencedores do inferno, porque os crentes não gostam de imagens e os judeus as criticam;

9 – “catolicismo”, que retira dos templos os genuflexórios para que o povo não mais se ajoelhe e adore na Consagração, porque dizem que a sentinela deve estar de pé;

10 – “catolicismo”, que eliminou os confessionários com grades de seus templos, porque resolveu declarar que o pecado não existe, e confissão é coisa de antigamente;

11 – “catolicismo”, que foge da oração e luta a pleno vapor contra o Terço, especialmente contra o
Rosário de Maria, porque dizem ser oração repetitiva e que Deus não é surdo;

12 – “catolicismo”, que para agradar gregos e troianos, ateus e atoas, seitas e adoradores de falsos deuses se despe da verdade ao ponto de negar seus dogmas;

13 – “catolicismo”, que ao invés de lutar por tesouros no Céu, onde a traça não rói nem o ladrão rouba, busca os tesouros terrenos, mais fáceis, mas que morrerão aqui;

14 – “catolicismo”, que deixou de aplicar as indulgências, porque os filhos de Lutero não gostam delas, e dizem que isso é negociar com Deus, perdendo assim tantos tesouros;

15 – “catolicismo”, que banalizou todos os Sacramentos, alguns deles pior aplicados do que o fazem os
crentes, que os tem por míseros sinais, e não caminhos de salvação;

16 – “catolicismo”, que fugindo da Justiça prega deus apenas misericórdia, achando que assim o braço divino não os alcançará no momento oportuno;

17 – “catolicismo”, que fugindo da Cruz não percebe mais que a Cruz é a escada para o Céu, enquanto a porta larga do mundo é o alçapão do inferno;

18 – “catolicismo”, que foge da verdade e em nome de uma falsa união dos credos aceita despir-se do
sagrado e vestir o profano, quando isso é ecumenismo falso e ruinoso;

19 – “catolicismo”, que ao invés de doutrinar para a vida sacramental, prefere a ecologia trocando a salvação das almas pela dos micos, da tartaruga e do urso panda;

20 – “catolicismo”, que ao invés de doutrinar para o dizimo consciente, prefere construir seus templos e tocar suas obras, com bingos, bailes e festas com venda bebida;

21 – “catolicismo”, que ao invés de promover uma boa catequese, desde a mais tenra infância até a velhice, prefere que outros ensinem a doutrina eclética das escolas;

22- “catolicismo”, que não conseguindo combater o diabo, inimigo de nossas almas, se alia a ele aceitando confabular em termos de fé com espíritas, maçons e macumbeiros;

23 – “catolicismo”, que não conseguindo deter a fuga dos católicos para as seitas, não os vai buscar, pois que são ovelhas desgarradas, como pede o Bom Pastor.

24 – “catolicismo”, que perdendo inúmeras ovelhas para outros redis prefere dormir em cama fofa, dizendo que Deus não quer quantidade, mas qualidade, quando quer todas.

25 – “catolicismo”, que capitulou ante a pedofilia e o homossexualismo de poucos maus padres, e não tratou de imediatamente cortar o mal, antes tentou esconde-lo!

26- “catolicismo”, que vendo a ausência quase completa de vocações e a demolição dos seminários acha desculpas mil, menos na má teologia que os infestam;

27 – “catolicismo”, que não mais reza e diz que “rezar uma Ave Maria basta”, quando de fato não reza mais nenhuma, pois odeia a oração, que tem por tempo perdido;

28 – “catolicismo”, que mesmo vendo a infinita profusão de milagres que Deus realiza nela e por ela,
parece envergonhar-se de seus tesouros e os esconde;

29 – “catolicismo”, que tendo mais de três mil corpos incorruptos quando outros credos não têm um
só, prefere calar-se alegando prudência, quando é prova de vergonha;

30 – “catolicismo”, que vendo a Mãe de Deus neste esforço tentando alertar seus filhos para a Justiça iminente prefere matar os profetas e apedrejar os que Deus nos envia;

31 – “catolicismo”, que deixou de estudar as realidades da alma humana, preferindo sempre o comodismo e a facilidade, a explicação escapista, confusa e insatisfatória;

32 – “catolicismo”, que deixou de falar no fim dos tempos, nada mais que o último tempo da redenção, deixando o rebanho à deriva, o que significa ser noiva imprudente;

33 – “catolicismo”, que deixou de seguir os passos de Cristo, do caminho da cruz e da mortificação,
preferindo o bom vinho, a boa casa, o carro do ano, a boa vida;

34- “catolicismo”, que fala em “pobres, excluídos e marginalizados” das benesses da vida, mas vive exatamente o oposto, faças o que eu mando não o que eu faço;

35 – “catolicismo”, que mesmo vendo o Brasil caminhar para o abismo das leis do mal e contra a vida, esconde-se medrosa, quando unida poderia mudar o destino da nação.

36 – “catolicismo”, que mesmo depois de ter ajudado a eleger este governo corrupto, e podre agora não tem coragem de voltar atrás e pedir desculpas ao povo pelo seu erro;

37 – “catolicismo”, que não mais combate a moda indecente, nem mais impôs limites morais para seu povo, levando-o a esta assombrosa ignorância religiosa;

38- “catolicismo”, que ao invés de cravar os joelhos no chão implorando ao Deus das soluções, prefere escudar-se atrás deste exército de pastorais inócuas e antagônicas;

39 – “catolicismo”, que mesmo sabendo-se dividida, não busca a reconciliação, para que caminhe na
unidade tão pedida e mesmo implorada por Jesus;

40- “catolicismo”, que fugiu de estudar seriamente o Apocalipse, preferindo a palavras tolas do “isso
já passou”, ou aquela “será daqui a mil anos”, quando acontece agora;

41 – “catolicismo”, que fugindo da oração permitiu ao inimigo infiltrar-se dentro de suas hostes, de onde promove a intriga, a falsa doutrina, a divisão e a destruição;

42 – “catolicismo”, que permitiu aos hereges modernistas alterar os textos do Vaticano II, de onde se originou grande parte do martírio e atual calvário da Igreja;

43- “catolicismo”, que em grande parte deixa Sua Santidade o Papa Bento XVI apanhar sozinho desta mídia mentirosa, sem sair de forma unânime e valente em sua defesa;

44- “catolicismo”, mas que de forma arrogante imagina criar uma igreja sem Pedro, não se dando conta de que quem se bater contra tal rocha será esmagado;

45- “catolicismo”, que por medo e vergonha de reconhecer seus erros na condução do povo de Deus, insiste em botar remendos novos em roupa velha, contrariando Jesus;

46- “catolicismo”, que ao invés de enfrentar os inimigos com galhardia, denodo e ardor escuda-se atrás
de algumas cartinhas escapistas, lambuzadas de pseudo-verdades;

47 – “catolicismo”, que ao invés de usar os púlpitos para pregar as verdades eternas, faz deles palanques políticos onde defende o comunismo da falsa teologia da libertação;

48 – “catolicismo”, que ao invés de calar os hereges e combater as seitas, prefere bater firme em quem reza, e fazer calar quem alerta contra os perigos que a rondam;

49 – “catolicismo”, que ao invés de combater os falsos teólogos e suas doutrinas de perdição, prefere combater os adoradores, os que rezam e que vivem a verdade;

50- “catolicismo”, acima de tudo, porque se fia orgulhosamente na palavra de Jesus “o inferno não prevalecerá contra ela”, exatamente quando trabalha para destruí-la.

51- “catolicismo”, que foge do Céu e se afunda na terra, preferindo o imediatismo das obras aparentes em
detrimento das obras de eternidade.

52- “catolicismo”, que tem medo de combater as sociedades secretas, em parte porque age em conluio com elas, noutra porque elas financiam suas obras.

53- “catolicismo”, porque prefere a comodidade fútil e as facilidades da porta larga, quando é exatamente esta a que leva a perdição das almas.

54- “catolicismo”, que com medo de combater as seitas de perdição prefere aliar-se a elas, nivelando a única e santa Igreja de Cristo, com as falsas igrejas dos homens.

55- “catolicismo”, daqueles que a preferem abater, diminuir e submeter aos caprichos de outros credos, ao invés de sustentar a verdade nem que seja ao preço da vida.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/01/2013 em Catolicismo

 

Tags:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: