RSS

A Proibição Divina da Evocação da dos mortos

10 fev

 

Dom Boaventura Kloppenburg (Klo90) assim explica: “A evocação ou a manifestação provocada das almas dos falecidos, que são os ‘espíritos’ do espiritismo, especifica, caracteriza e define o movimento suscitado por Allan Kardec. Sem evocação não há espiritismo. A evocação é a base da doutrina codificada por Allan Kardec. Entretanto, a evocação não foi inventada por Allan Kardec. A sua prática já era conhecida nos tempos do antigo testamento. As gentes no meio das quais vivia o povo judeu a conheciam e praticavam abundantemente. Mas o próprio Deus proibiu então severamente a evocação”. Assim, vejamos alguns textos bíblicos do A.T.:

Levítico 20, 2-3.6-8:

Ver. 2 – “Todo o que dentre os filhos de Israel, ou dentre os estrangeiros admitidos como hóspedes em Israel, der a Moloc um de seus descendentes será condenado à morte: o povo do país o apedrejará.
Ver. 3 – E eu me voltarei contra tal homem e o eliminarei do meio de seu povo, porque entregou um de seus descendentes a Moloc, contaminando meu santuário e profanando meu santo nome.
Ver. 6 – Se alguém se dirigir àqueles que evocam os espíritos e aos adivinhos para se prostituir com eles, eu me voltarei contra essa pessoa e a eliminarei do meio de seu povo.
Ver. 7 – Vós vos santificareis e sereis santos, porque eu sou Javé, vosso Deus.
Ver. 8 – Observareis minhas leis e as praticareis, pois eu sou Javé que vos santifica.

Levítico 20, 23.26-27:

Ver. 23 -Não seguireis os costumes das nações que eu vou expulsar de diante de vós; porque elas fizeram todas estas coisas e eu lhes tenho horror.
Ver. 26 -Sereis santos para mim, porque eu, Javé, sou santo, e eu vos tenho separado dos povos, a fim de que sejais meus.
Ver. 27 – Todo homem ou mulher que evocar os espíritos ou se der à adivinhação será condenado à morte: seu sangue recairá sobre eles.

Deuteronômio 18, 9-14:

Ver. 9 – Quando entrares no país que Javé, teu Deus, te der, não aprenderás a cometer as abominações daquelas nações.
Ver. 10 – Não se achará, entre ti, quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, quem se entregue à adivinhação, à astrologia, às feitiçarias e à magia
Ver. 11 – Quem recorra aos encantamentos, interrogue espectros e os espíritos e quem invoque os mortos.
Ver. 12 – Porque todo homem que pratica estas coisas é abominável para Javé, e é por causa dessas abominações que Javé, teu Deus, vai expulsar essas nações da tua presença.
Ver. 13 – Serás perfeito para com Javé, teu Deus.
Ver. 14 – Porque as nações que vais expulsar escutam astrólogos e adivinhos; mas Javé, teu Deus, não te permite isso.

Isaías 8, 19-20: Ver. 19 – Se vos disserem: ‘Consultai os espíritos do além e os adivinhos que cochicham e resmungam; um povo não deve acaso consultar seus Deuses e, para os vivos, consultar os mortos

Ver. 20 – para receber uma revelação e um testemunho?’ certamente é assim que se falará, porque não há aurora para ele.

Continua Dom boaventura Kloppenburg (klo90):

“A proibição Divina é clara, repetida, enérgica e severíssima. (…) Mas a Igreja por seu magistério oficial, nunca se pronunciou nem sobre a verdade histórica ou autenticidade, nem sobre a natureza, nem sobre a causa dos fenômenos mediúnicos ou próprios do Espiritismo. Por isso:

A. Nenhuma das várias interpretações propostas sobre a natureza ou a causa dos fenômenos mediúnicos – nem mesmo a interpretação espírita – foi censurada, rejeitada ou condenada pela Igreja;

B. Não corresponde à verdade dizer que a Igreja endossa oficialmente a interpretação que vê nos fenômenos mediúnicos uma intervenção preternatural do Diabo;

C. Jamais a Igreja proibiu o estudo ou a investigação científica dos fenômenos mediúnicos. O católico não está absolutamente proibido de estudar a metapsíquica ou a parapsicologia.

O que a Igreja faz, fez e continuará a fazer, por ser esta a sua missão específica, é recordar o mandamento divino que proibe evocar os falecidos ou outros espíritos quaisquer. Esta proibição vem de Deus, não da Igreja, que não tem nem autoridade nem competência para modificar ou revogar uma lei, determinação ou proibição divina”.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10/02/2013 em Espiritismo

 

Tags:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: