RSS

Os 33 erros multifacetados do Protestantismo

07 out

Para uma maior concisão de quem se chama a si mesmo “Cristão” sem ser católico ou ortodoxo, será agrupado com as milhares de seitas, sob o titulo de “Protestante”.
Muito deles prefeririam não ser chamados de “Protestante”, mas qualquer cristão não praticante na Igreja Católica está fazendo um protesto contra a única Igreja fundada por Jesus cristo, admitindo ou não.
A palavra “protesta” contém as primeiras 8 letras de “Protestante”.
Estou certo de que nem todas as seitas protestantes cabem nos moldes aqui citados; mas com as milhares de dezenas de seitas[*], é impossível desenvolver cada tema de acordo com que cada seita individualmente [crê] sem afetar o tamanho deste artigo.

1. O erro da opinião pessoal protestante

Porque existem atualmente mais de 35.000 diferentes seitas protestantes no mundo?

A resposta está na Sagrada Escritura:

“Não fareis nesse lugar o que nós fazemos hoje aqui, onde cada um faz o que bem lhe parece” (Deuteronomio 12,8).

Um versículo ignorado pelos protestantes, visto que fazem estas coisas.

“Naquele tempo não havia rei em Israel, e cada um fazia o que lhe parecia melhor” (Juízes 17,6; 21,25).

Este versículo é uma fotografia dos protestantes.

“Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura é de interpretação pessoal. Porque jamais uma profecia foi proferida por efeito de uma vontade humana. Homens inspirados pelo Espírito Santo falaram da parte de Deus” (2Pedro 1,20-21).

Ignorado pelos protestantes.

“Enviaram seus discípulos com os herodianos, que lhe disseram: Mestre, sabemos que és verdadeiro e ensinas o caminho de Deus EM TODA A VERDADE, sem te preocupares com ninguém, porque não olhas para a aparência dos homens” (Mateus 22,16; Marcos 12,14).

Ignorado pelos protestantes.

“Chegando ao território de Cesárea de Filipe, Jesus perguntou a seus discípulos: No dizer do povo, QUEM É O FILHO DO HOMEM? Responderam: Uns dizem que é João Batista; outros, Elias; outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes Jesus: E VÓS QUEM DIZEIS QUE EU SOU? Simão Pedro respondeu: Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo! Jesus então lhe disse: FELIZ ÉS, SIMÃO, FILHO DE JONAS, PORQUE NÃO FOI A CARNE NEM O SANGUE QUE TE REVELOU ISTO, MAS MEU PAI QUE ESTÁS NOS CÉUS. E EU TE DECLARO: TU ÉS PEDRO, E SOBRE ESTA PEDRA EDIFICAREI A MINHA IGREJA; AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO CONTRA ELA. EU TE DAREI AS CHAVES DO REINO DOS CÉUS: TUDO O QUE LIGARDES NA TERRA SERÁ LIGADO NOS CÉUS, E TUDO O QUE DESLIGARDES NA TERRA SERÁ DESLIGADO NOS CÉUS” (Mateus 16,13-19).

Os versículos anteriores são um exemplo primordial das opiniões pessoais em contraste com a verdade doutrinal.

Nos versículos acima, de 14 a 17, nenhum discípulo, exceto um, teve algo a dizer fora de suas opiniões pessoais (como vimos no vers. 14: “uns”, “outros” e no versículo 17 “carne e sangue”); TODOS ELES ESTAVAM EQUIVOCADOS exceto um: Simão Pedro.

Simão Pedro foi o único que recebeu esta revelação de Deus e, ao fazê-lo, foi o único que expressou a verdade, outorgada pela autoridade de Deus. Posto que Deus nunca muda, quem teria a ousadia de ser tão audaz e negar que Deus faz o mesmo hoje como fez antes, legando a Seu representante autorizado na terra, a totalidade da verdade doutrinal?

“Porque Deus há de ser reconhecido como veraz, e todo homem como mentiroso (…)” (Romanos 3,4).

Agora que sabemos o que diz a Sagrada Escritura, o que fazem os protestantes a respeito?

Dizem seguir a Escritura ao pé da letra e todo o Protestantismo está baseado somente em opiniões pessoais, não na verdade doutrinal. “Que se sinta bem é o que importa”, dizem eles. E aonde leva uma atitude como esta, senão a opiniões diferentes, disputas e, finalmente, a uma separação sem fim do Corpo de Cristo? Voltemos e revisemos os versículos anteriores.

Deus não se interessa por opiniões pessoais de ninguém, senão daqueles que falam a verdade de Sua Doutrina.

Os protestantes atacam a Igreja católica dizendo que NÃO SE NECESSITA DE UM PAPA. Pois bem, deveríamos primeiro observar seu próprio jardim, já que cada protestante atua como se fosse o próprio papa. Existem milhões de papas em todo o Protestantismo, e todos correm de um lugar para o outro, proclamando como verdadeira a sua opinião pessoal a respeito de sua interpretação da Sagrada Escritura. Realmente será correto que exista milhões de verdades? Tenho entendido que a Sagrada Escritura diz ter somente uma verdade.

Martinho Lutero, o fundador do Protestantismo, depois de haver observado o dano causado pela interpretação individual da Escritura em seu movimento, se lamentou dizendo o seguinte:

“Este não quer o batismo, aquele nega os sacramentos; há quem admita outro mundo entre este e o juízo final, quem ensina que Cristo não é Deus; uns dizem isto, outros aquilo, em breve serão tantas as seitas e tantas as religiões quantas são as cabeças” (Luthers M. In. Weimar, XVIII, 547 ; De Wett III, 61).

“Nenhum camponês é tão rude como quando sonha e fantasia que foi inspirado pelo Espírito Santo e deve ser profeta” (De Wette III, 61. dicho en O’Hare, Los hechos de Lutero, 208)

“Homens, cidadãos, camponeses, todos as classes entendem o Evangelho melhor que eu ou São Paulo; agora são sábios e se pensam mais inspirados que todos os ministros” (Walch XIV, 1360. dicho en O’Hare, Ibid, 209).

Então, o que fazer?

As Escrituras anunciam com vento em popa e instrui explicitamente sobre o que fazer e o que não fazer:

– DETENHA-SE “antes de tirar suas próprias conclusões”;

– DETENHA-SE antes de aceitar a mentalidade de que “se me sinto bem, então há de ser a verdade.”

– CUIDADO com a incessante e destrutiva interpretação individual da Sagrada Escritura, pois a mesma o proíbe.

– OBEDEÇA ao que a Sagrada Escritura te admoesta fazer.

Então como podem voltar a verdade doutrinal, como Deus ordena a todos?

A verdade é uma e é uma pessoa; só existe uma verdade. Para ter uma verdade, é necessário somente uma autoridade. A mesma e ÚNICA autoridade dada somente a Simão Pedro.

Por acaso, o Espírito Santo está sugerindo a milhões de protestantes, que interpretem a Escritura individualmente e com tantos pontos de vistas opostos?

Esta pergunta nos conduz ao seguinte tema: O ERRO DE QUE O “ESPÍRITO SANTO ME DISSE”.

* * *

2. O erro de que o “Espírito Santo me disse!”

Existem três “Espíritos” dos quais recebemos estímulos:

1. O Espírito Santo, Espírito da Verdade (1João 4,6).
2. O espírito humano, intríseco em cada um (1Tessalonicenses 5,23; Hebreus 4,12).
3. O demônio, espírito diabólico proveniente de Satanás, o espírito do erro (1João 4,6).

Toda a Sagrada Escritura foi escrita por pessoas inspiradas pelo Espírito Santo, razão por que a Bíblia é inerrante. Tem que ser visto que nos chegou por inspiração divina.

O Salmo 127,1 foi inspirado pelo Espírito Santo e diz que há somente uma Igreja, a única fundada pelo próprio Deus e os membros de qualquer outra, que não seja a verdadeira, trabalham em vão. Não lhes parece interessante que exista ensinamentos no Antigo Testamento que proclamam a nova do Novo Testamento? Efésios 4,1-6 repete o que diz em Salmos, com uma lista de muitos “UM”, incluindo somente “UMA” fé no versículo 5. Estes versículos têm estipulado claramente que o Espírito Santo guia somente “A” ÚNICA IGREJA FUNDADA POR DEUS e nenhuma outra mais.

Em João 16,13 diz-se:

“Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão”.

Existem milhões de protestantes, cada um interpretando as Escrituras individualmente sob sua própria opinião pessoal declarando: “O Espírito Santo me disse (inspirou)…”.

Como isto pode ser possível, se a doutrina que cada seita ensina é negada por outra, exceto quanto a existência de Deus? Um afirma que o “espírito” lhe disse que Deus exaltou o dia de Sábado e a outra afirma o mesmo, com a diferença de que é o Domingo. Uma diz que o “espírito” lhe inspirou que não se batizassem crianças e a outra diz que a instrução do “espírito” foi totalmente o oposto: que se batizassem.

Uma declara que “lhe foi inspirado” celebrar a ceia do Senhor uma vez por semana e outra, que lhe foi “inspirado” que havia de ser uma vez por mês; e outras, ainda, dizem que tem que ser a cada três meses. Se poderia muito falar para se continuar com toda esta lista de crenças, encontrando uns ensinando de uma forma e outras de forma oposta.

Sendo que Deus é UM, com UMA verdade e UM só Espírito Santo. Como é que este mesmo Espírito da verdade estaria inspirando a cada um com pontos de vista contraditórios? Novamente, iremos à Sagrada Escritura para saber a resposta:

“Deste fato nós somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus deu a todos aqueles que lhe obedecem” (Atos 5,32); ver também Atos 15,8).

Portanto, o Espírito Santo é dado somente a aqueles que obedecem a Deus. E quem são estes? Pelo o que lhe foi mostrado até agora, como é possível que qualquer destas seitas, com pontos de vistas tão opostos, possam estar obedecendo a um ÚNICO Deus verdadeiro?

Por acaso Martinho Lutero obedeceu aos seus superiores (Hebreus 13,17) quando iniciou a Reforma Protestante, blasfemando ao mesmo tempo contra seus superiores?

Quem se supõe que esteja criando toda esta confusão entre as seitas protestantes?

A resposta é que definitivamente não é o Espírito Santo; nunca será usada a afirmação de que Deus nos engana (Isaías 53,9; Hebreus 6,18; 1Pedro 2,22) e certamente Ele não se pode contradizer a Si mesmo. Visto que a verdade é uma, Deus não mente (Tito 1,2). Não pode haver pontos de vista opostos enquanto cada um afirma ter a verdade. O senso comum nos diz que pelo menos na metade dos pontos de vistas opostos a verdade está sendo comprometida.

Então, quem é o mentiroso e pai da mentira? A resposta está em João 8,44.

E 1Corintios 14,33: “Porquanto Deus não é Deus de confusão, mas de paz”.

Se Deus não é autor da confusão, então quem é?

Sugiro voltar a ler o Salmo 127,1 e Efésios 4,1-6, pois das três alternativas de “espíritos que inspiram”, excluímos o Espírito Santo; então, a quem damos a autoria da confusão? Qual deles estaria motivando o Protestantismo?

Isso nos leva a refletir no próximo tema: a autoridade.

* * *

3. O erro protestante de rejeitar a autoridade

“Quem vos ouve, a mim ouve; e quem vos rejeita, a mim rejeita; e quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou” (Lucas 10,16)

Esta é a autoridade!

Palavras poderosas dos lábios de Jesus Cristo a seus discípulos, os líderes da sua Igreja. Aqueles que escutam a Sua Igreja, escutam a Ele; é o que nos diz Jesus Cristo neste versículo. Igualmente aqueles que não escutam a Sua Igreja, não escutam a Ele. Se te interessar saber qual será o fim daqueles que rejeitam a sua Igreja, vale a pena ler o versículo de Lucas 10,1-15.

A Sagrada Escritura tem muito o que dizer sobre a autoridade: quem a tem, quem a exerce e quão importante é a autoridade central para se compreender a verdade.

De qualquer forma, os protestantes têm rejeitado toda a autoridade consistentemente.

Simplesmente renunciaram ao que nunca puderam ter desde a aurora de sua Reforma. E assim vemos que o abandono da autoridade é anti-cristão e anti-bíblico. Visto que estes excluem a sua Igreja, não rejeitam também ao mesmo tempo Jesus Cristo e, com Ele, também ao Pai? Lucas 10,16 estipula claramente que é assim.

“Cada qual seja submisso às autoridades constituídas, porque não há autoridade que não venha de Deus; as que existem foram instituídas por Deus. Assim, aquele que resiste à autoridade, opõe-se à ordem estabelecida por Deus; e os que a ela se opõem, atraem sobre si a condenação” (Romanos 13,1-2).

“Sede submissos e obedecei aos que vos guiam (pois eles velam por vossas almas e delas devem dar conta). Assim, eles o farão com alegria, e não a gemer, que isto vos seria funesto” (Hebreus 13,17).

Martinho Lutero e outros líderes da Reforma Protestante foram obedientes às demandas destes versículos?

“Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-los, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano” (Mateus 18,15-17).

O que nos diz estes versículos acerca de onde reside a autoridade final? Qual é o nome dessa Igreja, visto que ainda está conosco? A qual Igreja teriam ido para obedecer o mandato destes versiculos de Jesus Cristo aqueles que viveram nos anos 110, ou 450, ou 1025, ou 1490 ? Poderia denominá-la?

Existem muitos versículos que nos advertem contra a insubordinação à autoridade ordenada por Deus: desde a sua assembleia conferida a profetas como Moisés (Êxodo 3,40) até a Sua Igreja aos apóstolos (João 20,21-23) e seus sucessores (Hebreus 13,7-8.17).

Leia também sobre Maria e Aarão quando renegam a autoridade de Moisés em Números 12,1-15…

Números 12,2: “‘Porventura é só por Moisés – diziam eles – que o Senhor fala? Não fala ele também por nós?’ E o Senhor ouviu isso”

Deus se enfureceu com este detalhe, visto que previamente havia disposto a falar por meio de Sua única figura paterna, seu “vigário” na terra: Moisés. Consequentemente, Ele transformou Maria em uma leprosa.

Veja a rebelião de Coré contra a autoridade divina de Moisés, em Números 16, colocando atenção especial ao acontecido a Coré e seus seguidores em Números 16,31-35.

Seu final e o de seus seguidores, por dizer o mesmo sobre a autoridade, não é nada desejável.

* Que pessoa, em alguma dessas 35.500 seitas protestantes, detém alguma autoridade?

* Quem tem toda a autoridade para separar a verdade doutrinal da desgraça do erro?

A Rejeição da autoridade no protestantismo é meramente um mecanismo de defesa. Visto que para iniciar, obviamente sabiam que não a teriam, então resolveram simplesmente anulá-la. De qualquer forma, sua refutação à autoridade é altamente anti-cristã e anti-bíblica, como foi mostrado.

Para aqueles que dizem seguir somente a Bíblia, como não podem ver isto?

* * *

4. O erro do “Somente a Bíblia”

Os protestantes, que dizem seguir a Sagrada Escritura literalmente, praticam uma doutrina falsa, um mandamento de homens, intitulada “Sola Scriptura” ou “Somente a Bíblia”, expressão virtualmente desconhecida antes da Reforma do século XVI. Em outras palavras, dizem que a Bíblia é tudo o que querem e necessitam porque contém todo o necessário para a salvação e que, fora dela, é imaterial e simplesmente deve ser descartado e rejeitado. Ao aceitarem essa tão limitada versão sobre a História da Salvação têm ocasionado um restrito conhecimento da Cristandade. Esta restrição tão limítrofe os expõe a adquirir um erro ainda maior, pois para que estes acreditem em algo devem encontrar antes na Bíblia. No entanto, a mesmíssima doutrina da Sola Scriptura não é encontrada em nenhuma parte da Bíblia. Sendo assim, como alguém pode ser praticante de tal doutrina sem ser acusado de hipócrita?

“O Senhor disse: Esse povo vem a mim apenas com palavras e me honra só com os lábios, enquanto seu coração está longe de mim e o temor que ele me testemunha é convencional e rotineiro” (Isaías 29,13).

“Jesus disse-lhes: Isaías com muita razão profetizou de vós, hipócritas, quando escreveu: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. Em vão, pois, me cultuam, porque ensinam doutrinas e preceitos humanos (cf. Isaías 29,13)” (Marcos 7,6-7).

O fato de a “regra” da Sola Scriptura não poder ser encontrada nas Escrituras, prova que é somente um mandamento de homens e isto a põe no sentido oposto da Sagrada Escritura e das palavras de Jesus Cristo.

Visto que a Escritura não se auto-autentica, não se auto-ensina e não especifica quais livros foram inspirados (Atos 8,30-31; 2Pedro 3,16), como podem os protestantes afirmar que o livro em suas mãos é de todo inspirado?

A “Sola Scriptura” foi reprovada nestes exames bíblicos. Não é bíblica. Certamente tampouco é histórica antes da Reforma Protestante. É impossível que houvesse existido antes da invenção da imprensa, pois não havia muitas Bíblias disponíveis. É impossível que tivesse funcionado, se 95% do povo era analfabeto. Simplesmente não pode ser, não é e nunca funcionará. O protestantismo fabricou esta falsa doutrina da “Sola Scriptura” – mandamento de homens – simplesmente porque não lhes restava nada mais com que trabalhar.

* * *

5. O erro protestante da infinita separação do Corpo de Cristo

Os erros da “norma da opinião pessoal”, do “Espírito Santo me inspira”, “Sola Scriptura” e “rejeiçao da autoridade” resultam em caos, confusão e divisão do Único Corpo de Cristo.

Onde existem regras criadas por milhões de opiniões pessoais só pode haver caos.

Onde todos e cada um pensa estar correto porque o “Espírito Santo me inspirou” é certo que algum dos três espíritos está intervindo. Será possível definir qual destes três espíritos estaria agindo?

Quando todos praticam a “Sola Scriptura”, se limitando somente às Escrituras, e de novo as opiniões pessoais entram em cena, qual opinião é aceitável?

Onde não existe autoridade outorgada divinamente e as disputas entre os membros não podem ser solucionadas amigavelmente, os grupos de opiniões pessoais se fragmentam, criando assim mais divisões. Precisamente por isso Jesus Cristo fundou somente uma Igreja educadora, conferindo-lhe Sua autoridade (Mateus 18,17-19) para resolver controvérsias, às quais as Escrituras anunciam que surgiriam inevitavelmente (1Corintios 11,19).

Onde existe a autoridade divina, um debate se soluciona por seu corpo autorizado.

Onde não existe a autoridade divina, os problemas não se solucionam. Os de opiniões opostas simplesmente se separam e formam novas seitas. Isto comprova a razão principal da existência atual de mais de 35.500 frações do Protestantismo, além da sua separação do Corpo de Cristo.

Quando Martinho Lutero se insurgiu, separando-se da Igreja fundada por Jesus Cristo, com existência de quase 1500 anos e seguindo sua linha de Papas desde São Pedro, a Igreja estava em seu 218º Papa. Lutero criou a primeira afiliação protestante. Era o ano de 1521. E não o fazia sozinho; imediatamente ele e Tomaz Münzer tiveram uma “diferença de opiniões” e Munzer se desligou de Lutero para formar o segundo grupo Protestante, também em 1521. As frações no Protestantismo iniciaram e continuam em uma marcha atroz até os nossos dias. No ano de 1600, já havia 100 rupturas. Em 1900 havia mais de 1.000 rupturas. Hoje, mais de 35.500 divisões (ano base: 2002) em todo o Protestantismo; e não vemos o fim desta divisão interminável.

“Então estaria Cristo dividido?” (1Coríntios 1,13), como questiona outro versículo ignorado pelos protestantes. Esta é a herança que se recebe como “prêmio” das regras das “opiniões pessoais” (proibida pela Sagrada Escritura, insistindo que o “Espírito Santo inspirou” quando Ele não falou), da “Sola Scriptura” que não é bíblica e da “a rejeição do corpo governante” autorizado, indo contra as palavras da Bíblia (Mateus 18,18; Hebreus 13,17).

“Quem não está comigo está contra Mim; e quem não recolhe comigo, espalha” (Mateus 12,30; Lucas 11,23).

Com mais de 35.500 diferentes seitas protestantes atualmente, quem está espalhando? É obvio que pelos versículos listados aqui, quem “espalha” está contra o Recolhedor, Jesus Cristo.

* * *

6. O erro de reduzir Deus ao nosso nível meramente humano

1. A Santíssima Virgem Maria não pode ter sido imaculadamente concebida.
2. Ela não pode ter sido sempre virgem.
3. Ela não pode ter sido assumpta aos céus.
4- Não existiu o milagre da multiplicação dos pães e dos peixes; cada uma das 5.000 pessoas tinha um sanduiche em suas bolsas.
5. “Isto é o Meu Corpo” não pode ser Seu Corpo, pois já teria acabado com tantas comunhões; é somente um gesto simbólico.

Estas e muitas outras negações dos ensinamentos da Igreja Católica provêm dos duvidosos protestantes ao desejarem converter os feitos divinos (milagres) em gestos terrenos.

O que estes burlões e incrédulos realmente querem dizer é que “Ele – que do nada criou o universo e tudo o que nele existe e sustenta, por virtude de Sua vontade – achou impossível fazer estes milagres”.

Nas negações destes exemplos, os protestantes não têm feito nada mais além de impor restrições a um Deus ilimitado.

Os mesmos incrédulos e libertinos, com seus augustos e limitados discernimentos, ignoram estas palavras de Deus:

“Pois meus pensamentos não são os vossos e vosso modo de agir não é o meu, diz o Senhor; mas tanto quanto o céu domina a terra, tanto é superior à vossa a minha conduta e os meus pensamentos ultrapassam os vossos” (Isaías 55,8-9).

* * *

7. O erro de sair do contexto

Os protestantes têm o mau hábito de tirar do contexto a Sagrada Escritura quando tratam de analisar um ponto.

CONTEXTO: A parte de um texto ou declaração que entrelaça uma palavra ou passagem “determinando seu significado”.

Os protestantes invariavelmente selecionam um versículo ou dois das Escrituras no vão intuito de “provar” seu ponto de vista. Se estes esquecerem o texto, circunstancialmente darão um significado diferente ou usualmente oposto ao versículo ou frase selecionados. Igualmente costumam omitir informações chave e, ao fazê-lo, distorcem a verdade.

Alguns exemplos são:

– Sola Scriptura: usam 2Timóteo 3,16-17 como justificativa para tal doutrina; mas dentro do contexto, estes versículos mostram um significado totalmente diferente do que eles propõem. Não há justificativa alguma para a Sola Scriptura nestes versículos.

– Um Mediador: usam 1Timóteo 2,5 para “provar isto”, mas dentro do contexto de 1Timóteo 2,1 indica-se muitos intercessores. E a Santíssima Virgem Maria é uma intercessora.

– Não chamem ninguém de Padre: fora de contexto.

– Os “irmãos e irmãs” do Senhor: fora dos devidos contextos.

Um texto fora do contexto é simplesmente um pretexto.

* * *

8. O erro de interpretar mal a Sagrada Escritura

Existem vários elementos a se considerar quando se interpreta a Sagrada Escritura e muitos deles são ignorados pelos protestantes.

1. Os Sentidos da Escritura: em qual sentido deverá ser tomada a passagem? Literalmente, alegoricamente, como parábola, etc.?

2. O significado das palavras usadas na época em que foram escritas não é necessariamente o mesmo que hoje.

3. A História tem um papel transcendental na interpretação apropriada da Escritura. Deve-se considerar a natureza e os costumes de quem está falando na Escritura.

4. Os verdadeiros significados do que os autores tinham em mente algumas vezes se perderam na traduções de uma linguagem para outra. Em algumas ocasiões, as palavras não têm o peso certo, mas apenas o mais “aproximado” no significado conforme o tradutor. Frequentemente, deve-se consultar os textos antigos em grego e em hebraico para encontrar o verdadeiro significado das palavras da Escritura.

5. Muitas seitas protestantes tentaram adaptar a Sagrada Escritura aos seus falsos ensinamentos, ao invés de adaptar seus ensinamentos à Sagrada Escritura.

As acusações dos Protestantes contra a Igreja Católica são, em sua maioria, devido às suas interpretações equivocadas da Sagrada Escritura. Alguns dos casos são:

– Maria teve outros filhos.
– Observar o sábado ao invés do domingo.
– Negação do primado de Pedro.
– O Papado não é Bíblico.
– A Igreja Católica não pode ser a Igreja fundada por Jesus Cristo fundou, pois não coincide com o que diz as Escrituras sobre a Igreja Primitiva.

– A Sagrada Eucaristia é meramente um símbolo e não pode ser o corpo de Cristo.

Mas por acaso Jesus não disse em vários versículos que É SEU CORPO? Em alguma parte diz que é somente um simbolismo?.

– As sete igrejas mencionadas em Apocalipse 2 e 3 são diversas igrejas protestantes.

Esta é uma das mais extravagantes afirmações que os protestantes vêm dando aos últimos chutes de um enforcado, utilizando a ideia como bem lhes convém. Para simplificar, usando o português puro, estas sete igrejas são paróquias, localizadas em diferentes cidades, da mesma e única Igreja fundada por Jesus Cristo.

Em termos fáceis de se entender, todas elas foram estabelecidas pelos mesmos APÓSTOLOS em quem se infundiu a mesma VERDADE ao MESMO TEMPO pelo mesmo ESPÍRITO SANTO no Pentecostes.

Todos eles ensinaram UMA SÓ VERDADE; portanto, todas estas Igrejas pertencem a UM SÓ E MESMO REBANHO e não a sete diferentes e opostos rebanhos de Protestantes.

As sete Igrejas são meramente uma extensão de Atos 1,8, onde Jesus disse a seus apóstolos:

“Mas descerá sobre vós o Espírito Santo e vos dará força; e sereis minhas testemunhas em Jerusalém (local), em toda a Judéia e Samaria (expandindo-se às zonas limite) e até os confins do mundo (expandindo-se a todo globo terrestre)”

Como isto poderia ser entendido, a não ser que se estabelecesse igrejas em todas as áreas do mundo?

* * *

9. O erro de aceitar e refutar a Sagrada Escritura

Erro conhecido como “Cristianismo de cafeteria”. São apresentados vários versículos que são ignorados ou rejeitados pelos protestantes.

Dizem: “Aceitarei este versículo porque me faz sentir bem e rejeito aquele porque não vai de acordo com o que eu creio”. Contradizem assim, com seus atos, sua proclamação verbal de seguir as Escrituras ao pé da letra.

Temos aqui uns exemplos dos versículos mais ignorados ou rejeitados pelos Protestantes, embora já mencionados anteriormente:

– Mateus 16,18: Jesus diz que fundou “UMA” Igreja. Não disse “igrejas”, não é mesmo?

– Mateus 18,15: A Igreja é a autoridade final. Por que os Protestantes dizem ser a Bíblia a autoridade final? De onde tiraram isso? Em que parte a Bíblia afirma ser a autoridade final?

– João 10,16: e haverá UM só rebanho e UM só pastor. Onde Jesus diz que haveriam mais de 35.000 rebanhos, como temos atualmente dentro do Protestantismo?

– Lucas 1,48: “e desde agora, todas as gerações me PROCLAMARÃO BEM-AVENTURADA” – “Desde agora” significa a partir do momento em que foi dito. “Todas a gerações” inclui toda a humanidade, desde o momento em que foi dito até o final dos tempos. A palavra “me proclamarão” não é uma sugestão e sim um mandato. “Bem aventurada” significa: “Santa”, “Bendita”, “cheia de graça”, “ditosa”.

Ora, em toda correspondência recebida dos protestantes (de muitos anos anteriores até o momento) referente à Mãe de Deus, nem um só protestante a chamou de bendita. Devo advertir, pela segunda vez, que este versículo não é uma sugestão e sim um mandato vindo de Deus.

O Arcanjo Gabriel a chamou de “Cheia de Graça” em Lucas 1,28. Os anjos falam por Deus. Isabel a chamou de “Bendita” em Lucas 1,42 e suas palavras surgiram por estar “cheia do Espírito Santo”. Deus a chamou de “Bendita” mais de uma vez; então que desculpa tem os protestantes para também não a chamá-la de Bendita? E ainda dizem seguir as Escrituras ao pé da letra? Caros protestantes: se estiverem lendo este artigo, vocês a chamam de bendita? Não? Então porque desobedecem as Escrituras?

– João 6,53: “Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós mesmos” – Mandou Ele comer e beber um símbolo de Seu Corpo e Seu Sangue? O que significa “em verdade em verdade vos digo”? Já esclarecemos anteriormente que a verdade é uma pessoa. A pessoa de Jesus Cristo. Quando surge a palavra “Verdade” – Ele mesmo disse “em verdade”, duas vezes neste versículo – isto é um indício de frase simbólica ou uma realidade? Vocês “Em verdade em verdade” creem na “Verdade” que Ele mesmo disse aqui? Ou talvez sejam um destes que, em João 6,66, resistem em crer n’Ele, caminhando para o lado oposto e abandonando a Sua verdade? Notou a conexão com o número 666 neste versículo?

Que pena que os protestantes não observam as conexões de tipologia entre o Antigo e o Novo Testamento! Os hebreus e os judeus “simbolicamente” sacrificaram animais? Ou, de fato, realmente sacrificaram animais verdadeiros? No livro do Levitico se poderá encontrar a resposta…

– 1Corintios 10,16: “O cálice de bênção que benzemos, não é a comunhão do sangue de Cristo? E o pão, que partimos, não é a comunhão do corpo de Cristo?” – Onde está o simbolismo neste versículo? Ou o contexto é o mesmo?

– 1Corintios 11,29: “Aquele que o come e o bebe SEM DISTINGUIR o corpo do Senhor, come e bebe a sua própria condenação” – Como um mero símbolo pode causar condenação?

– Malaquias 1,11: “Porque do nascente ao poente, meu nome é grande entre as nações e em todo lugar se oferecem ao meu nome o incenso, sacrifícios e oblações puras. Sim, grande é o meu nome entre as nações – diz o Senhor dos exércitos” – Quantas seitas Protestantes oferecem sacrifício no total? Quanto menos diariamente!

– Mateus 28,19-20: diz que Jesus Cristo estará com sua Igreja todos os dias até o final dos tempos. Este tema se repete em Efésios 3,21 e em João 14,16. Então porque os protestantes insistem dizer que a Igreja que Jesus Cristo fundou apostatou da verdade em uma determinada época depois de ter morrido o primeiro apostolo? Ao afirmarem isso, não estariam chamado a Cristo de mentiroso?

– 1João 5,10: “Aquele que não crê em Deus, o faz mentiroso” – Existem mais de 50 versículos na Bíblia que mencionam o inferno. Mateus 23,33; Marcos 9,43; e Lucas 10,15 são três exemplos. Ainda assim, algumas seitas protestantes negam sua existência. Imagine quanto espaço na Sagrada Escritura cobrem estes 50 versículos! A esta altura, é fácil observar que grande parte da mesma é negada por eles.

– 1Coríntios 11,22: nos adverte a não depreciar a Igreja de Deus. “Porventura não tendes casa onde comer e beber? Ou menosprezais a Igreja de Deus, e quereis envergonhar aqueles que nada têm? Que vos direi? Devo louvar-vos? Não! Nisto não vos louvo…” Mas adiante mostrarei como as seitas protestantes depreciam de fato a Igreja de Deus, caluniando-a e levantando falsos testemunhos contra Ela.

Temos aqui outro versículo muito ignorado, dentro da mesma linha:

– 1Coríntios 10,32: “Não vos torneis causa de escândalo, nem para os judeus, nem para os gentios, nem para a Igreja de Deus”

Ao longo deste artigo vamos listar mais uma série de versículos que são ignorados pelos protestantes.

* * *

10. O erro de dizer: “Uma vez salvo, sempre salvo”

“És salvo?”. Típica pergunta dos protestantes. Quem quer que pense que está automaticamente “salvo” simplesmente por declarar que “Jesus é seu Senhor e Salvador” está mal-interpretando totalmente a Sagrada Escritura, cometendo ao mesmo tempo um pecado de presunção. Somente Deus sabe quem será “salvo” e quem não será. Nenhuma criatura humana pode se declarar “salva” por conta própria. Esta falsa doutrina é fabricação do Protestantismo e não pode ser encontrada em nenhum lugar antes da Reforma Protestante.

A salvação é um processo constante através da vida, como a Sagrada Escritura nos diz claramente. Leia Coríntios 13,13 que aponta que devemos ter fé, esperança e caridade. Se somos automaticamente “salvos”, então, qual é o propósito da esperança?

A “Sola Fide” ou “salvo somente pela fé” é ensinada por muitos protestantes. De qualquer forma, essa doutrina, falsa e humana, não pode ser encontrada na Bíblia. De fato, o único lugar na Biblia inteira onde encontramos a palavra “fé” e “somente” juntas são em Tiago 2,24 e diz:

“Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé?”

Este versículo foi uma espinha na garganta para Martinho Lutero, que chamou a Epistola de São Tiago de “epístola de palha”, significando assim que mereceria ser queimada, removida da Sagrada Escritura.

Devia representar uma vergonha para ele, posto que se atraveu a adicionar a palavra “somente” em Romanos 3,28 em sua tradução da Bíblia para o alemão, com o fim de apoiar sua falsa doutrina de “justificação somente pela fé”. Tiago 2,24 é totalmente ignorado e desdenhado por muitos protestantes.

– João 15,14: “Vós sois meus amigos se fazeis o que vos mando”.

– Filipenses 2,12: “Assim, meus caríssimos, vós que sempre fostes obedientes, TRABALHAI na vossa salvação com temor e tremor”.

Para aqueles que pensam sem “salvos” somente pela fé, como podem ignorar sempre estes versículos? Ambos dizem claramente que as obras são necessárias e sem elas não é amigo de Jesus.

Igualmente ignoram grande parte de Mateus 25, referente ao juízo final. Leiam os versículos 31 a 46 cuidadosamente, como falou Jesus sobre o juízo dos grupos, as ovelhas e os cabritos. Note que os dois grupos creram, mas somente um grupo trabalhou e esse foi o das ovelhas; as ovelhas é que seriam salvas.

Assegure-se de ler os versículos 41 a 46; pode-se descobrir aí onde viveriam eternamente as cabras que creram mas não trabalharam. As cabras, que também creram, foram salvas somente por crer sem trabalhar? Aqueles que praticam a doutrina do “uma vez salvo sempre salvo” querem fazer-nos crer que foram…

* * *

11. O erro do “buraco negro” em sua história

Em certa ocasião, perguntaram ao sr. Isaac Newton como ele poderia juntar tanto conhecimento sobre a sua matéria no transcurso de sua vida. E prontamente respondeu: “Porque estive apoiado nos ombros dos gigantes”.

Adquirir conhecimento sobre qualquer campo, inclusive da Teologia, é um processo contínuo (João 16,33), onde um funda a base e a partir daí outros constroem sobre ela (1Coríntios 3,10).

Cometem-se erros pelo caminho, mas os seguidores conscientes se beneficiam desses equívocos e o conhecimento se incrementa. O Protestantismo de qualquer forma, estando em severa desvantagem com a bola e a corrente da Sola Scriptura, não utiliza destes “gigantes” que caminharam muito antes deles, durante os primeiros mil e quinhentos anos do Cristianismo. O progresso teológico, os erros e equívocos do passado são ignorados como se não houvessem existido jamais.

Os protestantes estão exilados em um Buraco Negro de mil e quinhentos anos.

Para ser vitorioso em qualquer projeto, não se deve ignorar os triunfos e fracassos na História, pois é assim que cresce o conhecimento.

Aqueles que não se beneficiam dos erros dos outros no passado estão condenados a repetir os mesmos erros novamente e, ao fazê-lo, tomam passos que os atrasam ao invés de progredir no conhecimento.

Aqueles que fracassam em beneficiar-se dos triunfos históricos estão sentenciados a reinventar a roda uma e outra vez.

“Todas as coisas se afadigam mais do que se pode dizer. A vista não se farta de ver, o ouvido nunca se sacia de ouvir. O que foi é o que será: o que acontece é o que há de acontecer. Não há nada de novo debaixo do sol. Se é encontrada alguma coisa da qual se diz: ‘Veja, isto é novo’, ela já existia nos tempos passados. Não há memória do que é antigo, e nossos descendentes não deixarão memória junto daqueles que virão depois deles” (Eclesiastes 1,8-11).

Os protestantes têm medo de ler documentos históricos escritos antes da Reforma do século XVI, em razão do que podem encontrar neles.

Uma das conversões mais famosas do Protestantismo ao Catolicismo é a do Cardeal John Henry Newman, que escreveu em sua introdução ao tratado “Do Desenvolvimento da Doutrina”:

“Adentrar na historia é deixar de ser protestante”. Newman desejava “provar” por meio de documentos históricos, que o Anglicanismo era a Igreja “verdadeira”, a fundada por Jesus Cristo. Depois de uma dedicada investigação extensiva de documentos históricos genuínos, descobriu que a igreja Anglicana não era a Igreja fundada por Jesus Cristo, mas sim a Igreja Católica. Ante a tanta evidência irresistível, imediatamente se converteu à Igreja verdadeira: a Igreja Católica.

O que aconteceu com a Igreja Cristã depois de Atos 28,30? Não interessa saber nem um pouquinho? Por acaso o progresso histórico da Igreja acabou por ai mesmo? Absolutamente não.

Mostre-me algum período da História da Igreja em que os eventos não foram registrados por historiadores e escritores!

Convido a todos os protestantes a ler os registros da História do Cristianismo, iniciando com os escritos históricos do primeiro e segundo séculos que se tem disponíveis na Internet e em alguns artigos deste site.

Por acaso não está um pouco interessado em sua herança cristã, nas dificuldades e martírios de nossos ancestrais cristãos que nos levaram onde estamos atualmente?

Se você se diz chamar “Cristão”, certamente deveria sê-lo. Pegue João 16,12-13 e observe o tempo futuro usado nos versículos, revelando verdades vindouras reveladas pelo Espírito Santo. É o desenvolvimento da doutrina nas Escrituras através dos séculos. Estes passos que aumentam o conhecimento século após século, foram registrados por muitos documentos históricos autênticos e estão disponíveis para a sua leitura. Neles você verá o progresso do conhecimento da Igreja Cristã Primitiva através dos séculos.

Devo acrescentar que: se você resiste a ler a História do Cristianismo, mantendo uma mentalidade fechada, deve temer o que tratarei no decorrer deste artigo.
12. O erro de buscar tirar as duvidas na própria fonte do erro

Ao debater os ensinamentos da Igreja Católica, os protestantes invariavelmente se casam com o que escutaram dizer de outros protestantes, fracassando assim, ao mesmo tempo, em ir à fonte dos ensinamentos católicos (na própria Igreja Católica) com o fim de encontrar a verdade sobre o que ela realmente ensina.

Se fosse comprar um Ford, buscaria assessoria sobre o Ford junto a um vendedor da Chevrolet? O que me diria? Não, uma pessoa inteligente iria à fonte, à concessionária Ford.

Então, por que os protestantes não procuram a Igreja Católica para encontrar a verdade sobre os ensinamentos católicos?

Ignorar a Igreja Católica é ignorar a Cristo, pois a Igreja Católica é Seu corpo.

* * *

13. O erro de buscar uma igreja por conveniência

Em meu jornal apareceu um artigo sobre uma mulher que tem buscado durante muito tempo uma igreja que “encaixe” com suas crenças.

– Ah, perdão!!!! Suas Crenças???

Não estaria equivocada? Devemos buscar a Igreja que tem a verdade objetiva, não uma que se conforme com a nossa verdade individual e subjetiva. Devemos nos acomodar à vontade de Deus e não às nossas opiniões pessoais e crenças.

Essa mulher caiu na mentalidade de que “se me sinto bem, então está bem pra mim”.

Os protestantes elegem suas igrejas por todas as razões equivocadas e quero expor algumas delas:

1. Esta tem um melhor cuidado infantil enquanto eu estou no culto. Sim, mas Jesus pediu que deixassem as crianças ir a Ele (Mateus 19,13-15). Como podem fazê-lo se não as levamos aos cultos?

2. Eu gosto mais da musica nesta outra igreja. Sim, mas não se pode cantar no teu caminho para o céu.

3. A minha tem uma melhor classe de evangelização. Sim, mas somente se ensinar a verdade.

4. Eu gosto do pastor da minha igreja. Sim, mas existem muitos pastores agradáveis em todo lugar.

5. Desfruto de muitas amizades. Sim, mais Deus vem antes das amizades.

6. Suas doutrinas são mais cômodas, pois se casam com as minhas crenças. Preciso dizer algo mais?

7. As coisas incômodas, como a existência do inferno e outros temas, não são mencionados. Algumas vezes a verdade dói, mas a verdade não pode ser coibida (Romanos 1,18).

8. Não é autoritária e é rigidamente estruturada. Sim, mas a ausência da autoridade respira caos, como já vimos no Protestantismo.

9. Acreditem ou não, eu já escutei: “Eu gosto da minha igreja porque é mais fácil de se estacionar”. O que você acha desta afirmação?

10. Também há o erro da heresia do indiferentismo, a falsa crença de que todas as religiões são igualmente válidas. Portanto, não importa em qual frequente: escolherei a mais próxima…

A unica razão válida para eleger uma igreja, é encontrar a verdadeira e única Igreja, a que nosso Senhor Deus, Jesus Cristo, fundou. Não devemos trabalhar em vão nessas igrejas que não foram fundadas por Deus, mas por criaturas meramente humanas, como adverte claramente o Salmo 127,1.

* * *

14. O erro de ingressar em uma igreja baseando-se em sentimentos

– Sentimentos: opiniões baseadas mais em emoções do que na razão.

Deus deseja exatamente o oposto: a verdade baseada na razão em lugar da emoção.

Através da “razão” podemos encontrar a verdade. Através da “emoção” podemos cair no erro.

Quantas vezes não escutamos alguém dizer que “não sente nada” na outra igreja que freqüenta, mas que tem um “nível emocional muito alto”?

Por que esta deveria ser a correta ? Onde na Sagrada Escritura diz que a Igreja fundada por Jesus Cristo está baseada em sentimentos e emoções [pessoais]? Sua verdade está baseada na verdade e na fé ou em hiper-emoções?

Muitas seitas deliberadamente esboçam seus cultos para obter isto: despertar os sentimentos, para poder ganhar terreno emocional. Até porque sentem que devem fazer algo diferente para poderem se sobressair do amontado de milhares de seitas e ganhar, assim, uma maior audiência. Pois é, e uma maior audiência significa um maior aporte monetário em seus caixas.

O atual estado mental de muitas pessoas, independentemente da verdade é:

“Naquele tempo não havia rei em Israel, e cada um fazia o que lhe parecia melhor” (Juízes 21,25).

Assim não é Deus, pois a Deus não lhe interessa as opiniões dos homens (Marcos 12,14).

* * *

15. O erro do menosprezo e degradação da Mãe de Deus

Até o tempo da “Deforma Protestante” (deforma com “D” mesmo), a santíssima Virgem Maria era honrada pelos cristãos desde o primeiro século. Incluindo os reformadores originais, que a amaram e a honraram: Lutero, Calvino, Zwínglio e outros. Mas o que se passou com o Protestantismo então?

Os protestantes de hoje não deixam ensinar o que seus fundadores de muitas formas ensinaram com relação à Mãe de Jesus Cristo. Agora a caluniam e degradam afirmando que:

1. Ela não pode ser perpetuamente virgem, visto que teve outros filhos.
2. Ela não pode ter sido imaculadamente concebida.
3. Ela não pode ter sido assumpta ao céu de corpo e alma.
4. Ela não pode ter sido Mãe de Deus.
5. Ela é uma pecadora igual a todos nós, porque a Bíblia diz que todos pecaram.

Infelizmente, os protestantes consistentemente tratam de rebaixar Deus ao nosso nível humano, na débil intenção de explicar estas acusações com termos meramente humanos, como mencionamos anteriormente.

Fracassam em contemplar que as leis que os ligaria a Deus NÃO os ligam a Ele.

Tenho uma resposta circunscrita para os protestantes, para cada uma destas falsas acusações anteriormente mencionadas contra a Mãe de Deus.

Dizem que Deus, que do nada criou tudo e sustenta por virtude de Sua Vontade, não pode fazer tais coisas?

Quando todos nós nos encontrarmos diante de nosso Criador após a morte, prefiro que me diga:

– “Bem vindo, pois minha Mãe tem me falado de ti frequentemente”

Em lugar do que possa falar aqueles que a caluniaram e degradaram:

– “Porque disseste isso da Minha Mãe?”

O que diria um bom filho e uma boa filha àqueles que se atreveram a degradar sua mãe?

Jesus honra Sua Mãe. Até porque foi Ele mesmo que escreveu os Dez Mandamentos, incluindo este:

“Honrarás teu pai e tua mãe”.

Você acredita que Ele não obedeceu seus próprios mandamentos? Ou honrou a sua própria Mãe, deixando-nos um exemplo a seguir? Por acaso não obedeceu as ordens maternas por pelo menos por 30 anos (Lucas 2,51)?

Me diga o nome de outra mulher com a habilidade de dizer ao Criador do Universo o que Ele deveria fazer e que Ele a obedecesse… Por que, então, os protestantes, que dizem seguir as Escrituras ao pé da letra, falam tão miseravelmente quando o assunto é honrar a Santíssima Virgem Maria?

Podem fazer menos do que o Filho, Jesus Cristo, por sua Mãe?

Não estão sujeitos a seguir Seus passos da mesma maneira que fazem os Católicos (Mateus 16,24)?

O que acham que ganharão degradando e caluniando a Mãe de Jesus Cristo?

* * *

16. O erro de caluniar os católicos e a Igreja Católica

Na Reforma Protestante do século XVI, os transgressores perderam toda a autoridade dada por Deus à Sua única Igreja, como ja foi explicado. Visto que ao rejeitá-la não tinham autoridade de nenhuma forma, não puderam tampouco recorrer à Tradição Apostólica, como mostra 2Tessalonicenses 2,15, e igualmente a recusaram. Portanto, aí estiveram, desprovidos de toda a autoridade e 1.500 anos de Tradição, desolados e sem forma alguma de conseguir delinear sua herança ascendente até Jesus Cristo.

O que podiam fazer para se justificar, visto que haviam se separado da Igreja Católica? Passaram a caluniá-la e infernizá-la e, igualmente, aos fiéis católicos. Se fosse possível demonstrar (o que não é) que a Igreja Católica era de Satanás, possivelmente haveriam encontrado uma justificação válida para as suas ações.

Falaram miseravelmente porque tiveram que “inventar” acusações que simplesmente não eram verdadeiras.

Nunca entenderam que poderiam “provar” uma verdade, mas somente os crédulos e mal informados aceitariam a mentira. Em seguida, também criaram algumas “invenções” anticatolicas, as mesmas que têm fracassado…

1. O Papa e o Papado é a “Babilônia” do Apocalipse 17,18:

Esta mentira foi primeiramente promovida por Martinho Lutero, em sua linguagem acusatória contra a Igreja Católica.

É uma fabricação total, como mostrei pela Sagrada Escritura em um artigo anterior sobre Lutero. A Sagrada Escritura nos diz que a “Grande Babilônia” é uma “Grande Cidade” e não é Roma, mas Jerusalém.

2- O Papa é a “Besta do Apocalipse” e a “Prostituta” é a Igreja Católica:

Os inventores desta nota diabólica foram negligentes em não dar atenção à passagem da Sagrada Escritura. Veja Apocalipse 17,15-16:

“O anjo me disse: As águas que viste, à beira das quais a Prostituta se assenta, são povos e multidões, nações e línguas. Os dez chifres que viste,’ assim como a Fera, odiarão a Prostituta. Hão de despojá-la e desnudá-la. Hão de comer-lhe as carnes e a queimarão ao fogo'”.

Visto que a Prostituta era Jerusalém, como mostrei no artigo sobre Lutero, então a “Besta” que odeia Jerusalém e a destrói com fogo somente pode ser o tirano Império Romano, que odiou os judeus e a Jerusalém, destruindo-a, de fato, pelo fogo no ano 70 d.C.

Pois bem. Se a besta fosse o Papa, por que ele odiaria a prostituta, sua própria instituição? Por que ele destruiria a si mesmo? Satanás destrói a Satanás? Em Lucas 11,18, Jesus diz:

“Se, pois, Satanás está dividido contra si mesmo, como subsistirá o seu reino? Pois dizeis que expulso os demônios por Beelzebul”.

3. A Igreja Católica foi fundada pelo imperador romano Constantino no século IV.

Falso. Constantino não fundou igreja alguma; simplesmente permitiu que o Cristianismo existisse sem a perseguição do Império Romano, como o disse claramente em seu “Edito de Milão”.

Nenhum Protestante pode produzir um só documento histórico autêntico que “prove” esta falsa acusação.

4- A Igreja Católica é um extensão do Paganismo.

Outra mentira, visto que cada igreja protestante tem algum ser humano por fundador e nenhuma pode dispor de um nome para a Igreja Católica, a menos que aceitem admitir a verdade: que foi o próprio Jesus Cristo quem a fundou.

Qual a melhor forma de se obedecer ao mandato de Jesus Cristo, de converter o mundo inteiro (Mateus 28,19-20 e Atos 1,8), a não ser situando a Igreja em Roma, o próprio centro do paganismo? Não é justamente o que ocorreu depois de algumas centenas de anos? O endemoniado Império Romano sucumbiu e a Roma pagã se converteu ao Cristianismo. Este é um fato histórico inegável.

5- Os Católicos vão para o inferno.

Veremos! Para começar, aqui exponho vários versículos ignorados pelos mesmos que fazem semelhante acusação:

– Mateus 7,1: “Não julgueis para que não sejas julgados”.

– Lucas 6,37: “Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados”.

– Romanos 14,13: “Deixemos, pois, de nos julgar uns aos outros; antes, cuidai em não pôr um tropeço diante do vosso irmão ou dar-lhe ocasião de queda”.

– Tiago 4,11: “Meus irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de seu irmão, ou o julga, fala mal da lei e julga a lei. E se julgas a lei, já não és observador da lei, mas seu juiz”.

Como é que aqueles que promovem mentiras e calunias contra a Igreja Católica nunca têm nenhum documento histórico fidedigno para “provar” suas falsas acusações? Durante os anos que tenho pedido, não recebi nenhum.

Por que os católicos, podem dispor de documentos históricos, que os protestantes recusam-se a ler, e os protestantes não podem mostrar quando solicitados? A razão de sua falta de “evidência” certamente é que a mentira não pode ser “provada”.

Eu sugiro abrir a sua Bíblia e ler Apocalipse 21,27.

Aqueles que perseguem a Igreja Católica, perseguem mesmo a Jesus, visto que a Igreja é seu corpo (Efésios 1,22-23), independentemente do que os protestantes aceitem crer ou não.

Em Atos 7,54 e 8,1-3, Saulo havia perseguido a Igreja fundada por Jesus Cristo (Atos 8,3); e em Atos 9,4, Jesus Cristo diz:

“Saulo, Saulo: por que me persegues?”

Poderia ser dito: “Por que persegues a minha Igreja?”

“Mas estes, quais brutos destinados pela lei natural para a presa e para a perdição, injuriam o que ignoram, e assim da mesma forma perecerão. Este será o salário de sua iniquidade” (2Pedro 2,12).

Outro versículo muito ignorado pelos protestantes que caluniam o Catolicismo:

“Nada temas, porque estou contigo; não lances olhares desesperados, pois eu sou teu Deus; eu te fortaleço e venho em teu socorro, eu te amparo com minha destra vitoriosa (já são 2000 anos!). Vão ficar envergonhados e confusos todos aqueles que se revoltaram contra ti (o protestantismo dividido em 35.500 peças!); serão aniquilados (Salmo 127 novamente!) e destruídos aqueles que te contradizem (os hereges, caluniadores e mentirosos do passado, presente e futuro).” (Isaías 41,10-11).

* * *

17. O erro protestante de sensacionalizar os “aparentes” contratempos católicos

Quando digo “aparente”, quero dizer exatamente isso.

Praticamente cada notícia que aparece para mostrar negativamente a Igreja Católica é apresentada exageradamente fora de proporção com o “nós dissemos” protestante. Alguns casos a mencionar:

1. O descobrimento de um aparente ossuário com a inscrição que diz: “Tiago, filho de José, irmão de Jesus”.

Os protestantes se regozijaram nas ruas gritando: “Não dissemos? Maria teve filhos!!”. Se eles somente lessem a Bíblia, como dizem fazê-lo, se dariam conta que não há nada novo aqui referente ao irmão de Jesus.

“Dos outros Apóstolos não vi mais nenhum, a não ser Tiago, irmão do Senhor” (Gálatas 1,19).

Este versículo tem estado por mais de 1900 anos na Sagrada Escritura. Então, por que tanto escândalo pelo ossuário, se não é apenas para realizar mais um outro ataque com falsas acusações contra a Igreja Católica?

Notou que o “Tiago” mencionado neste versículo é também Apóstolo? Houve dois Apóstolos chamados Tiago e a Sagrada Escritura nos apresenta o nome dos pais de ambos e nenhuma de suas mães foi a Santíssima Virgem Maria. Portanto, há algo em desacordo com esta inscrição e é o fato de o Tiago mencionado no ossuário ter tido um pai chamado José. Que lástima, a Sagrada Escritura nos dizer que nenhum dos pais dos Apóstolos Tiago se chamou José e sim, Zebedeu e Cléofas!

Algum protestante tentou indagar os fatos antes de continuar com suas falsas acusações contra a Igreja Católica, regozijando-se depois de suas mentiras que acabamos de desmentir?

Por que não usam primeiramente o que acabo de fazer, sua inventada “Sola Scriptura” para descobrir sua falta de fundamentos nas acusações contra a Igreja Católica, de que Maria teve outros filhos?

Este é um exemplo primordial mostrando como a falsa doutrina da “Sola Scriptura” pode ser uma ferramenta vantajosa utilizada pelos católicos também, com desvantagem para os protestantes, provando somente pela Escritura o fato da inscrição do ossuário não ter nada a ver com Jesus Cristo, os dois Apóstolos de nome Tiago, a Santíssima Virgem Maria ou São José.

Pois bem. Por que os protestantes, que baseam sua fé somente na bíblia, não o encontraram primeiro? Será que é porque não quiseram encontrar a verdade, preferindo assim crer na mentira?

2. Os escândalos sexuais no meio católico.

Ao se escutar um protestante falar, se pode pensar que cada sacerdote católico é um pedófilo. Se somente verificassem os fatos, descobririam que o número ascende aproximadamente a 1,8 % de sacerdotes católicos acusados de abuso sexual e dessa porcentagem, menos da metade é acusado de pedofilia (cerca de 0,3 %). Vale lembrar que ser acusado não é ser culpado. Pareceria de qualquer forma que bastaria um sacerdote ser acusado para que automaticamente o julgassem culpado enquanto não provassem sua inocência. Tem-se provado que muitos sacerdotes têm sido falsamente acusados por pessoas sem escrúpulos, buscando simplesmente uma alta soma de dinheiro e suas falsas denúncias têm sido descartadas. Não somente isso, também muitas das acusações ocorreram há 30 anos ou mais e muitos dos sacerdotes indiciados já até faleceram.

“Jesus disse também a seus discípulos: É impossível que não haja escândalos, MAS AI DAQUELES POR QUEM ELES VÊM!” (Lucas 17,1)

Por acaso Jesus não disse: “Quem de vocês estiver livre de pecado, que atire a primeira pedra…”?

Pois bem. Se os protestantes dessem uma olhada em seus próprios jardins, descobririam que a porcentagem de seus ministros acusados pelos mesmos abusos sexuais é muito mais alto do que entre os sacerdotes católicos. De qualquer forma, não se escutam muitos desses casos, visto que os meios de comunicação sempre têm prioritariamente enfatizado humilhar a Igreja Católica em tudo o que podem.

Recordemos os tremendos escândalos perpetrados por Jimmy Swaggart, James Baker, Jim Jones e Jesse Jackson, somente para nomear algumas figuras protestantes involucradas.

Já percebeu que quando se aponta o dedo para alguém, automaticamente se apontam três dedos para nós mesmos? Faça o teste e verá.

* * *

18. O erro protestante de ridicularizar o que não entendem

Poderia parecer que a curiosidade humana normal nos levaria a investigar a verdade. Inclusive quando nós recusamos a indagá-la por nossa própria vontade (como a própria Sagrada Escritura nos manda em Romanos 1,18 e Romanos 2,8).

Algumas seitas protestantes, não obstante constantemente blasfemem os ensinamentos catolicos, não fazem o mínimo esforço para descobrir se suas ridículas acusações estão realmente baseadas na verdade ou não.

Ao observar suas ações a partir um ponto de vista católico, parecem demonstrar um ódio pela Igreja Católica maior que o amor que poderiam ter a Deus. Quem ama a Deus, o busca, visto que Ele é a verdade personificada.

– “Mas estes, quais brutos destinados pela lei natural para a presa e para a perdição, injuriam o que ignoram, e assim da mesma forma perecerão. Este será o salário de sua iniquidade” (2Pedro 2,12).

– “Estes, porém, falam mal do que ignoram. Encontram eles a sua perdição naquilo que não conhecem, senão de um modo natural, à maneira dos animais destituídos de razão” (Judas 1,10).

Somente neste artigo foi apresentado quatro versículos não reconhecidos pelos protestantes.

Como complemento segue: O ERRO DE NÃO ACEITAR A VERDADE QUANDO É APRESENTADA

* * *

19. O erro protestante de não aceitar a verdade quando lhe é apresentada

As enganosas acusações feitas pelos protestantes contra a Igreja Católica são facilmente comprovadas como erradas por muitos diferentes meios, mesmo que a mentalidade protestante descarte automaticamente qualquer comprovação sem esquadrinhar por eles mesmos.

A Sagrada Escritura tem muitos versículos condenando aqueles que resistem a aceitar a verdade. É uma tripla autocondenação: primeiro, por dizer uma mentira; segundo, por ignorar estes versículos; e, finalmente, por não ler e estudar a evidência de seus erros quando apresentados.

1. As acusações de que Pedro não foi o primeiro Papa e que nunca esteve em Roma, são totalmente infundadas, visto a quantidade de registros históricos autênticos verificados desde o primeiro século.

Assim, os adeptos da “Sola Scriptura” recusam toda a Historia escrita antes da rebelião protestante, como se a História tivesse parado por 1.500 anos, a menos que possam distorcê-la para apoiar suas equivocadas crenças doutrinárias.

– “A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar.Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro.Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal” (2Tessalonicenses 2,9-12).

– “Porque virá tempo em que os homens já não suportarão a sã doutrina da salvação. Levados pelas próprias paixões e pelo prurido de escutar novidades, ajustarão mestres para si. Apartarão os ouvidos da verdade e se atirarão às fábulas” (2Timóteo 4,3-4).

– “Mas, se tendes no coração um ciúme amargo e gosto pelas contendas, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade” (Tiago 3,14).

– “Quem de vós me acusará de pecado? Se vos falo a verdade, por que me não credes? Quem é de Deus ouve as palavras de Deus, e se vós não as ouvis é porque não sois de Deus” (João 8,46-47).

– “Se não vos receberem e não ouvirem vossas palavras, quando sairdes daquela casa ou daquela cidade, sacudi até mesmo o pó de vossos pés. Em verdade vos digo: no dia do juízo haverá mais indulgência com Sodoma e Gomorra que com aquela cidade” (Mateus 10,14-15).

Me vejo forçado a concluir que os protestantes não estão interessados em encontrar a verdade; somente estão interessados em seus próprios interesses.

As mentes fechadas estão fechadas para a verdade. Estar fechado à verdade é estar fechado a Ele, que é a Verdade e a Sua Palavra.

Esta observação nos leva ao tema: O ERRO PROTESTANTE DE TER UMA MENTALIDADE FECHADA.

* * *

20. O erro protestante de ter uma mentalidade fechada

O mais difícil de se abrir no mundo é uma mentalidade fechada. As pessoas com este tipo de mentalidade têm suas cabeças enterradas na areia, aparentemente crendo que desfrutam da verdade escondida em sua segurança e protegidas das influências exteriores. Se sentem cômodas onde estão e não querem mudar porque isto requer esforço.

Também estão temerosas de ter que admitir que estão no erro se isto lhes for demonstrado. Isso as situaria em uma batalha com a soberba, raiz de todo o pecado. São vítimas do que é comumente chamado “certeza subjetiva”.

Estão, “sempre a aprender, sem nunca chegar ao conhecimento da verdade” (2Timóteo 3,7).

Certeza objetiva significa que a mente se conforma com a verdade objetiva. A pessoa com certeza objetiva está completamente convencida da verdade porque é a verdade.

A pessoa com a certeza subjetiva está motivada por seus sentimentos, sejam estes baseados na verdade ou não. Aqueles que estão encerrados em sua certeza subjetiva, estão somente enganando-se, pensando que estão corretos simplesmente porque são sinceros no que acreditam. De qualquer forma, a sinceridade é uma espada de dois gumes e pode induzir ao erro, porque uma pessoa também pode estar sinceramente equivocada.

– “Portanto, quem pensa estar de pé veja que não caia” (1Coríntios 10,12).

As pessoas com mentalidade aberta, pelo menos escutarão outros pontos de vista e, por meio de investigações, estudo e oração, poderão tomar decisões cautelosas sobre qual ponto de vista tem a verdade objetiva, a qual o guiará à certeza objetiva.

– “Além disso, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é nobre, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, tudo o que é virtuoso e louvável, eis o que deve ocupar vossos pensamentos” (Filipenses 4,8).

O que diz a Sagrada Escritura sobre a mente fechada?

– “Assim se cumpre para eles o que foi dito pelo profeta Isaías: Ouvireis com vossos ouvidos e não entendereis, olhareis com vossos olhos e não vereis, porque o coração deste povo se endureceu: taparam os seus ouvidos e fecharam os seus olhos, para que seus olhos não vejam e seus ouvidos não ouçam, nem seu coração compreenda; para que não se convertam e eu os sare (Is 6,9s). Mas, quanto a vós, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem! Ditosos os vossos ouvidos, porque ouvem! Eu vos declaro, em verdade: muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes e não o viram, ouvir o que ouvis e não ouviram” (Mateus 13,14-17).

– “A ira de Deus se manifesta do alto do céu contra toda a impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a verdade” (Romanos 1,18).

– “Mas ira e indignação aos contumazes, rebeldes à verdade e seguidores do mal” (Romanos 2,8).

Pois bem, aqui está. Como aqueles com que têm uma certeza subjetiva, resultante de uma mente fechada, poderão algum dia encontrar a verdade?

A resposta é que não encontrarão, a menos que abram as suas mentes.

A Escritura, como foi mostrado, nos manda abrir nossas mentes para explorar todas as avenidas apresentadas em nossa busca pela verdade.

Os protestantes dizem seguir SOMENTE a Escritura.

Percebe-se que tendem a fazê-lo SOMENTE quando vai de encontro com as suas opiniões pessoais, cada qual com a sua própria “certidão subjetiva” individual.

De todas as formas, a Sagrada Escritura especifica claramente que devemos buscar a verdade e não podemos fazer nada disso enquanto estamos ancorados em uma mentalidade fechada.

* * *

21. O erro protestante da arrogância

Arrogância:

1. É ter um orgulho dominante, altivez, soberba, desprezo pelos outros.
2. É ter uma atitude superior, fazendo as pessoas se sentirem inferiores.
3. É mostrar uma atitude rebelde e desobediente diante da autoridade.

Este comportamento é comumente exibido por muitas (mas não todas) seitas protestantes.

O oposto da arrogância é a humildade. O oposto da desobediência é a obediência. Por favor, alguém poderia me mostrar o versículo em que Jesus nos ensina a ser arrogantes e não humildes? Por favor, mostre-me onde ensina a desobediência em lugar da obediência…

Ele foi obediente e humilde através dos Evangelhos. Então não devemos imitá-lo?

Ele foi obediente e mostrou humildade à sua Mãe Maria e a São José, depois de ter sido encontrado no Templo (Lucas 2,51); e à sua mãe em Caná (João 2,3-10). Somente imaginemos: aqui está o Criador do Universo, em humilde obediência a uma criatura que Ele mesmo havia criado. Obedeceu a Pilatos, a Herodes, ao regime romano (Marcos 12,17), inclusive a Sua morte na cruz.

– “O maior dentre vós será vosso servo. Aquele que se exaltar será humilhado e aquele que se humilhar será exaltado” (Mateus 23,11-12).

– “Semelhantemente, vós outros que sois mais jovens, sede submissos aos anciãos. Todos vós, em vosso mútuo tratamento, revesti-vos de humildade; porque Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes (Pr 3,34). Humilhai-vos, pois, debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele vos exalte no tempo oportuno” (1Pedro 5,5-6).

Mais dois versículos ignorados pelos protestantes.

Para aqueles protestantes que se auto-enaltecem devido a uma arrogância instigada, como podem justificar suas ações frente ao que Jesus Cristo estabeleceu como exemplo para seguirmos?

Onde está a humildade no protestante ao invés da arrogância?

Onde está a obediência ao invés da desobediência? Martinho Lutero foi obediente? Foi humilde?

* * *

22. O erro protestante de usar lentes com bloqueadores

Para chegar à verdade, devemos olhar através dos prismas dos olhos de Jesus Cristo, que é a Verdade (João 14,6).

Os protestantes consistentemente veem as coisas através de lentes com bloqueadores em ambas as superfícies, predispostos e totalmente alheios ao apresentado fora do pequeno campo de sua visibilidade, lendo somente material e livros protestantes.

Quando lhes é pedido para comprovar o que dizem, com documentos legítimos e históricos, invariavelmente citam frases de algum outro protestante, pois não têm onde recorrer.

Tais citações novelescas não oferecem “provas” contundentes, visto que nem sequer vêm de documentos históricos fidedignos, mas de meras opiniões de seus autores.

Uma pessoa pensante e inteligente, que utiliza o dom do sentido comum explorará todas as alternativas disponíveis para chegar à verdade, independentemente de quem tenha sido o autor. Como um exemplo fundamental, menciono o fato de se recusarem a ler a multidão de escritos resultantes de tantos cristãos que viveram antes da Revolta Protestante.

“As Confissões” de Santo Agostinho (354-430 d.C.) é o segundo livro mais lido de todos os tempos depois da Sagrada Escritura e é muito aplicado em nossas vidas; assim, os protestantes ignoram este tesouro recheado de lições referentes à nossa relação com Deus.

Existem milhares de livros, produtos de brilhantes autores de cada século, consistente e intencionalmente ignorados pelos protestantes devido ao fato de lerem somente os escritos posteriores ao século XVI.

Assim, pois, desconhecem a enorme fonte de uma tremenda coleção de fascinantes e genuínos escritos históricos dos primeiros quinze séculos do Cristianismo. Este material é fácil e gratuitamente encontrado na Internet, além de livrarias e bibliotecas.

Percebo, assim, que estes estão temerosos de ler os primeiros escritos Cristãos, inclusive escritos seculares, como livros de historia não tendenciosos, inclusive enciclopédias, por medo do que irão encontrar ali.

Se uma pessoa quiser saber quem fundou qual igreja, consultando uma enciclopédia secular, pode encontrar a resposta.
23. O erro protestante de fazer pouco caso do que não é de seu interesse

O que se é experimentado nas milhares de ocasiões que lhes damos respostas detalhadas às suas acusações anticatólicas, comprovando inclusive com a Sagrada Escritura que suas acusações não têm fundamento, é que voltam com a mesma acusação sem nem sequer ler o que lhes foi enviado e dito.

Isto me diz que o ódio que nutrem pela Igreja Católica é maior que o amor que têm por Deus e que somente estão interessados em suas próprias ideais.

– Salmo 81,5: “Eles não querem saber nem compreender; andam nas trevas, vacilam os fundamentos da terra”.

– Romanos 1,21-22: “Tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus… antes se desvaneceram. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. Pelo contrario, EXTRAVIARAM-SE EM SUAS VÃOS PENSAMENTOS E SE LHES OBSCURECEU O CORAÇÃO INSENSATO”.

* * *

24. O erro protestante de faltar uma força raciocinaste

Tudo o que tem ligação com Deus e sua Igreja é tão simples que qualquer pessoa racional deveria refletir por si mesma.

Temos a verdade nas palavras de Jesus Cristo e o poder de refletir com a lógica básica para discernir essas palavras apropriadamente.

Simplesmente observemos a abundância de versículos enfatizando a Unidade e a Verdade:

1. Há um só Deus (Efésios 4,6).
2. Há uma só verdade (João 14,6; 17,17).
3. Há um só Espírito Santo (Efésios 4,4).
4. Há um só rebanho (João 10,16).
5. Há um só Pastor para este rebanho (João 10,16).
6. Há uma só Igreja (Salmo 127,1; Mateus 16,18; 1Coríntios 3,11; Efésios 1,22; 4,5).
7. Há uma só autoridade (Mateus 18,15-18; João 20:21-23).
8. Há uma só Bíblia (Gálatas 1,8-9).
9. Há uma só interpretação da Bíblia (Atos 8,30-34; 2Pedro 3,14-17).
10. Há um só batismo (Efésios 4,5).
11. Há um só sacerdócio (Hebreus 7,11-17).
12. Todos nós devemos ser um (João 17,20-23).
13. Estamos obrigados a buscar a verdade (2Tessalonicenses 2,13; Tiago 3,14; 2João 1,1-4).
14. Graves consequências esperam aqueles que não revelam a verdade (Romanos 1,18).
15. Graves consequências esperam aqueles que não aceitam a verdade (Romanos 2,8).
16. Graves consequências esperam aqueles que não dizem a verdade (Apocalipse 21,8.27).
17. Temos só uma vida e temos de vivê-la corretamente nesta única oportunidade (Hebreus 9,27).

Qualquer coisa que contradiga, ainda que seja um só destes versículos listados, não vem de Deus e sim do autor da divisão e da confusão.

Com todos estes “UM” acima mencionado, o que motiva os protestantes a não mostrar seu poder de reflexão e análise, e ver que não cumprem com o que a Sagrada Escritura manda?

Mais de 35.000 divisões protestantes violando cada um ou vários versículos mencionados na lista acima, como os de número 4, 5 e 6.

Todas as seitas ensinando diferentes doutrinas, infringindo o versículo do número 2 acima.

Nenhuma delas tem autoridade; veja o número 7.

Certamente todas elas quebram o número 9, com seus costumes de “interpretar individualmente” a Sagrada Escritura.

Por que é tão trabalhoso para eles refletirem que, para se ter Uma Só Verdade, deves haver Uma Só Autoridade?

É assim tão simples, mas os protestantes não podem compreendê-lo; e suas milhares de dezenas de seitas comprovam isso.

Depois de tudo, por meio de uma simples reflexão e sentido comum, é fácil ver que Deus não nos haveria dado UM livro infalível sem haver nos dado UM intérprete infalível para nos explicar.

* * *

25. O erro protestante de rejeitar a maioria dos Sacramentos

A maioria das seitas protestantes tem somente dois sacramentos.

Não explicitarei aqui o que eles rejeitam, mas mencionarei o sacramento do matrimônio.

A união de um homem e uma mulher em matrimonio é um ato Sagrado, visto que não é feito somente entre eles, mas em trio cooperativo com Deus. A Sagrada Escritura é clara ao dizer que a união é para sempre, sem ser quebrada por caprichos e enganos. De qualquer forma, as seitas protestantes consentem no divórcio, ignorando mais ainda a Sagrada Escritura.

– “Por isso o homem deixa o seu pai e sua mãe para se unir à sua mulher; e já não são mais que uma só carne” (Gênesis 2,24).

Porque os protestantes dividem a “Uma Só Carne” através do divórcio? Até porque é Anti-Deus e antibíblico.

Um matrimônio válido aos olhos de Deus é indivisível:

– “Os fariseus vieram perguntar-lhe para pô-lo à prova: É permitido a um homem rejeitar sua mulher por um motivo qualquer? Respondeu-lhes Jesus: Não lestes que o Criador, no começo, fez o homem e a mulher e disse: Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e os dois formarão uma só carne? Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu” (Mateus 19,3-6).

Se o “Um Só Corpo” é dividido pelo homem, o que resta? Duas metades separadas?

Interpretando textualmente a Sagrada Escritura com a mentalidade protestante, é isso o que restará. De qualquer forma, aos olhos de Deus, os dois ainda estão casados até que a morte os separe.

* * *

26. O erro da Inconsistência dos Ensinamentos Protestante

Visto que Deus nunca muda e muito menos muda sua palavra, por que então os protestantes mudam seus ensinamentos dependendo do rumo do vento? Seus ensinamentos se encaixam mais e mais sobre a linha da pressão secular, ao invés de se manter no que foi ensinado originalmente. Alguns exemplos disto:

1. Seus ensinamentos relacionados a Santíssima Virgem Maria:

Como já foi mencionado nos outros artigos, os [primeiros] reformadores protestantes amaram a Mãe de Deus; como seus herdeiros não a amam e, além disso, ainda desdenham de Maria?

2. Todas as igrejas cristãs em algum momento proibiram o aborto:

Agora muitas seitas protestantes o aceitam. Por acaso Deus mudou de ideia a respeito? Será que agora Deus é pró-aborto? Muitos protestantes o são…

3. Todas as igrejas cristãs em alguma ocasião não ordenavam mulheres:

Agora as temos em muitas seitas protestantes: anglicanos, metodistas, episcopais, para mencionar algumas. Seu “prêmio” por fazer isso: o declínio de seus membros. Não seria mais um temor e uma resposta às pressões do movimento secular feminista?

4. Anticoncepção e a Conferência de Lambeth:

Antes de 1930, todas as igrejas protestantes centrais estavam de acordo com a Igreja Católica no que se refere ao pecado da anticoncepção. Em 1930 a Igreja Anglicana convocou a Conferência de Lambeth, declarando a aceitação dos anticonceptivos sob certas condições. Desde então, as condições se foram suavizando até desaparecer totalmente. Atualmente todo o Protestantismo apoia a contraconcepção. Não seria isso um resultado claro da pressão secular, em razão da afirmação: “Queremos contracepção incondicional”?

Hoje, a Igreja Católica é a única que permanece firme nesta questão! E Deus a apoia, estando do seu lado (Atos 5,38-39; Romanos 8,31; Efésios 5,23).

Leia o documento profético escrito pelo Papa Paulo VI, publicado em 25 de julho de 1968, no qual adverte o mundo para as consequências futuras de se haver a permissão da continuação da contracepção.

Agora, olhemos ao nosso redor e comparemos as palavras proféticas com o caos que se encontra o mundo atualmente; é exatamente como foi predito pelo Papa há mais de 45 anos.

Este desastre atual, referente às consequências da contracepção, foi incitado e implementado pelo voto protestante às diversas pressões seculares, sucumbindo aos desejos humanos em oposição à vontade de Deus.

E aqui, outro versículo adicional sobre este tema, abandonado pelos protestantes e obedecido claramente pela Igreja Católica em sua firmeza de “não ceder as pressões mundanas”:

– Atos 5,29: “Pedro e os apóstolos replicaram: Importa obedecer antes a Deus do que aos homens”.

* * *

27. As semelhanças do Protestantismo com o erro do Islã

No Islã, é somente o Al Corão;
No Protestantismo, é somente a Bíblia.

No Islã existe a extrema direita, ensinando que o Alcorão não está casado, unido à violência, enquanto que a extrema esquerda diz o oposto, que o alcorão está sim unido à Jihad ou guerra santa.
No Protestantismo, encontramos extremas semelhanças entre a direita e a esquerda como no Islã. Enquanto um lado interpreta as Escrituras de uma forma, o outro, invariavelmente, a entende de modo contrário.

Cada doutrina ensinada por uma seita protestante é negada por outra, como foi mencionado anteriormente. Por exemplo :

– O inferno existe, o inferno não existe.
– Batizar crianças, não batizar as crianças.
– Jesus Cristo é Deus, Jesus Cristo não é Deus.
– Observar o sábado, observar o domingo.

Etc., etc., etc., etc. E assim é contraditória a doutrina cristã protestante, exceto no básico: que Deus existe.

Então qual a raiz do problema? Jesus Cristo ensinou somente Uma Verdade? Ou não?

Se tomarmos um revólver protestante e um islâmico, e dispararmos uma bala contra a parede com cada um, ao examinarmos os buracos de cada projétil, o que veríamos? Um disseminação de opiniões pessoais, direitistas, esquerdistas, conservadoras, etc. De qualquer forma, quem seria o centro ou base de cada padrão? Pode-se nomear a pessoa?

Não pode – nem o Protestantismo, muito menos o Islã – ter nenhuma autoridade central para se tomar uma decisão definitiva a respeito da verdade de nenhuma de suas doutrinas percebidas.

A única autoridade que o Protestantismo acredita ter está registrada na marca disseminada do disparo, visto que cada protestante atua como seu próprio papa.

Agora, tome um revólver católico e faça a mesma prova, quem está no centro agora?

A resposta para a pergunta “Qual a raiz do problema”? É que nem o Protestantismo e nem o Islão tem nenhuma autoridade central.

Ambos estão ancorados a um livro, que pode ser interpretado de tantas formas quanto há cabeças. E Martinho Lutero lamentou isso em certa ocasião, como já descrito anteriormente.

Consequentemente, ambos terminam em inacabáveis disputas, contendas, controvérsias internas, pleitos, frações e caos. Sobre qual cabeça está a interpretação correta de seus respectivos livros?

Para o protestantismo, é a Torre de Babel novamente.

* * *

28. O erro protestante do crucifixo sem Cristo

Os protestantes, aparentemente, honram mais a São Paulo que a São Pedro. Então, por que são mais negligentes em seguir os ensinos referentes ao crucifixo?

O crucifixo é negado pelos protestantes; de todo modo, São Paulo ensinou:

– “Mas nós pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e loucura para os pagãos” (1Coríntios 1,23).

Como alguém pode pregar um Cristo crucificado com um crucifixo vazio, sem Cristo?

– “Julguei não dever saber coisa alguma entre vós, senão Jesus Cristo, e Jesus Cristo crucificado” (1Coríntios 2,2).

– “Ó insensatos gálatas! Quem vos fascinou a vós, ante cujos olhos foi apresentada a imagem de Jesus Cristo crucificado?” (Gálatas 3,1).

– “Em seguida, Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. (Mateus 16,24)

“Absolutamente nada pode ser identificado com uma cruz vazia, pois nenhum de nós fomos ressuscitado dentre os mortos” (Padre Benedict Groeschel).

Não há Cristo sem cruz e não há cruz sem Cristo.

* * *

29. O erro protestante da Hipocrisia

Os protestantes negaram o Purgatório porque não puderam encontrar a palavra na Bíblia, ainda que a própria doutrina esteja na Bíblia.

Por que então, a maioria deles crê na Trindade quando esta palavra também não está na Biblia?

Hipocrisia?

Por que os protestantes creem em algo chamado “o rapto” quando, curiosamente, não encontramos esta palavra na Bíblia?

Hipocrisia?

Os protestantes dizem que se não está na Bíblia não acreditarão…. Uh-la-lá, Sola Scrptura!

Simplesmente por se tratar da “Sola Scriptura”, nem eu, nem eles, nem ninguém mais pode encontrar as palavras da doutrina da Sola Scriptura em nenhuma parte da Bíblia.

Como podem crer nesta doutrina se nem sequer podem encontrá-la na Sagrada Escritura?

Isso não é ser hipócrita, especialmente neste tema?

Os protestantes declaram que a Igreja Católica é corrupta; ao mesmo tempo, proclamam que a Bíblia é infalível. De qualquer forma, é um resultado inevitável, comprovado pelos fatos históricos, que a Bíblia certamente nos chegou às mãos graças a Igreja Católica. Portanto, estão eles dispostos a admitir que a “Igreja Corrupta” lhes deu uma Bíblia corrupta? Ou por outro lado, estão dispostos a admitir que foi uma Igreja Infalível que proporcionou uma Bíblia Infalível?

De que modo deve ser? Uma Igreja Corrupta e uma Bíblia Corrupta ou uma Igreja Infalível e uma Bíblia Infalível?

Por que os protestantes aceitam a decisão infalível, feita pelos bispos [católicos] nos Concílios da Igreja Católica para estabelecer o cânon do Novo Testamento, enquanto que, ao mesmo tempo, negam as decisões feitas pelos mesmos Concílios e Bispos para estabelecer o cânon do Antigo Testamento?

Hipocrisia?

Por que os protestantes constantemente se dividem formando novas seitas quando não existem versículos na Bíblia autorizando fazer isso? A Escritura tem muitos versículos falando da unidade no Cristianismo e adverte os que causam divisões (1Coríntios 1,10-13 e 1Timóteo 6,3-5). Não é divisão ter mais de 35.000 seitas protestantes, cada uma pregando coisas diferentes das outras?

Não é hipocrisia esta separação sem fim para os supostos adeptos do “somente a Bíblia”?

Por que algumas seitas protestantes negam que a Igreja Católica é mencionada na Bíblia e depois acusam a Igreja, dizendo que é mencionada como “a Grande Babilônia” e “a Besta do 666”?

Coisa curiosa: capitalizando a doutrina da “Sola Scriptura” e pondo-a em prática, simplesmente não encontro referência à Igreja Católica na Escritura; mas não me surpreende, visto que eles fabricaram centenas destas…

Ah, sim! “Sola Scriptura” – invenção humana e falsa do Protestantismo, trabalhando mais frequentemente contra do que pensam que trabalha para seus proveitos.

Não é prova de que estão sendo hipócritas?

Por que os supostos seguidores da Bíblia condenam os católicos e a Igreja Católica, com denuncias ilusórias e ódio quando a Sagrada Escritura claramente diz: “Amar teu próximo como a ti mesmo”? Será por hipocrisia?

– “Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Respondeu Jesus: Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito (Dt 6,5).Este é o maior e o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás teu próximo como a ti mesmo (Lv 19,18). Nesses dois mandamentos se resumem toda a lei e os profetas” (Mateus 22,36-40).

Onde diz na Sagrada Escritura que se deve amar todo próximo, exceto um católico? Os ministros de algumas seitas protestantes atualmente pregam o ódio a Igreja Católica a partir do púlpito.

Que tipo de ministros são estes, pregando o ódio entre as pessoas ao invés de ensinar o biblico “amor ao próximo”?

Quero agradecer a todos aqueles protestantes que perseguem a Igreja Catolica e os católicos, porque tudo que estão ganhando com isto é ajudar os católicos a ganharem uma recompensa maior no céu, entenderam?

– “Bem-aventurados sereis quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo o mal contra vós por causa de mim. Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus, pois assim perseguiram os profetas que vieram antes de vós” (Mateus 5,11-12).

* * *

30. O erro protestante da Regra Democrática

Jesus Cristo fundou claramente uma Igreja Teocrática. É um reino, o Reino de Deus. É o Rei quem possui total governo sobre Seu Reino.

“E sujeitou a seus pés todas as coisas, e o constituiu chefe supremo da Igreja, que é o seu corpo, o receptáculo daquele que enche todas as coisas sob todos os aspectos” (Efésios 1,22-23).

Jesus Cristo, o Rei, é a cabeça de sua Igreja e a Igreja é Seu Corpo. Em uma teocracia, a cabeça sempre diz ao corpo o que fazer.

“Ora, assim como a Igreja é submissa a Cristo, assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos” (Efésios 5,24).

Quando que o corpo vai dizer a cabeça o que fazer?

Assim é exatamente como operam muitas seitas protestantes. Esse governo se chama democracia, o governo de pessoas. Quantos assuntos no protestantismo são decididos por votos de pessoas? Há alguns anos, uma das principais denominações protestantes decidiu, por votação de seus membros, dividir-se mais uma vez.

Este não é o tipo de governo instituído por Deus para a Sua Igreja.

* * *

31. O erros anti-bíblicos a que se seguram os protestantes

Parte deste capítulo é um resumo do que vem sendo apresentado, mas com algumas complementações:

Como os protestantes explicam o seguinte?

1. O conceito humano da “Sola Scriptura” é antibíblico. Onde está a palavra “Sola Scriptura” e os versículos que a descreve? Venho investigando há anos e nenhum protestante pêde me mostrar (Hebreus 13,9).

2. A Interpretação pessoal da Sagrada Escritura é antibíblica (2Pedro 1,20).

3. Apoiar o aborto é antibíblico (Êxodo 20,13).

4. Apoiar a contracepção é antibíblico (Genesis 38,9-10).

5. A divisão do Corpo de Cristo é antibíblico (João 10,16).

6. A regra da opinião pessoal é antibíblica (Marcos 12,14).

7. Caluniar outro ser humano é antibíblico (João 15,12).

8. Caluniar a Igreja fundada por Jesus Cristo é antibíblico (1Coríntios 15,9).

9. Insultar e degradar a Mãe de Deus é antibíblico (Lucas 1,48).

10. Julgar outra pessoa é antibíblico (Lucas 6,37).

11. Faltar em obedecer o significado do “UM” (a unidade) é antibíblico (Efésios 4,1-6).

12. Ter sacerdotisas é antibíblico (João 15,16).

13. Reger-se por opiniões de homens em lugar da vontade de Deus é antibíblico (Atos 5,29).

14. Negar aceitar a verdade quando se é apresentado a ela é antibíblico (Romanos 1,18; 2,8).

15. Não buscar a verdade é antibíblico (Romanos 2,8).

16. Mentir nos ataques contra a Igreja Católica é antibíblico (Êxodo 20,16; Apocalipse 21,27).

17. Aderir ao sábado, como algumas seitas protestantes o fazem, é antibíblico (Colossenses 2,16).

18. A falta de consistência nos ensinamentos protestantes é antibíblico. A verdade não muda (João 14,6).

19. Recusar parte da Sagrada Escritura é antibíblico (Tiago 2,10).

20. Uma vez salvo, sempre salvo é antibíblico (Filipenses 2,12).

21. Salvação somente pela fé é antibíblico (Tiago 2,24).

22. Salvação somente pela graça é antibíblico (Tiago 2,24).

23. Manter a mente fechada é antibíblico (Romanos 2,28).

24. Recusar a autoridade é antibíblico (Hebreus 13,17).

25. Atuar sem autoridade é antibíblico (Mateus 18,15-18; Hebreus 13,17).

26. Deturpar a Bíblia para amoldá-la a um falso ensinamento é antibíblico (2Pedro 3,16).

27. Adicionar ou subtrair na Escritura, como alguns fazem, é antibíblico (Deuteronômio 4,2; Apocalipse 22,18-19).

28. Seguir falsos profetas, como várias seitas fazem, é antibíblico (Mateus 7,15).

29. A Revolta Protestante foi antibíblica (Hebreus 13,17)

30. Ceder às pressões dos movimentos seculares é antibíblico. A verdade nunca pode ser comprometida (Atos 5,23).

* * *

32. O erro protestante das invenções não-Biblicas

1. O Rapto:

Simpático, mas não encontro a palavra “rapto” na Bíblia.

Por acaso a “Sola Scriptura” fracassou de novo?

Esta crença falsa foi primeiramente apresentada por John Nelson Darby, em 1827, e promovida por Cyrs Scofield, em uma anotação bíblica de sua “Referência Bíblica de Scofield”, de 1909.

2. Denominacionalismo:

Onde na Bíblia pode ser encontrado esta prática tão ampla no meio protestante?

3. A “Igreja Invisível”:

Outra estratégia para degradar a Igreja Católica.

A Sagrada Escritura é clara em afirmar que a Igreja que Jesus Cristo fundou é extremamente VISÍVEL (Mateus 5,14-16).

4. A “depravação total do homem”

Este ensinamento tampouco é bíblico.

5. A predestinação

Um invento do protestantismo Calvinista. Não é Bíblico.

* * *

33. O erro da mentira Protestante

– “Os tíbios, os infiéis, os depravados, os homicidas, os impuros, os maléficos, os idólatras e todos os mentirosos terão como quinhão o tanque ardente de fogo e enxofre, a segunda morte” (Apocalipse 21,8).

Ignorado por todos os inimigos da verdade. Ler também Apocalipse 21,27.

É um fato que Jesus fundou somente Uma Igreja.

1. Por que então os protestantes ignoram, continuando a divisão do Corpo de Cristo?

2. Não existe um protestante que possa remontar sua Igreja antes da Reforma Protestante do Século XVI.

Em primeiro lugar, de onde tiram tal versículo que os autoriza a separarem-se da primeira Igreja?

3. Nenhum protestante pode mostrar que sua igreja foi fundada por Jesus cristo e a Escritura diz que há somente Uma Igreja, fundada por Deus (Salmo 127,1; Mateus 16,18).

4. Eles negam que a Igreja Católica é a mesma Igreja que Jesus instituiu e, ao mesmo tempo, não podem denominar qual foi então erigida em seu lugar. Não é estranho que a Escritura tenha dito que a Igreja de Cristo perduraria para sempre (Isaias 2,2; 59,21; Mateus 28,20; Efésios 3,21) e os protestantes se recusam a denominá-la?

Se pode-se crer totalmente na Sagrada Escritura, por que negam denominar a Única Igreja de Deus?

5. Não podem denominar a pessoa que instituiu a Igreja Católica, negando ao mesmo tempo que tenha sido Jesus Cristo. Também isto é estranho, visto que cada igreja protestante tem alguém como fundador. Por que se negam a denominar o fundador da Igreja Católica?

Não é a personificação da arrogância?

6. Por que promovem a mentira de que a Igreja Católica apostatou logo depois que morreu o último apóstolo? Por que a Igreja atual não seria a Igreja fundada por Jesus Cristo?

Esta mentira bate de frente com Mateus 16,18: os protestantes deveriam então admitir que as “portas do inferno” prevaleceram, que a Bíblia errou e que todos os versículos previamente expostos, que prometem a perpetuidade da Igreja de Cristo, também estão errados.

Esta mentira chamada “Grande Apostasia” é magnificada à potência máxima, visto que nenhum protestante pode produzir um só documento histórico e verídico que tenha registrado tal “evento monumental, agitando o universo”. Cada autor que vivia naquele tempo deveria ter sido testemunha do suposto “profundo acontecimento”; mas aqueles que viveram desde então (até a Reforma) muito menos escreveram a respeito.

Como se pode revelar o Corpo de Cristo abandonando a sua cabeça? São eternamente inseparáveis.

– “As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor, pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador” (Efésios 5,22-23).

De acordo, protestantes? Expliquem este versículo! Realmente Cristo é o salvador de Seu Corpo, mas será que por durante 1517 anos, o abandonou como os Protestantes querem que cremos? A Bíblia estaria equivocada novamente e os protestantes corretos?

Vamos crer nessa mentira protestante ou na verdade da Palavra de Deus?

Lembram-se da história do joio e do trigo, em que ambos coexistiam até o fim, quando então seriam separados e queimado o joio (Mateus 13,24-30)?

“Em primeiro lugar, ouço dizer que, quando se reúne a vossa assembleia, há desarmonias entre vós. E em parte eu acredito.É necessário que entre vós haja partidos para que possam manifestar-se os que são realmente virtuosos” (1Coríntios 11,18-19).

Em outra tradução:

“Pois, em primeiro lugar, ouço dizer que quando se reúnem como igreja há divisões entre vocês e em parte eu acredito. Sem dúvida tem que haver grupos sectários entre vocês para que se demonstre quem conta com a aprovação de Deus” (1Coríntios 11,18-19).

Deste versículo temos o exemplo perfeito da apostasia individual dentro da Igreja: aqueles que causam divisões e frações. Agora, conforme o que é explicado em muitos parágrafos deste artigo, quem é o causador das divisões e das frações?

Nada mais que o Protestantismo, que até agora criou mais de 35.500 divisões e frações, número este que aumenta incessantemente a cada semana, inclusive dia a dia.

Quem são os “aprovados de Deus entre vocês”?

São os fieis da única Igreja instituída por Jesus Cristo, a mesma que ainda está conosco há 2000 anos depois de tanta perseguição. Vale a pena ler Atos 5,38-39 para encontrar a razão desta longevidade.

Para aqueles que continuam promovendo a mentira denominada e inexistente “Grande Apostasia”, por favor leiam Apocalipse 21,8 e aventurem-se em explicar Efésios 5,23-24.

7. Quantos versículos foram apresentados neste artigo, que são ignorados pelos protestantes? Por acaso não é mentira dizer que segue a Sagrada Escritura literalmente, ao pé da letra, ignorando tantos versículos?

8. Por que os protestantes, que tomam a Bíblia textualmente, deixam de lado o capitulo 6 de João, a que chamam de “simbólico”? Somente um capitulo em toda a Bíblia é simbólico? Como isso é possível?

9. Como podem os protestantes dizer que a “Sola Scriptura” é usada desde o primeiro dia, quando durante 1400 anos não havia Bíblias disponíveis e acessíveis como hoje e, ainda que houvesse (hipoteticamente), de que adiantaria se a grande maioria era analfabeta?

10. Visto que os protestantes creem que “toda a Escritura é inspirada” (2Timóteo 3,16), por que não está na Bíblia protestante os Evangelhos de Pedro, Felipe, Nicodemos, Bartolomeu, André, Tomé etc.?

11. Onde na Sagrada Escritura diz-se que Jesus deu instruções de que a fé cristã tinha que ser baseada somente em um conjunto de livros? Que tal a mesma pergunta, mas em vez de Jesus, substituindo-o pelos Apóstolos?

12. Por que os protestantes dizem que a Bíblia é a Coluna e o Fundamento da verdade quando a própria Bíblia diz claramente que “é a Igreja” (1Timóteo 3,15)? Por favor, algum protestante poderia me dar o nome dessa Igreja?

13. Os protestantes recusam a Tradição Apostólica, quando a Bíblia diz claramente:

– 2Tessalonicenses 2,15: “Conservai as TRADIÇÕES que aprendestes, seja por PALAVRAS ou por cartas nossas”

Outro versículo ignorado pelos protestantes…

14. Por que os protestantes negam que a Bíblia provém da Igreja Católica, quando não podem denominar ao menos uma verdadeira e provável fonte alternativa?

E isto porque existem, literalmente, centenas de documentos históricos fidedignos, comprovando que estão equivocados nesta negação.

15. Os protestantes negam que a Pedro foi dada a primazia em Mateus 16,18. Nada na Bíblia é feito sem ter algum propósito. Qual foi o propósito de Jesus ao mudar o nome de Simão para Pedro?

16. Por que os protestantes negam que o Papado é antibíblico, quando de fato é muito bíblico?

17. Por que os protestantes não têm como prover um documento histórico legítimo para “provar” suas falsas denúncias? E por quê?

A mentira nunca pode ser provada, não é verdade?

É simples: se não tem verdade, então não há como provar.

Nós, católicos, sim, podemos e o fazemos, oferecendo documentos históricos verídicos, que provam os ensinamentos da nossa Igreja.

Por que os protestantes não querem ou nunca leem estes documentos? Romanos 1,18; 2,8.

18. Por que os protestantes refutam a linha direta de sucessão dos Papas através dos séculos, desde São Pedro até o presente Papa, quando a Igreja Católica tem dado acesso livre a qualquer um que queira investigar e comprovar esta verdade com documentos fidedignos?

Mas os protestantes se negam a lê-los. Essa informação se localiza, ainda, em qualquer enciclopédia secular.

19. Por que os protestantes acusam a Igreja Católica, que existe desde o século I, quando centenas de documentos históricos assim o informam, escritos por homens e mulheres, santos e virtuosos, disponíveis gratuitamente para provar suas falsas acusações?

– “Porque não há nada oculto que não venha a descobrir-se, e nada há escondido que não venha a ser conhecido” (Lucas 12,2).

– “E assim como se recolhe o joio para jogá-lo no fogo, assim será no fim do mundo. O Filho do Homem enviará seus anjos, que retirarão de seu Reino todos os escândalos e todos os que fazem o mal e os lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes. Então, no Reino de seu Pai, os justos resplandecerão como o sol. Aquele que tem ouvidos, ouça” (Mateus 13,40-43).

– “Fazei todas as coisas sem murmurações nem críticas, a fim de serdes irrepreensíveis e inocentes, filhos de Deus íntegros no meio de uma sociedade depravada e maliciosa, onde brilhais como luzeiros no mundo” (Filipenses 2,14-15).

“A verdade sempre tem perturbado as pessoas e nunca é cômoda” (Card. Ratzinger, 9 de Outubro de 2000).

De qualquer forma, quem se negar a reconhecer a verdade na vida, será forçado a confrontá-la na morte. Mas então já será muito tarde. Não é assim? Porque nesse momento do tempo, o Deus da Misericórdia repentinamente será o Deus da justiça (v. Gálatas 4,16).

Fonte: Site Exsurge Domini. Tradução: Rogério SacroSancttus

 
 

Tags: ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: