RSS

A submissão feminina x Feminismo

29 out
A submissão é uma benção que muitas mulheres nestes tempos pós-modernos rejeitam. A sociedade cada vez mais competitiva tem estimulado os casais a entrar nesta louca avalanche de medição de forças, em vez de buscar uma vivência complementadora.

O tema submissão como papel feminino é considerado descontextualizado, senão antiquado, para mente feminina do século XXI. O movimento feminista dita as regras do que é politicamente correto na sociedade, constrangendo os cristãos se posicionarem. Entretanto, a Palavra de Deus determina uma relação conjugal onde o marido sempre exerce a liderança em seu lar e na sociedade. Mas, para conferirmos se estamos falando a mesma linguagem quando usamos a palavra “submissão” vamos esclarecer que:

1. Submissão não significa que a mulher é inferior ao homem. É notório que há muitas mulheres mais capazes do que os homens. Existe um grande número de mulheres que são mais inteligentes, dinâmicas, organizadas e etc. Todavia, as suas virtudes e dons devem ser usados para potencializar as virtudes dos maridos e estimular a sua liderança.

2. Submissão não significa que a esposa deve anular a própria maneira de pensar. Se ela fizer isto, estará sendo insubmissa pela omissão do seu papel como auxiliadora.

3. Submissão não significa desistir de influenciar o marido. Muitas vezes, nós maridos estamos errados, mesmo que sinceramente errados, a companheira não pode omitir a sua opinião, nem desistir de se esforçar em demonstrar no que a liderança do marido poderá prejudicar toda a família.

4. Submissão não significa que ela deve render-se a toda exigência de seu marido. A mulher não é um objeto do seu esposo, pelo contrário, Deus a criou em igualdade de valor, e deve ser respeitada em suas opiniões, necessidades, anseios, sentimentos e limitações.

Mas, o que significa submissão? Submissão é aceitar a liderança do marido, auxiliando-o, e respeitando a sua autoridade em todas as esferas da sociedade. A autoridade que pertence ao homem não é imposta à mulher, mas deve ser conquistada. Mas qual é a relação que Deus estabeleceu para o homem e a mulher? Podemos resumir didaticamente esta relação em quatro proposições:

1. Homens e mulheres são iguais em valor diante de Deus.
2. Homens e mulheres têm diferente papéis no lar, na igreja e na sociedade.
3. Homens e mulheres têm funções complementares.
4. Homens em tudo têm a primazia de autoridade.

As quatro principais qualidades masculinas para que a esposa possa sentir segurança em seguir e submeter-se ao marido são:

1. Liderança. O marido deve ser alguém que tem iniciativa, firme decisão, coragem e envolvimento no processo que lidera.

2. Protetor. A esposa necessita sentir-se confiante que o seu marido se esforçará para prover segurança, tendo boas intenções na liderança do lar.

3. Amoroso. A submissão está no coração da mulher, e é pelo coração que o marido atraí e lidera a sua companheira. O amor masculino é o fator que fará com que a esposa sinta prazer em ser submissa.

4. Provedor. É neste ponto que algumas esposas têm encontrado dificuldade em ser submissas aos seus maridos. Quando o homem se acomoda, e desiste de ser o provedor do seu lar, a mulher por necessidade da circunstância não se omite. Todavia, as esposas em vez de assumirem este papel devem exigir dos seus esposos o exercício da sua responsabilidade.

O casal para que consiga viver a harmonia liderança e submissão precisa:

1. Fortalecer um clima de compatibilidade no casamento.
2. Viver a prática da mutualidade entre os cônjuges.
3. Manter o sentimento de cumplicidade do lar.
 
1 comentário

Publicado por em 29/10/2013 em Feminismo

 

Tags:

Uma resposta para “A submissão feminina x Feminismo

  1. Lindalva Cordeiro Lopes

    17/07/2014 at 10:20 pm

    Tenho uma dúvida, se em tudo o homem tem a primazia da autoridade e ele decidir e ficar irredutível, por exemplo, que a mulher deve renunciar a sua fé e seguir a dele, por exemplo, uma fé espírita kardecista, ela deve se submeter. Ou ele decide que a mulher deverá sustentar a casa, para que ele se realize profissionalmente em uma função que não dá quase rendimentos, ela precisa se render a sua decisão final? Tenho essa dúvida.

     

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: