RSS

Simpatias e superstições são compatíveis com o catolicismo?

30 dez

trevo de quatro folhas

Existem pessoas que dão o primeiro passo somente com o pé direito, comem lentilha no final do ano, usam o branco para atrair bons fluidos, vestem sempre determinada roupa para dar sorte, penduram ferradura atrás da porta, batem na madeira para afastar o azar, não fazem nada no dia 13 e evitam qualquer coisa ligada a esse número, para não falar da “maldição” causada por gatos pretos, passar debaixo de uma escada ou quebrar um espelho. Chama-se a isso de superstição.

Os grandes jornais (que são formadores de opinião) trazem todos os dias o horóscopo, alimentando a indústria da superstição. Pessoas moldam suas vidas por aquilo que os astros “supostamente” indicam. Sabemos que o ser humano anseia por felicidade mas, a qualquer preço?

O QUE É SUPERSTIÇÃO?

amuletos

O termo “superstição” vem do latim “superstitio”. Trata-se de uma crendice sem base na razão ou conhecimento, ligado à maior ou menor “sorte” em determinada situação. Desde a Antiguidade, os povos eram cheios de crenças ligadas a aspectos mágicos, identificando situações que dariam ou não sorte àqueles que seguissem determinadas práticas. Usar a roupa da sorte, a bebida especial, a planta de tal tipo, etc. Podemos afirmar que a superstição seria uma tentativa humana de solucionar seus problemas através de práticas que possam manipular forças sobrenaturais em seu próprio proveito. A idéia inclui fazer com que Deus, os anjos ou até mesmo os demônios possam estar ao seu serviço.

Estas práticas envolvem as tão difundidas “simpatias”, sobretudo quando se aproxima o final do ano. Existem inclusive publicações “especializadas” nessa matéria. Não faltam artistas, jogadores e “intelectuais” a dar seus palpites da melhor simpatia para chamar dinheiro, emprego ou casamento. A explicação está no fato de a pessoa achar que ela mesma poderá resolver todos os seus problemas, sem a intervenção de Deus. Tal desejo é um pecado, um desvio da verdadeira fé, direcionada para objetos como talismãs, cristais, pêndulos, pirâmides etc. A Bíblia tem muito a dizer sobre essa questão: “Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos” (Romanos 1, 25).

COMO NASCEM AS SUPERSTIÇÕES?

gato preto

Vários fatos tornam a superstição altamente sedutora. A principal, sem sombra de dúvidas, é a curiosidade, sobretudo em relação ao que o futuro reserva. Aproveitando-se dessa situação, a mais destacada das práticas supersticiosas, a astrologia, tenta fornecer as respostas a curto, médio e longo prazos. Porém, se alguém fizer uma busca pelos jornais, revistas, rádios e televisões buscando orientação dos astros, e resolvesse compará-las, certamente encontraria, no mínimo, respostas de duplo sentido e conflitantes entre si, revelando, portanto, que é a interpretação subjetiva do astrólogo que determina o “provável futuro”. Será esta a maneira correta de saber o que o futuro nos reserva? E onde fica Deus nessa história?

Além de proteção pessoal, há os que “acendem uma vela para Deus e outra para o diabo”. Sua sede de poder os envolve não com Deus, mas com os poderes das trevas. Enganam-se ao achar que podem controlar os demônios. Ao contrário, são estes que controlam aos ingênuos. Na intenção de dominar, terminam dominados! Isso leva muitos ao submundo do ocultismo, do esoterismo, achando que estes lhes conferirão a fórmula do sucesso sem consequências. Esquecem-se, contudo, de uma verdade absoluta: Só existe um Deus, criador de todas as coisas!

SUAS RAÍZES NA ANTIGUIDADE

superstição

Diziam os antigos que o “o trevo de quatro folhas é portador de felicidade”. Por quê? Pelo fato de raramente ser encontrado. Pobre analogia! Atualmente, existem agricultores que cultivam variedades com quatro folhas para lucrar com a superstição das pessoas.

Diziam também que a “ferradura do cavalo dá boa sorte”. Isso porque, na Roma antiga, as ferraduras eram de ouro e prata. Por conseguinte, encontrá-las equivalia, realmente, a encontrar um pequeno tesouro. Interessante é a resposta popular a essa crendice: “Se ferradura desse sorte, cavalo não puxava a carroça”
Fica uma reflexão para revermos como cada um de nós assume simpatias, superstições e crendices que tantas vezes “trancam” nossas vidas e nos fecham à ação de Deus.

É POSSÍVEL LIBERTAR-SE DO PODER QUE AS SUPERSTIÇÕES EXERCEM?

Claro que sim! Jesus mesmo garantiu: “Se, pois, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres” (João 8,36). Acredite, nenhum mal poderá nos separar do amor de Deus. O apóstolo Paulo pergunta: “Se Deus é por nós, quem será contra nós?” (Romanos 8,31). Assim, não há feitiço, macumba, vodu, superstição ou seja lá o que for, que nos fará mal algum. Deus é maior do que tudo isso. Entregue sua vida totalmente a Jesus, aquele que é o “caminho, a verdade e a vida” (João 14,6). Estando nas mãos do Salvador, você experimentará a Sua força, providência e proteção.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 30/12/2015 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: