RSS

Origem do quadro de Jesus Misericordioso

02 abr

Você já ouviu falar em Jesus Misericordioso? Claro que sim, agora será que conhece a história. Tudo começou com a Irmã Maria Faustina (apóstola da Misericórdia de Deus), mas antes de falarmos sobre a imagem de Jesus Misericordioso vamos conhecer um pouco de Irmã Faustina.

Nasceu em 25 de Agosto de 1905 em Glogowiec, na Polónia central. Filha de Mariana e Stanislao Kowalski foi batizada na igreja de Swinice Warskie e recebeu o nome de Helena. Estudou pouco não chegando a terminar a terceira serie. Aos 16 anos teve que deixar a casa de seus pais e foi trabalhar de domestica para poder manter-se e ajudar aos pais.

Desde a infância Helena sentia o desejo de seguir a Jesus, por diversas vezes durante a juventude tentou autorização dos pais para ingressar na vida religiosa. Não obtendo sucesso, resolveu esquecer a vocação, só que o chamado de Jesus foi maior.

Trecho do diário de Irmã Faustina:

Numa ocasião, eu estava com uma de minhas irmãs num baile. Enquanto todos se divertiam a valer, a minha alma sentia tormentos interiores.

No momento em que comecei a dançar, de repente vi Jesus ao meu lado, Jesus sofredor, despojado de suas vestes, todo coberto de chagas. E que me disse estas palavras: Até quando hei de ter paciência contigo, e até quando tu me decepcionarás?

Nesse momento para mim cessou a música animada. Não vi mais as pessoas que estavam comigo: somente Jesus e eu ali permanecíamos. Sentei-me, depois, ao lado de minha irmã, disfarcei o que tinha se passado comigo, dando a entender que estava com uma forte dor de cabeça.

Em seguida, afastei-me discretamente dos que me  acompanhavam e fui à catedral de S. Estanislau Kostka. Já começava a anoitecer e havia poucas pessoas na catedral. Sem prestar atenção a nada do que ocorria à minha volta, caí de bruços diante do Santíssimo Sacramento e pedi ao Senhor que me desse a conhecer o que devia fazer a seguir.

Então, ouvi estas palavras: Vai imediatamente a Varsóvia e lá entrarás no convento. Terminada a oração, levantei-me, fui para casa e arrumei as coisas indispensáveis. Da maneira como pude, relatei para a minha irmã o que havia acontecido na minha alma. Pedi que se despedisse por mim de meus pais. E assim, só com a roupa do corpo, sem mais nada, vim para Varsóvia.

Após inúmeras tentativas em vários mosteiros sempre sendo recusada, no dia 1º de Agosto de 1925 foi aceita na Congregação das Irmãs da Bem-aventurada Virgem Maria da Misericórdia, onde passou a ser Irmã Maria Faustina. Diante do Bispo Estanislau Rospond professou seus primeiros votos e cinco anos depois seus votos perpétuos. No decorrer de sua vida religiosa sempre desempenhou funções simples aos olhos humanos (jardineira e cozinheira).

Irmã Faustina faleceu na Cracóvia aos 33 anos de idade no dia 5 de outubro de 1938 após levar uma vida de sacrifícios pelos pecadores tentando assim salvar suas almas.

1965 – Início do processo informativo sobre sua vida.

1968 – Foi aberto o processo de beatificação.

1993 – (18 de abril) o Santo Padre João Paulo II beatificou a Irmã Faustina.

2000 – (30 de Abril) Canonizada pelo Papa João Paulo II, na Praça São Pedro.

As relíquias de Santa Irmã Maria Faustina estão depositadas no santuário da Divina Misericórdia de Cracóvia. Em 1937 Irmã Faustina escrevia em seu diário: “A glorificação da Tua misericórdia, ó Jesus, é a missão exclusiva da minha vida

Agora que conhecemos um pouco do elo entre Jesus e a humanidade, vamos prosseguir com a origem da pintura de Jesus Misericordioso.

Em 22 de fevereiro de 1931, Irmã Faustina em seu diário: À noite, quando eu estava em minha cela, percebi a presença do Senhor Jesus vestido de uma túnica branca. Uma mão estava levantada a fim de abençoar, a outra pousava na altura do peito. Da abertura da túnica no peito saíam dois grandes raios, um vermelho e outro branco. Em silêncio eu olhei intensamente para o Senhor; minha alma estava tomada pelo espanto, mas também por grande alegria. Depois de um tempo, Jesus me disse: “Pinta uma imagem de acordo com o que vês, com a inscrição, ‘Jesus, eu confio em Vós’”. ‘Prometo que a alma que venerar esta Imagem não perecerá’.

Significado dos dois raios em destaque na Imagem: “Os dois raios representam o Sangue e a Água. O raio branco representa a Água, que justifica as almas; o raio vermelho representa o Sangue, que é a vida das almas. Ambos os raios saíram das entranhas de minha Misericórdia quando, na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança… Estes raios defendem as almas da ira do meu Pai. Feliz aquele que viver sob a proteção deles, porque não será atingido pelo braço da Justiça de Deus”.

Jesus volta a falar sobre a Imagem: “O Meu olhar, nesta imagem, é o mesmo que eu tinha na cruz.” “Por meio desta Imagem concederei muitas graças às almas. Ela deve lembrar as exigências da Minha misericórdia, porque mesmo a fé mais forte de nada serve sem as obras”.
A imagem original, pintada por Eugênio Kazimirowski, feita segundo a orientação de Irmã Faustina, encontra-se exposta desde 2005 no Santuário da Misericórdia Divina em Vilnius.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 02/04/2016 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: