RSS

SACRIFÍCIOS, ORAÇÕES, E SUFRÁGIOS PELOS MORTOS – ANÁLISE BÍBLICA

03 jul

A Bíblia nos manda fazer sacrifícios:

“Vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.” (1 Ped 2,5)

“Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. Mas não vos esqueçais de fazer o bem e de repartir com outros, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.”
(Heb 13,15-16)

O sacrifício do cristão difere dos oferecidos na lei mosáica:

“Fazer justiça e julgar com retidão é mais aceitável ao Senhor do que oferecer-lhe sacrifício.”
(Prov 21,3)

Os sacrifícios que devemos oferecer são a oração, o amor, as boas obras, esmolas , penitências, sofrimentos e martírio:

 
” amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de todas as forças, e amar o próximo como a si mesmo, é mais do que todos os holocaustos e sacrifícios.”
(Mc 12,33)
“Oferece a Deus por sacrifício ações de graças, e paga ao Altíssimo os teus votos;”
(Sl 50,14)
“Aquele que oferece por sacrifício ações de graças me glorifica; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.”
(Sl 50,23)
“Por ele, pois, ofereçamos sempre a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. Mas não vos esqueçais de fazer o bem e de repartir com outros, porque com tais sacrifícios Deus se agrada.”
(Heb 13,15-16)

“Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.
(Rom 12,1-3)
“O sacrifício aceitável a Deus é o espírito quebrantado; ao coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.”
(Sl 51,17)

“Contudo, ainda que eu seja derramado como libação sobre o sacrifício e serviço da vossa fé, folgo e me regozijo com todos vós;”
(Fil 2,17)

“Mas tenho tudo; tenho-o até em abundância; cheio estou,depois que recebi de Epafrodito o que da vossa parte me foi enviado, como cheiro suave, como sacrifício aceitável e aprazível a Deus.”

(Fil 4,18)

O QUE É UM SACRIFÍCIO PARA O CRISTÃO:

 Um sacrifício é tudo o que fazemos, toda boa obra, para nos aproximar mais de Deus, pois os ” que são de Cristo Jesus crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências” (Gl 5,24)  e isso significa fazer renúncias.
 Renunciar ” à  prostituição, à impureza, à lascívia, à idolatria, à feitiçaria, às inimizades, às contendas, aos ciúmes, às iras, às facções, às dissensões, aos partidos, às invejas, às bebedices,  às orgias,entre outras coisas” (Gl 5, 19-21).

Toda renúncia que fazemos por amor a Jesus é um sacrifício. Assim, como toda boa obra, penitência ou sofrimento.

O jejum também é uma forma poderosa de sacrifício:

” lava o teu rosto, para não mostrar aos homens que estás jejuando, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. “
(Mat 6,16-18)

“mas esta casta de demônios não se expulsa senão à força de oração e de jejum. “
(Mat 17,21)

“E fez uma proclamação, e a publicou em Nínive, por decreto do rei e dos seus nobres, dizendo: Não provem coisa alguma nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas; não comam, nem bebam água; mas sejam cobertos de saco, tanto os homens como os animais, e clamem fortemente a Deus; e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos. Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos? Viu Deus o que fizeram, como se converteram do seu mau caminho, e Deus se arrependeu do mal que tinha dito lhes faria, e não o fez. “
(Jon 3,5-10)

Nossos sofrimentos também podem e devem ser oferecidos em forma de sacrifício:

“Porque isto é agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, suporte tristezas, padecendo injustamente. ”
(1 Pd 2,19)



“mas regozijai-vos por serdes participantes das aflições de Cristo; para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e exulteis. Se pelo nome de Cristo sois vituperados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória, o Espírito de Deus. Que nenhum de vós, entretanto, padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como quem se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus neste nome. Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e se começa por nós, qual será o fim daqueles que desobedecem ao evangelho de Deus? E se o justo dificilmente se salva, onde comparecerá o ímpio pecador? Portanto os que sofrem segundo a vontade de Deus confiem as suas almas ao fiel Criador, praticando o bem. “(1 Pd 4,13-19)

“e sereis odiados de todos por causa do meu nome. Mas não se perderá um único cabelo da vossa cabeça. Pela vossa perseverança ganhareis as vossas almas. “
(Lc 21,17-19)

Amados, não estranheis a ardente provação que vem sobre vós para vos experimentar, como se coisa estranha vos acontecesse;
13 mas regozijai-vos por serdes participantes das aflições de Cristo; para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e exulteis.” (1 Ped 4,12-13)

  Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco, então é que sou forte. ” (2 Cor 12,10)

“Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações, sabendo que a aprovação da vossa fé produz a perseverança; ”
(Tg 1,2-3)

“E na verdade todos os que querem viver piamente em Cristo Jesus padecerão perseguições.
(2 Tim 3,12)



“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produzpara nós cada vez mais abundantemente um eterno peso de glória;
(2 Cor 4,17)
Podemos e devemos oferecer sacrifícios em sufrágios pelos mortos.
Sufrágio é um ato que fazemos na intenção de alguém, assim todo sacrifício que fazemos na intenção de pedir pela alma de algum falecido é um sufrágio.

Rezar e oferecer sacrifícios em sufrágios pelos mortos é justo e necessário, pois “quer vivos ou mortos pertencemos ao Senhor” (Rm 14,8).

 Rezar pelos falecidos mostra nossa fé na ressurreição:
“e puseram-se em oração, para implorar-lhe o perdão completo do pecado cometido. O nobre Judas falou à multidão, exortando-a a evitar qualquer transgressão, ao ver diante dos olhos o mal que havia sucedido aos que foram mortos por causa dos pecados.” (II Macabeus 12,42)
“era esse um bom e religioso pensamento; eis por que ele pediu um sacrifício expiatório para que os mortos fossem livres de suas faltas.”
  (II Macabeus 12,46)

“De outra maneira, que intentam aqueles que se batizam em favor dos mortos ? Se os mortos realmente não ressuscitam, por que se batizam por eles? “
( I Cor 15,29)

As almas dos falecidos, mesmo tendo morrido na graça de Deus, talvez  ainda precisem de uma última purificação (Mt 12,32;  I Cor 3, 10-15) antes de entrarem na alegria do céu:

Está escrito que” todos nós compareceremos diante do tribunal de Cristo, para receber o que fez por meio do corpo, segundo o que praticou, o bem ou o mal” (II Cor 5, 10), ou seja, se praticamos qualquer mal deveremos pagar por ele também e nos purificar passando pelo fogo, que chamamos de Purgatório (I Cor 3, 10-15).

Uma conversão que procede de uma ardente caridade pode chegar à total purificação do pecador, de tal modo que não haja mais nenhuma pena (Lucas 23,43).

Todos os cristãos mortos e vivos permanecem unidos num único corpo (Rm 14,8; Gl3,27-28), que é o corpo de Cristo, a Igreja.

Assim, todas as nossas boas obras e orações podem beneficiar os mortos, pois o que fazemos de bom redunda em benefício de todo o corpo de Cristo que é a Igreja (ICor 12,26-27).

Em virtude da comunhão dos santos (ICor 12,26-27; Rm 14,8), podemos oferecer a Deus pelos mortos nossas orações,  a visita aos cemitérios, o cuidado com os sepulcros, as Missas, velas, flores, e boas obras ( II Mac 12,46; I Cor 15,29;  I Ped 4,8; Tob 4, 7-12; Eclo 3,33-34 At  10,4; Heb 13,16) como forma de súplica pelo descanso dos que partiram, pois está escrito “Dá de boa vontade a todos os vivos, e não recuses este benefício a um morto” ( Eclo 7,37 ).

Ao fazer esmolas o cristão pode mentalizar, se desejar, e oferecer esse ato na intenção de uma alma falecida( I Cor 15,29), em vista do poder da comunhão dos santos (ICor 12,26-27), pois as esmolas são agradáveis a Deus e Ele nos atende através dessa forma de sacrifício, pois ” a caridade  cobre uma multidão de pecados” (1 Ped 4,8):

“e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus.
(At 10,31)

“Este, fitando nele os olhos e atemorizado, perguntou: Que é, Senhor? O anjo respondeu-lhe: As tuas orações e as tuas esmolas têm subido para memória diante de Deus;” (At 10,4)

“Vendei o que possuís, e dai esmolas. Fazei para vósbolsas que não envelheçam; tesouro nos céus que jamais acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói. ” (Lc 12,33)


 “ que a tua esmola fique em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará. “
(Mat 6,4)

 “Daí antes de esmola o que possuís e todas as coisas vos serão limpas.” (Lc 11,41)

 “Dá de boa vontade a todos os vivos, e não recuses este benefício a um morto” ( Eclo 7,37 ).
“Boa coisa é a oração acompanhada de jejum, e a esmola é preferível aos tesouros de ouro escondidos,
porque a esmola livra da morte: ela apaga os pecados e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna;” (Tob 12, 8-9)
 
Deixe um comentário

Publicado por em 03/07/2016 em Uncategorized

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: