Maria nasceu sem pecado ?

 

Se Deus pode transformar o impossível em possível, curar cegos, coxos, surdos, aleijados, paralíticos, leprosos, mudos; se tem o poder de expulsar espíritos imundos, demônios; alimentar cinco mil homens (sem contar as mulheres e as crianças) com cinco pães e dois peixes; se ressuscitou três mortos: Talita, o filho da viúva de Naim e Lázaro faltar-lhe-ia o poder de preservar do pecado das origens aquela que geraria  no seu ventre o seu Filho? O poder de preservar da “tendência de pecar” não estaria ao seu alcance?

Lucas confirma nas entrelinhas do Evangelho que escreveu, a preservação do pecado como dom de Deus para a sua filha dileta e escolhida: “Alegra-te cheia de graça, o Senhor é contigo!” (Lc 1,28) Seu nome diz tudo: cheia, plena, transbordante da graça do Criador. Como uma criatura em toda plenitude da graça poderia cometer pecado? A MULHER prometida no Gênesis para restaurar o projeto original, e da qual o anjo complementará, “o Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus.”

Um corpo, um útero, uma alma, um espírito maculado poderiam gerar o Filho de Deus, o nosso Salvador e Redentor Jesus Cristo? Não há necessidade de estar escrito com essas palavras na Bíblia, para que não a tenhamos como verdade de fé. Questão de um raciocínio lógico somente.

Maria, a escolhida de Deus, a cheia de graça, a plenificada de dons, a filha dileta do Pai, a mãe carinhosa do Filho e a esposa amantíssima do Espírito Santo, foi totalmente preservada do pecado das origens porque – pelo seu poder – Deus quis preservá-la, a fim de que todas as gerações a proclamem de Bem-Aventurada.

A leitura ingênua ou fundamentalista da Palavra, retirando um versículo do contexto e aplicando da maneira que lhe apraz, gera um grande perigo doutrinário. Em Romanos 3,23 lê-se: “Com efeito, todos pecaram, e todos estão privados da glória de Deus.” Aqui sugere que entre TODOS também Jesus está; e sendo Deus, está privado de sua própria glória. É o absurdo dos absurdos. Causa de tudo isso: retirar uma parte do todo para ‘usar’ o nome de Deus. Como admoestação e exortação, da boca de Jesus saíram essas palavras: “Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.”

Anúncios
Publicado em Uncategorized

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Twitter do Papa
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
novembro 2016
D S T Q Q S S
« out   dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  
Visitantes
  • 2,189,770 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
LINKS
%d blogueiros gostam disto: