Como a Liturgia das Horas é composta?

Resultado de imagem para Liturgia das Horas

Individualmente ou em comunidade, inicia-se a oração com o invitatório: “Abri, Senhor, os meus lábios: E a minha boca anunciará o vosso louvor”.

Após a reforma de Concílio Vaticano II, as horas canônicas são:

– Ofício das Leituras, para ser recitado de madrugada; contudo, reconhecendo as necessidades de adaptação do homem moderno, a Igreja diz que pode ser recitado ao longo do dia, desde que se mantenha o caráter de vigília.

– Laudes ou Oração da Manhã, que é uma oração de louvor dado a Deus pela vida recebida. Atualmente composta de um Salmo, um hino do Antigo Testamento e um Salmo de louvor, de onde provém o nome. Existem alguns outros elementos nessa oração, mas o coração é este mencionado. É nesta hora canônica que se recita o Benedictus ou o Cântico de Zacarias.

– Hora média, que pode se desdobrar em mais três: tércia, próxima das 9h, sexta, próxima do meio dia, e noa, próxima das 15h. Elas podem ser recitadas como sendo uma só, para não multiplicar excessivamente os horários canônicos.

– Vésperas ou Oração da Tarde, composta por dois Salmos e um hino do Novo Testamento. Recita-se nessa hora o Magnificat, que é o Cântico de Nossa Senhora.

– Completas ou Oração da Noite, composta por um Salmo e o hino de Simeão.

Segundo a própria Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas, as Laudes e as Vésperas são as duas principais das orações para serem rezadas em Comunidade e seguem basicamente a mesma estrutura:

HINO – As orações começam com os hinos, que dão uma tonalidade própria a cada hora canônica.
SALMODIA – Em seguida, se recitam salmos, de acordo com a liturgia daquele dia ou hora.
LEITURA – Após, segue-se uma leitura da Sagrada Escritura, que pode ser breve ou longa. Se a oração estiver sendo rezada com o povo, pode haver uma breve homilia.
RESPONSÓRIO – Agora segue-se o canto responsorial ou responsório breve.
CÂNTICO EVANGÉLICO – Se é Laudes ou outra hora, reza-se o Benedictus, o cântico de Zacarias. Se é nas Vésperas, é o cântico de Nossa Senhora, o Magnificat. As antífonas de Benedictus e de Magnificatvariam conforme o dia, o tempo litúrgico ou a festa.
Após, seguem as Preces, a Oração do Pai Nosso e a Oração Conclusiva.

Uma particularidade para o Ofício de Leituras

O Ofício das Leituras quer dar ao povo, e muito especialmente aos que estão consagrados ao Senhor, uma meditação mais rica da Sagrada Escritura e das mais belas páginas dos autores espirituais (cf. Instrução, n°55). Existem aqui duas leituras, intercalando-se com salmos responsoriais. A primeira, tirada da Bíblia; a segunda, das obras dos Padres ou dos Escritores eclesiásticos, ou então uma leitura hagiográfica (dos textos sagrados). Nos domingos fora da Quaresma, nos dias dentro das oitavas da Páscoa e do Natal, nas solenidades e festas, após a segunda leitura com seu responsório, diz-se o hino Te Deum.

Uma particularidade para as Vésperas

Após a oração inicial, pode ser feito um tempo de exame de consciência e logo após se passa ao Hino. Depois da salmodia, há uma leitura breve e a seguir, diz-se o cântico evangélico Nunc dimíttis (Cântico de Simeão), com a respectiva antífona. Este cântico é, de certo modo, o ponto culminante de toda esta Hora litúrgica. E termina-se com uma das antífonas de Nossa Senhora. No tempo pascal, diz-se sempre Regina Caeli (Salve Rainha do Céu).

Gestos e posições na celebração comunitária

– Todos os participantes estão de pé:
a) durante a introdução ao Ofício e versículo introdutório de cada Hora;
b) durante o hino;
c) durante o cântico evangélico;
d) durante as preces, oração dominical e oração conclusiva.

– Todos escutam sentados as leituras, menos o Evangelho.

– Durante os salmos e cânticos, com suas antífonas, a assembleia pode estar sentada ou de pé, conforme o costume.

– Todos fazem o sinal da cruz, da fronte ao peito e do ombro esquerdo ao direito:
a) no princípio das Horas, quando se diz: Vinde, ó Deus, em meu auxílio;
b) ao começar os cânticos evangélicos, Benedictus, Magnificat, Nunc dimíttis.

– Faz-se o sinal da cruz sobre os lábios, no princípio do Invitatório, às palavras Abri, Senhor, os meus lábios.


Como vimos, a oração da Liturgia das Horas tem como único objetivo nos levar à santidade. Através dela podemos permanecer unidos a Cristo ao longo do dia, junto com toda a Santa Igreja. É um meio muito útil para santificar nosso dia e nossas ações.

Pode parecer longa e cansativa, mas faça o seguinte: quando for rezar a Liturgia das Horas, ofereça por alguma intenção, ou pense que está rezando por toda a Igreja que precisa, por aqueles que queriam poder rezá-la e não podem.

No próximo post, continuaremos a falar sobre a vida de oração. Vamos falar um pouco sobre os tipos de oração e o que a Igreja e os santos nos ensinam sobre eles. Até a próxima!

Fontes:
Instrução Geral sobre a Liturgia das Horas. Encontre aqui em pdf.
⦁ Site do Padre Paulo Ricardo.


Por Thiago Silva

Publicado em Uncategorized
Um comentário em “Como a Liturgia das Horas é composta?
  1. O tópico “Uma particularidade para as Vésperas” está errado. Trata-se na verdade sobre a “Completas”. Por favor, corrija.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
setembro 2017
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Visitantes
  • 4.537.473 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: