O uso do folheto litúrgico

Resultado de imagem para O uso do folheto litúrgico

Muitas liturgias realizadas no solene dia do Senhor se reduzem à leitura mecânica, fria e cansativa de um folheto litúrgico, feito meses antes e sem nenhum compromisso com a comunidade que o realiza.

Vejam o que diz a Igreja: “os livros das leituras que se utilizam na celebração, pela sua dignidade que a Palavra de Deus exige, não devem ser substituídos por outros subsídios pastorais, por exemplo, pelos FOLHETOS que se fazem para que os fiéis PREPAREM as leituras ou as MEDITEM PESOALMENTE”. (Ordo Lectionum Missae – Elenco das Leituras na Missa, 37).

Os folhetos podem servir apenas para preparar a celebração e não para serem usados durante ela. Há uma falta de preocupação com os livros de proclamação da Palavra e do lugar onde é celebrado na Igreja.

A Constituição Dei Verbum – sobre a Revelação Divina, um dos 16 Documentos elaborados pelo Concílio Ecumênico Vaticano II (1992-1965), diz no número 21: “A Igreja sempre venerou as divinas Escrituras, como também o próprio corpo do Senhor; sobretudo na sagrada liturgia, nunca deixou de tomar e distribuir aos fiéis, da mesa tanto da Palavra de Deus como do corpo de Cristo, o pão da vida”.

Vejam como é profunda esta colocação: “É dado ao Livro da Palavra de Deus a mesma veneração que damos ao Corpo do Senhor”. Por isso fazer as leituras de um folheto no lugar de usar o Livro da Palavra (Lecionário – Evangeliário) e ter um total desrespeito com a própria Palavra de Deus, afinal: “Está presente na sua palavra, pois é ele quem fala quando na Igreja se lêem as Sagradas Escrituras” (Sacrosanctum Concilium, 7).

Por isso usamos vários gestos de veneração com a Palavra de Deus: vênia, incenso, velas, canto…

Para melhor acompanhar e participar da ação litúrgica é preciso que a assembléia tenha em suas mãos um “folheto”. Mas a pergunta é esta: “O QUE DEVE CONTER NESTE FOLHETO?”

Vamos lembrar-nos do que diz a Igreja: “Nas celebrações litúrgicas, seja quem for, ministro ou fiel, exercendo o seu ofício, faça TUDO E SÓ AQUILO que pela natureza da coisa ou pelas normas litúrgicas LHE COMPETE” (Sacrosanctum Concilium, 28).

Desta forma a função de presidente ou de leitor não compete à assembléia litúrgica. Então as orações do padre e do leitor não precisam estar no folheto, mas sim com aqueles que irão exercer tais ministérios (Presidente e o Leitor).

No folheto da assembléia deve estar somente “AQUILO QUE COMPETE À ASSEMBLEIA”: os cantos, as respostas, refrão do Salmo Responsorial, as orações da assembléia…

Além do mais a Palavra de Deus não é para ser lida pela assembléia enquanto o leitor faz a proclamação. Vejam o que diz a Palavra de Deus: “OUVE, ó Israel; Iahweh nosso Deus é o único Iahweh!” (Deuteronômio 6,4). Não está escrito: “LEIA, ó Israel!”. Assim a Palavra de Deus deve ser “ouvida” e não acompanhar lendo! O Missal Romano é bem claro a este respeito; “Todos devem ESCUTAR com veneração as leituras da Palavra de Deus” (Instrução Geral sobre o Missal Romano, 29).

O mesmo que se diz a respeito do folheto vale também para a “liturgia diária”. É um bom subsídio, mas que serve apenas para “preparar” a celebração e não para ser usada durante a sua celebração. Além do mais vale a pena pensar: Por que só eu uso o subsídio durante a celebração e os outros não? Parece que sou melhor que eles! Nesta perspectiva como fica a Instrução do Missal Romano quando diz que “a posição COMUM DO CORPO, que todos os participantes devem observar, é sinal da unidade dos membros da comunidade cristã, reunidos para a sagrada Liturgia, pois exprime e estimula os pensamentos e os sentimentos dos participantes”? (Instrução Geral sobre o Missal Romano, 42)

Algumas paróquias usam o Projetor Multimídia para auxiliar na liturgia. A CNBB, através da Comissão Episcopal para a Liturgia fez uma séria reflexão sobre este assunto (site da CNBB) e pergunta se o uso de audiovisuais ajudam na participação da assembléia na liturgia. Será que não devia o nosso olhar do Mistério celebrado?

Na celebração Eucarística nosso olhar se volta, automaticamente, para o Mistério de Cristo que é celebrado nas duas partes desta celebração: Mesa da Palavra – Ambão; Mesa Eucarística – Altar. Dois momentos que formam um só ato de culto (Dei Verbum, 21). Nada pode interferir nesta participação: folheto, liturgia diária, data show….

Publicado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
abril 2018
D S T Q Q S S
« mar   maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
Visitantes
  • 4.065.627 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: