Por que no início da Missa o Evangeliário é colocado sobre o altar?

Resultado de imagem para evangeliario no altar

Porque a Igreja reconhece no livro dos evangelhos a mesma dignidade dos dons eucarísticos. O Evangeliário, assim, torna-se objeto de culto e adquire um intenso sentido teológico.

Como o pão e o vinho são tirados do altar para que os fiéis se alimentem do Corpo do Senhor, assim o Evangelho é tirado do altar para que os fiéis se alimentem da Palavra de Cristo. No Evangelho de João se lê: Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna (6,54); mas se lê também: Quem escuta a minha palavra … tem a vida eterna (5, 24).

Esse gesto da liturgia é muito antigo. Já na idade média o teólogo Guilherme Durando (morreu em 1296), escrevia: “A razão pela qual pega o livro do altar depende do fato que os apóstolos receberam o Evangelho do altar quando, em sua pregação, anunciaram a paixão do Senhor”. O altar é o símbolo concreto de Cristo que se entrega como Palavra que anuncia, antes de tudo, sua paixão. O fato de o Evangelho ser tirado do altar significa que o anúncio de Cristo deve ser entendido a partir do mistério da cruz. São Paulo, escrevendo aos Coríntios, recorda da “palavra da Cruz” (1 Cor 1,18) que ele pregou: Nós pregamos Cristo crucificado (1 Cor 1,18).

A unidade Evangelho e Cruz é confirmada por outros gestos pequenos, mas muito expressivos. Quem proclama o evangelho traça sobre o livro um sinal de cruz, e depois, junto com os fiéis, faz esse mesmo sinal na fronte, nos lábios e no peito. Isto para dizer que a palavra do Senhor deve ter acesso nas faculdades fundamentais da pessoa: o intelecto, a linguagem e a vontade. Esse gesto recorda o ‘marco’ batismal que caracteriza o cristão: na fronte, lugar do pensamento e da inteligência; nos lábios, espaço da voz e da palavra; no coração, sede da vontade e dos afetos. Por essa razão, ainda o teólogo Guilherme, chamava o Evangeliário delivro do Crucificado, o livro do homem da paz do qual recebemos a reconciliação. E, com seu estilo profundo e sintético, santo Agostinho afirmava: “Nós nos alimentamos da cruz do Senhor quando comemos seu corpo”.

Em sua liturgia, a Igreja católica nunca separou a Palavra da Eucaristia, o alimento da Palavra e do Pão, também quando a reflexão teológica não o lembrava mais. Testemunho disso é a pequena antífona de comunhão colocada antes da distribuição da Eucaristia.

Esses pequenos gestos, que passam quase despercebidos, contêm grande sentido. Essas anotações possam ajudar a compreendê-los e vivê-los na intimidade do nosso ser movidos pela fé.

 Dom Armando Bucciol

Publicado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
junho 2018
D S T Q Q S S
« maio   jul »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Visitantes
  • 3.758.502 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: