BASE DA DOUTRINA PROTESTANTE e suas HERESIAS

Resultado de imagem para protestantismo– 1° Pelo pecado original o homem está decaído e tudo que faça é pecado mortal; a salvação pelas boas obras é impossível.
– 2° Deus impõe sua Lei no Antigo Testamento, mas ela é impraticável; a finalidade desta Lei é desencorajar, desesperar e finalmente nos lançar nos braços da misericórdia.
– 3° Depois da Lei ter-nos dado o desespero, faz-nos brilhar a fé, pois a Salvação vem dos méritos de Cristo morto na Cruz.
– 4° Desde toda a eternidade Deus predestinou uns para o inferno (para aqueles que recusam sua Lei), garantindo a Salvação para outros (aqueles que aceitam a Lei).
– 5° A eficácia dos Sacramentos do Batismo e da Eucaristia é apenas a fé que suscita no coração de quem os recebe.

Pela Escritura sabemos que há somente duas religiões na história: a religião verdadeira, composta por aqueles que são da raça da mulher, e a anti-religião, que é constituída pela raça da serpente. (Gn, 3,15) 
Também Santo Agostinho nos fala em duas religiões, quando define as suas famosas duas cidades:
“Dois amores deram origem a duas cidades: o amor de Deus levado ao desprezo de si mesmo deu origem à cidade de Deus; e o amor de si mesmo levado ao desprezo de Deus, deu origem à cidade do homem.” 
E Santo Inácio usa as duas bandeiras como metáfora da luta contínua entre essas duas religiões na história. 
Assim, vemos que apesar da enormidade de seitas conhecidas hoje, só há duas religiões no mundo, a primeira delas a religião verdadeira, a religião Católica, divinamente revelada e única guardiã da verdade divina revelada. E a outra, composta por essa infinidade de seitas, que é a anti-religião, a religião do demônio, a sinagoga de satanás. 

O sola scriptura (somente a Escritura) é contra a Escritura, pois impinge ao livro sagrado um poder mágico de auto-interpretação que ele não possui. Algumas pessoas chegam a usar a Bíblia como cartas de tarô, abrem aleatoriamente suas páginas e afirmam que a Palavra lá escrita é a mensagem de Deus para aquele momento. Quando os protestantes pretendem exaltar a Bíblia, na verdade a destroem. Lutero mesmo, na gênese desse movimento sectário, retirou vários livros da Bíblia (não materialmente, mas os desqualificando – Tiago como sendo uma epístola de palha, Apocalipse como sendo nem evangélico nem profético), mostrando que a Bíblia era escrava da vontade dos reformadores. 
Ao desprezar tudo o que Lutero considerava humano em relação à revelação, como os livros deuterocanônicos e a tradição, bem como os concílios e a hierarquia, de fato Lutero se opunha a tudo o que era material, ele se opunha à criação. Para Lutero, esses livros retirados da Bíblia não produziam a experiência que despertaria no fiel a noção de salvação, e por isso não poderiam ser inspirados. Tais livros não traduziam de fato o kerigma, que é – mais importante que as verdades reveladas – o anúncio salvífico. 

Ao propor o sola scriptura, Lutero queria a libertação da matéria, para ouvir somente a voz (divina) que falaria ao interior do homem.Porém não foi isto que Cristo deixou! Cristo edificou sua Igreja e deu autoridade aos Sacerdotes, e nos mostrou que devíamos ter uma hierarquia, da mesma forma que um corpo tem membros e cada membro sua função.

O sola fide (somente a fé) é qualquer coisa, menos fé verdadeira. Pois para o protestante o que vale é a experiência com Cristo, e não a aceitação das verdades reveladas por Deus. 
Geralmente se considera que o sola fide se opõe apenas às boas obras. Porém, se nos detivermos um pouco mais nesse princípio, veremos que ele se opõe à participação da inteligência na obra da regeneração, pois a fé protestante não pode passar pela razão, mas provém unicamente da emoção e da experiência vivencial. Assim é evidente sua recusa a forma que Deus deu à criação; pois somos racionais, e nossa fé antes de emotiva tem que ser racional.O coração do homem é como um mar agitado e a fé tem que ser solidificada na razão; da mesma forma que 2+2 sempre serão 4, eu sempre irei crer em Deus e em minha Igreja, aconteça o que acontecer, esteja eu sentindo o que for, minha convicção não depende e não se ampara em minhas emoções.
A inteligência – desprezada e odiada por Lutero – impede que o homem chegue ao verdadeiro conhecimento de Deus, que segundo Lutero se dá através da experiência catalisada pela leitura da Bíblia. 

O sola gratia vai contra a verdadeira graça santificante. Esse princípio atesta que o fiel justificado está livre de pecado, não porque não os possua mais ou não possa cometê-los, mas porque os têm encobertos pela graça de CristoAssim, o justificado tem graça e pecado ao mesmo tempo. Com isso, dá-se ao fiel a ilusão de impecabilidade, e mesmo a permissão de pecar com a garantia do perdão antecipado – 
Com isso, Lutero habilmente conseguiu impugnar os dez mandamentos, ao dizer que o homem é incapaz de praticá-los e, portanto, não pode ser culpado por cometê-los. 

Ora, a graça é propriamente a participação na vida divina, pois a Santíssima Trindade de fato habita na alma justificada pelos méritos de Cristo. Como poderia habitar Deus e pecado na mesma alma como afirmava Lutero? É impossível, e uma ofensa à graça divina.Por isso o pecado mortal é a expulsão de Deus da alma, cuja presença se adquire com o Batismo e se recupera com a Confissão. 

Publicado em Uncategorized

Confessionário, UM DIREITO DO FIEL!

Resultado de imagem para falta de confessionárioSalve Maria!

Este artigo é um pedido desesperado aos Clérigos, que o quanto antes deem o direito do Confessionários aqueles fiéis que se sentem constrangidos com a Confissão cara a cara!
 
Com muita tristeza fico sabendo de pessoas que deixam de fazer uma boa e reta confissão pelo constrangimento que é relatar pecados fora do confessionário! 

Mas até onde vai a falta de cuidado com as almas??? Tá certo que infelizmente a grande maioria do Clero morre de preguiça de atender confissão (…), e até forçam a tal confissão comunitária, que neste caso é totalmente inválida, para não “perderem” seu tempo salvando as almas!

Pelo amor de Deus custa colocar um confessionário e atender as pessoas??? Custa não é mesmo??? Custa boa vontade, custa a fé, custa o amor ao próximo, custa vocação para tudo isto!
Conheço pessoas que sofrem amarguradas por reterem pecados, justamente pela falta de um direito que é delas: O ANONIMATO!
 
 A confissão secreta já o Magistério da Igreja a preceituara sob o pontificado de S.Leão I  e, reafirmada  pela Bula Licet ea, do Papa Sixto IV, foi ela muito expressamente ensinada no Concílio de Trento. O Código de Direito Canônico, depois de prescrever por lugar próprio às confissões a igreja ou oratório, estabeleceu que “haja sempre em lugar visível confessionários com grades fixas entre o penitente e o confessor” (§ 2o do cânon 964).
Lugar visível —o confessionário manifesto, solene, fonte atrativa da penitência, prevenção contra as difamações (maxime das mulheres: cfr. cânon 910, § 1o, do Código de Direito Canônico anterior) — mas com grades fixas entre o penitente e o confessor, essas grades que constituem um ‘diafragma protetor’,onde satanás não pode adentrar com suas malícias.
 
A retirada das grades fixas nos confessionários e, por maioria de razão, a abolição dos próprios confessionários e sua sucessão por‘lugares informais’ maltratam não só o direito do fiel ao anonimato,além de facilitar o veneno da calúnia contra os confessores, mas violam o direito de intimidade do penitente. 
Fiquemos com Deus! 
Publicado em Uncategorized

A Superstição – O que diz o Catecismo da Igreja? |

Resultado de imagem para Superstição

Ao falarmos de superstição geraremos um incomodo em muitas pessoas, pois, iremos bater de frente com muitos “costumes”, ou melhor, maus costumes que, aparentemente não possuem nada de errado e, alguns até são erroneamente relacionados a cultura ou até a tradição da Igreja! Pequenos gestos como que pequenas sementes, que após alguns anos viram árvores esplendorosas. Árvores que produzem frutos! E entre vários frutos encontramos a destruição das famílias. Como nos diz o Evangelho: conhecemos as árvores pelos seus frutos. São diversos os casos de exorcismos que quando investigado a causa, chegam a coisas tão pequenas, consideradas tão insignificantes, que se soubéssemos o mal que causaria, com certeza evitaríamos. E é exatamente essa a intenção desse estudo: mostrar como a superstição está presente em nossa vida; como ela está diretamente contra os mandamentos da Lei de Deus, sobretudo o primeiro: Amarás a Deus sobre todas as coisas; como lutar contra superstição.

Neste post, vamos ver o que diz o Catecismo da Igreja Católica sobre a superstição:

2111. A superstição é um desvio do sentimento religioso e das práticas que ele impõe. Também pode afectar o culto que prestamos ao verdadeiro Deus: por exemplo, quando atribuímos uma importância de algum modo mágica a certas práticas, aliás legítimas ou necessárias. Atribuir só à materialidade das orações ou aos sinais sacramentais a respectiva eficácia, independentemente das disposições interiores que exigem, é cair na superstição

Publicado em Uncategorized

Formação sobre o Rito de Aspersão e gestos do Ato no Novus Ordus MIssae

Resultado de imagem para ato penitencial
Começo pela postura a ser assumida. 

No Ato Penitencial a nossa postura pode ser as mãos postas, mas SEMPRE EM PÉ. Principalmente se for a terceira Fórmula, que como vimos é uma forma que mistura o perdão e o Louvor. Mesmo no Rito Tridentino, se permanece ajoelhado durante o ato Penitencial, e se pode colocar de Pé no Kyrie. Isto se dá justamente pelo fato de ser um Louvor a Deus. Pode se questionar, e se não for utilizada a terceira fórmula? Ainda assim permanecemos em Pé, pois é o que nos determina o Missal Romano:

43. Os fiéis permaneçam de pé, do início do canto da entrada, ou enquanto o sacerdote se aproxima do altar, até a oração do dia inclusive (IGMR)

Portanto a posição a ser tomada é sempre esta, de Pé.

Se a fórmula utilizada for a Segunda, nós devemos bater no Peito no momento que dizemos: “Por minha culpa, minha tão grande culpa”. Romano Guardini no livro os Sinais Sagrados, fala que esta batida não pode ser um simples toque (também não muito forte pois chamaria excessiva atenção), mas uma batida que estremeça o meu intimo e me leva a reconhecer que o único culpado dos meus pecados sou eu.

Durante a “absolvição” (de pecados veniais), eu posso fazer uma inclinação de cabeça durante toda a oração. Apesar de não ser prescrito no Missal, é um gesto que pode ser tomado pela força da Tradição.

Por fim falemos da Aspersão (Quarta Fórmula), que pode ser utilizada AOS DOMINGOS no lugar do Ato Penitencial.

O Rito consiste em uma introdução, a benção da água (se já não estiver benta), que são duas fórmulas, uma para o tempo Pascal e outra para os demais tempos, a Aspersão em si, e a conclusão. Pode-se colocar sal na água onde houver o costume, ai se tem uma outra oração sobre o sal.

Depois disto, o SACERDOTE prossegue com a Aspersão começando por si próprio, e aspergindo a Assembleia. Enquanto o Sacerdote asperge, deve se cantar o canto proposto no Missal ou outro apropriado. É somente o Sacerdote que deve aspergir os fiéis. Segundo o Livo “Entrarei no Altar de Deus”, se o Sacerdote por algum motivo não puder descer asperge-se a assembléia como se faz na incensação do centro do presbitério aspergir o povo na seguinte ordem: Centro, Direita, Esquerda.

Por fim retornando a sua Cadeira, o Padre faz uma oração conclusiva.

É interessante notarmos a substituição do Ato Penitencial, que é um dos momentos da Missa em que somos perdoados de nossas faltas veniais. Isto se deve ao fato de á água benta como Sacramental, também perdoa faltas veniais, e neste caso a aspersão substitui o ato, inclusive perdoando nossas faltas leves.

O que se pode fazer como maneira de inculturação:

– Escolher o Rito de Aspersão
– Coloca o Sal na água onde houver costume
– Cantar um canto apropriado que não seja o proposto no Missal, quando houver a aspersão.
– Inclinar levemente a cabeça na oração de “absolvição”

O que não se pode fazer:

– Ajoelhar-se
– Substituir o Ato Penitencial por outro Rito que não seja o de aspersão (Como alguns liturgistas brasileiros propõe, coloca a Recordação da Vida no lugar do Ato)
– Cantar um canto não apropriado no momento de aspersão.
– Aspergir o povo com balde de água, como faz-se em algumas celebrações por ai

 

Publicado em Uncategorized

Papas contra o Comunismo

papa10

papacompapalpapsoc2papbentpaulo6fran

Publicado em Uncategorized

Em qual dos dois o Católico deve votar no segundo turno ?

eleicao

Publicado em Uncategorized

Frei Jorge da Paz denuncia Haddad, PT e o Comunismo

Frei Jorge da Paz denuncia fortemente o grupo das maldições que ameaçam se instalar em definitivo no Brasil, se certos candidatos comunistas vencerem essas graves e decisivas eleições: – legalização e discriminalização do aborto (assassinato de crianças… interrupção da vida) – Ideologia de gênero – ensino prático de sexualidade entre crianças em escolas públicas – legalização da maconha e outras drogas – gayzismo e ditadura homossexual – dentre outras maldições

 

Publicado em Uncategorized
Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
maio 2019
D S T Q Q S S
« dez    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  
Visitantes
  • 3.979.092 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links