Curso de Liturgia da Santa Missa -ORAÇÃO EUCARÍSTICA II

Resultado de imagem para Oração Eucarística Ii
S: O Senhor esteja convosco.
T: Ele está no meio de nós.
S: Corações ao alto.
T: O nosso coração está em Deus.
S: Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
T: É nosso dever e nossa salvação.

O sacerdote, de braços abertos, diz:
Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o lugar, Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, por Cristo, Senhor nosso. Ele é a vossa Palavra viva, pela qual tudo criastes. Ele é o nosso Salvador e Redentor, verdadeiro homem, concebido do Espírito Santo e nascido da Virgem Maria. Ele, para cumprir a vossa vontade, e reunir um povo santo em vosso louvor, estendeu os braços na hora da sua paixão a fim de vencer a morte e manifestar a ressurreição. Por ele os anjos celebram vossa grandeza e os santos proclamam vossa glória. Concedei-nos também a nós associar-nos a seus louvores, cantando (dizendo) a uma só voz:
T: Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo!
O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor. Hosana nas alturas!
_______________________________________________________
JESUS ELEVA O CORAÇÃO AO PAI

Começa a Oração Eucarística onde vivemos a Paixão de Cristo. E esta se deu início quando Jesus foi ao Horto das Oliveiras para rezar por nós na noite da Quinta-Feira Santa.
Podemos pensar que a primeira coisa que Jesus faria nessa hora seria elevar ao Pai o seu coração em agradecimento por toda a sua bondade e em especial por ter querido perdoar os homens dos seus pecados. E agora é chegado este momento tão importante, depois de séculos e séculos de espera. Por isso a Oração Eucarística começa com um cântico de Ação de Graças: “Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo lugar, Senhor, Pai Santo, Deus eterno e todo-poderoso”.
Estando às portas do Calvário, ao começar a Oração Eucarística, é natural que nosso recolhimento aumente ainda mais. Daí essas invocações que aparecem no início onde renovamos a fé de que Deus está junto de nós na Missa e renovamos o propósito de manter o nosso coração elevado, olhando só para Deus.

FIGURA 17: mostrar Cristo se dirigindo para o Horto das Oliveiras, agora mais perto, olhando para o Pai.

O sacerdote, de braços abertos, diz:
Na verdade, ó Pai, vós sois santo e fonte de toda santidade.

Une as mãos e as estende sobre as oferendas, dizendo:
Santificai, pois, estas oferendas, derramando sobre elas o vosso Espírito,

Une as mãos e traça o sinal da cruz sobre o pão e o cálice ao mesmo tempo, dizendo:
a fim de que se tornem para nós o Corpo e † o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso.
(T: Santificai nossa oferenda, ó Senhor!)
_______________________________________________________
JESUS PEDE AO PAI QUE SANTIFIQUE AS OFERENDAS

Vai começar a sua Paixão. A oração de Jesus se concentra no sacrifício que vai oferecer por nós. Olha para o Pai e pede que santifique a oferenda que vai oferecer, que é a sua própria vida, e que derrame sobre ela o seu Espírito.
Nessa oração tão simples percebemos a ação das três Pessoas da Santíssima Trindade na realização do sacrifício redentor. Jesus, que será o cordeiro redentor, o Pai a quem é oferecido o sacrifício e o Espírito Santo que abençoa a oferenda. Os santos se alegravam muito ao perceber a presença da Santíssima Trindade na Santa Missa. E procuravam ter essa consciência desde o início da Missa para poder tratar nesse momento cada uma das três Pessoas: Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espírito Santo. E por que tanta alegria? Porque a Santíssima Trindade é a principal de todas as devoções. Está certo que tenhamos muita devoção a Nossa Senhora, a São José, ao nosso Anjo da Guarda, a um santo em especial, mas nenhuma delas deveria ser mais intensa do que o amor por Deus, pela Trindade Santíssima. Se as outras devoções já nos dão tanta alegria, quanto mais a devoção a Deus Uno e Trino, que foi quem criou todas as criaturas que existem no Céu e na Terra. Se experimentar o amor de Maria Santíssima já é extraordinário e consola tanto o nosso coração, imaginemos o que será experimentar o amor do próprio Deus. E nós podemos experimentá-lo de modo especial na Santa Missa. O amor ao Santo Sacrifício nos levará a perceber os momentos em que atuam cada uma das três Pessoas e a estabelecer um diálogo amoroso com cada uma delas. A ajuda de Nossa Senhora que é filha de Deus-Pai, mãe de Deus-Filho e esposa de Deus-Espírito Santo será um caminho seguro para alcançarmos essa grande graça.

FIGURA 23: mostrar Cristo se dirigindo para o Horto das Oliveiras, agora mais perto, olhando para Ele na Cruz, sendo contemplado pelo Pai e o Espírito Santo.

Nas fórmulas que se seguem, as palavras do Senhor sejam pro­feridas de modo claro e audível, como requer a sua natureza:
Estando para ser entregue e abraçando livremente a paixão,

Toma o pão, mantendo-o um pouco elevado sobre o altar, e prossegue:
ele tomou o pão, deu graças e o partiu e deu a seus discípulos, dizendo:

Inclina-se levemente
TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO É O MEU CORPO,
QUE SERÁ ENTREGUE POR VÓS.

Mostra ao povo a hóstia consagrada, coloca-a na patena, fazendo genuflexão para adorá-la.
_______________________________________________________
A HÓSTIA SE TORNA O CORPO E SANGUE DE CRISTO

Acompanhemos as palavras do sacerdote, ou melhor, de Cristo com a voz emprestada do sacerdote, em profundo silêncio…
As palavras que seguem são aquelas pronunciadas na Última Ceia: “Tomai e comei todos vós”…
No momento em que Jesus pronunciar estas palavras, de um modo misterioso a Hóstia se converterá no seu Corpo e o Vinho se converterá no seu Sangue. É um verdadeiro milagre que ocorre nessa hora diante dos nossos olhos, mais ainda, um milagre enorme, portentoso. Aquele pedaço de pão já não é mais pão e sim Jesus Cristo. Aquele vinho que está no cálice já não é mais vinho e sim Jesus Cristo. Os anjos contemplam extasiados esse milagre e fazem a corte em torno do altar. Podemos imaginar que Nossa Senhora também faz a corte olhando de joelhos o seu Filho. Qual é o nosso desejo nessa hora: adorar Jesus e pedir a Deus que aumente a nossa fé.
Estando o Corpo de Cristo elevado, façamos atos de profunda adoração:
“Meu Senhor e meu Deus” (palavras de São Tomé).
“Senhor, creio firmemente que estás aí com seu Corpo com seu Sangue, com sua Alma e sua Divindade”.
“Senhor: te amo, te amo”!
“Senhor, creio, mas ajuda a minha incredulidade”.
“Meu Deus e meu tudo”!
“Adoro-vos com devoção Deus escondido”!

FIGURA 18: mostrar o sacerdote, Jesus atrás, com a hóstia elevada, vendo nela Jesus, os anjos ao redor em adoração, o povo olhando em profunda admiração, Deus Pai e Deus Espírito Santo ao fundo, o céu, o purgatório.

Então prossegue:
Do mesmo modo, ao fim da ceia,

Toma o cálice nas mãos, mantendo-o um pouco elevado sobre o altar, e prossegue:
ele tomou o cálice em suas mãos, deu graças novamente e o deu a seus discípulos, dizendo:

Inclina-se levemente.
TOMAI, TODOS, E BEBEI: ESTE É O CÁLICE DO MEU SANGUE, O SANGUE DA NOVA E ETERNA ALIANÇA, QUE SERÁ DERRAMADO POR VÓS E POR TODOS PARA REMISSÃO DOS PECADOS. FAZEI ISTO EM MEMÓRIA DE MIM.

Mostra o cálice ao povo, coloca-o sobre o corporal, e faz genuflexão para adorá-lo. Em seguida, diz:
Eis o mistério da fé!
T: Anunciamos, Senhor, a vossa morte e proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

Ou:
T: Todas as vezes que comemos deste pão e bebemos deste cálice, anunciamos, Senhor, a vossa morte, enquanto esperamos a vossa vinda!

Ou:
T: Salvador do mundo, salvai-nos, vós que nos libertastes pela cruz e ressurreição.
_______________________________________________________
O VINHO SE TORNA O CORPO E O SANGUE DE CRISTO

Estando o Sangue de Cristo elevado, façamos atos de profunda adoração:
“Meu Senhor e meu Deus” (palavras de São Tomé).
“Senhor, creio firmemente que estás aí com seu Corpo com seu Sangue, com sua Alma e sua Divindade”.
“Senhor: te amo, te amo”!
“Senhor, creio, mas ajuda a minha incredulidade”.
“Meu Deus e meu tudo”!
“Adoro-vos com devoção Deus escondido”!

De um modo misterioso estamos agora diante do Calvário.

FIGURA 19: mostrar o sacerdote, Jesus atrás, com o cálice elevado, os anjos ao redor em adoração, o povo olhando em profunda admiração, Deus Pai e Deus Espírito Santo ao fundo, o céu, o purgatório.

O sacerdote, de braços abertos, diz:
Celebrando, pois, a memória da morte e ressurreição do vosso Filho, nós vos oferecemos, ó Pai, o pão da vida e o cálice da salvação; e vos agradecemos porque nos tornastes dignos de estar aqui na vossa presença e vos servir.
(T: Recebei, ó Senhor, a nossa oferta!)

E nós vos suplicamos que, participando do Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos pelo Espírito Santo num só corpo.
(T: Fazei de nós um só corpo e um só espírito!)

Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja que se faz presente pelo mundo inteiro: que ela cresça na caridade, com o Papa N., com o nosso Bispo N. e todos os ministros do vosso povo.
(T: Lembrai-vos, ó Pai, da vossa Igreja!)
_______________________________________________________
NÓS OFERECEMOS JESUS AO PAI E AGRADECEMOS POR ESTARMOS AQUI PRESENTE

Nós que estamos diante de Jesus e ao lado de Nossa Senhora, somos movidos a oferecer Nosso Senhor e nós mesmos ao Pai em oferenda de sacrifício. Ao mesmo tempo sentimos o desejo de agradecer ao Pai pelo fato de podermos estar aqui presente, rezando e alimentando-nos de tão grande mistério.

JESUS PEDE AO PAI PELA UNIDADE ENTRE TODOS NÓS E A SEGUIR PELA IGREJA, PELO PAPA, E POR TODOS OS MINISTROS

São muitas as coisas que Jesus está pedindo ao Pai estando no alto da Cruz. Dentre essas, não se esquece de pedir pela unidade que é um bem importantíssimo. Se uma família não está unida, não é uma família, é um agregado de pessoas, e certamente nesse ambiente não haverá alegria, não haverá amor. Peçamos com Nosso Senhor pela unidade entre todos os homens. Peçamos também pela Igreja, pelo Papa e por todos os ministros que necessitam muito da nossa oração.
Como dissemos anteriormente, procuremos nessa Oração Eucarística unir-nos à oração de agradecimento de Cristo ao Pai no alto da Cruz. No Prefácio dizemos que é nosso dever e salvação dar graças a Deus. Para nos salvar, Jesus agradece ao Pai todos os dons que recebemos e não agradecemos.

FIGURA 24: mostrar Jesus sendo flagelado, os anjos ao redor, olhando para a sua Igreja, o Papa, os bispos, os sacerdotes.

__________________________________________
Nas missas pelos fiéis defuntos pode-se acrescentar:
Lembrai-vos do vosso filho (da vossa filha) N. que (hoje) chamastes deste mundo à vossa presença.
Concedei-lhe que, tendo participado da morte de Cristo pelo batismo, participe igualmente da sua ressurreição.
(T: Concedei-lhe contemplar a vossa face!)
___________________________________________

Lembrai-vos também dos (outros) nossos irmãos e irmãs que morreram na esperança da ressurreição e de todos os que partiram desta vida: acolhei-os junto a vós na luz da vossa face.
(T: Lembrai-vos, ó Pai, dos vossos filhos!)
____________________________________________
JESUS PEDE PELOS NOSSOS PARENTES FALECIDOS

Nosso Senhor pede agora por todos os falecidos. É a hora de lembrar de todos os nossos parentes e conhecidos e pedir pela salvação de cada um deles. Como nos alegra pensar que um dia poderemos nos encontrar todos lá no Céu e vivermos com Deus, juntos, para sempre, sem qualquer dor ou sofrimento.
As almas do purgatório se alegram especialmente neste momento. Sabem que a cada Missa são aliviadas e abreviadas as suas penas e muitas almas que já estavam às portas do Céu entrarão exultantes na Glória. Com que alegria e ansiedade esperam cada Missa que é celebrada no mundo! Graças incontáveis serão dadas a elas!.

Continuando o nosso agradecimento:
Quantas coisas devemos agradecer a Deus! Simplesmente tudo, tudo! Pensando lá atrás: ter-nos criado, junto com toda a criação… ter-nos elevado à ordem sobrenatural (poder conviver intimamente com Ele)… depois do pecado dos nossos primeiros pais, estabelecer novamente a Aliança com os homens prometendo o perdão… enviar os profetas para anunciar a salvação… ter vindo à terra para nos salvar, nascendo no seio da Virgem Santíssima… assumindo a natureza humana, ser modelo para nós em tudo… ter-nos transmitido seus ensinamentos maravilhosos… ter-nos deixado esses canais extraordinários da graça que são os sacramentos… ter-nos aberto as portas do Céu morrendo na Cruz…

FIGURA 21: mostrar Jesus sendo coroado de espinhos, os anjos ao redor, olhando para o purgatório.

Enfim, nós vos pedimos, tende piedade de todos nós
e dai-nos participar da vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, com os santos Apóstolos e todos os que neste mundo vos serviram, a fim de vos louvarmos e glorificarmos

Une as mãos.
por Jesus Cristo, vosso Filho.
(T: Concedei-nos o convívio dos eleitos!)

Ergue o cálice e a patena com a hóstia, dizendo:
Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória, agora e para sempre.
T: Amém!
________________________________________________________
JESUS PEDE AO PAI A GRAÇA DA SALVAÇÃO PARA TODOS NÓS

E agora Jesus estende o seu pedido a todos nós. Dirige ao Pai o pedido e pede tenha piedade de nós e nos conceda o convívio de Nossa Senhora, dos apóstolos e de todos que neste mundo vos serviram. Como esse pedido de Jesus nos enche de paz! É certo que não temos assegurada a nossa salvação, que teremos que lutar até o fim contra os nossos defeitos, mas Jesus a cada Missa pede por nós, intercede por nós. Obrigado, meu Deus, por seres tão bom!

Continuando o nosso agradecimento:
Podemos agradecer agora, em nome de todos, por todos os dons que se referem a cada vida humana: ter nascido… ter nascido nessa família, com esse pai e essa mãe tão bons… ter uma razoável condição de vida… estar vivendo até agora… não ter nenhuma doença grave… não ter sofrido nenhum acidente sério até agora que comprometa a saúde… poder estudar… estudar em determinada escola… ter uma família muito unida: irmãos, parentes… ter tido uma boa educação em casa… poder abrigar-nos do frio e do calor… não ter experimentado o drama da guerra ou uma grande catástrofe… etc… etc…
Como são importantes esses dons que Deus não cessa de dar-nos! Basta não termos um ou outro para a nossa vida tornar-se muito difícil. Quem sabe já estamos experimentando a ausência de alguns deles. Saber que Deus permite isso para tirar um bem maior. Talvez ainda não o estamos vendo, mas virá, mais dia ou menos dia. Deus é Pai, muito pai, e nunca nos abandona.

FIGURA 25: mostrar Jesus na Cruz, olhando para nós.

Publicado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Magnificat anima mea Dominum
Inquisição on Line
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 1
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 2
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 3
Curso de liturgia da Santa Missa // Padre Paulo Ricardo // Parte 4
Catecismo de Adultos – Aula 01 – A Revelação Divina – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 02 – O Modernismo, o problema atual na Igreja – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 03 – Deus Uno e Trino – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 04 – A Criação em geral e os anjos – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 05 – Os anjos e o homem – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 06 – A Teoria da Evolução contra a Ciência e a Filosofia – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 07 – Cristo Nosso Senhor e Maria Santíssima – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 08 – Aula 08 – O modo de vida de Jesus Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 09 – As perfeições de Cristo e a Paixão – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 10 – A Cruz, os infernos e a Ressurreição de Cristo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 11 – A Ascensão, os juízos particular e final, e o Espírito Santo – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 12 – Como saber qual a verdadeira Igreja de Cristo? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 13 – A Igreja Católica e a Salvação – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 14 – A Infalibilidade da Igreja e a união da Igreja e do Estado – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 15 – Da comunhão dos santos à vida eterna – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 16 – Os princípios da oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 17 – Como rezar bem? – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 18 – Os tipos de oração – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 19 – O Pai Nosso – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 20 – A Ave Maria e o Santo Terço – Padre Daniel Pinheiro

 

Catecismo de Adultos – Aula 21 – A Meditação Católica – Padre Daniel Pinheiro
Catecismo de Adultos – Aula 22 – Introdução à moral católica: uma moral das virtudes – Padre Daniel Pinheiro
Lutero e o Protestantismo: A História da Reforma – Profa. Dra. Laura Palma
Lutero e o Protestantismo: Vida de Lutero – Prof. André Melo
Lutero e o Protestantismo: Sola Scriptura – Profa. Dra. Ivone Fedeli
Lutero e o Protestantismo: Sola Fide – Prof. Marcelo Andrade
Lutero e o Protestantismo: Sola Gratia – Pe. Edivaldo Oliveira
Mídia Católica
Atualizações
Translator
Italy
Calendário
abril 2018
D S T Q Q S S
« mar   maio »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
Visitantes
  • 4.065.627 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
Links
%d blogueiros gostam disto: