DEVOÇÃO NA BÍBLIA

Resultado de imagem para devoção
devoção é um “culto privado (pessoal ou comunitária)“, centrado no ato de entrega ou consagração de si próprio ou da comunidade “ao amor de Deus e aos seus santos” e à Virgem Maria.
 Existem essencialmente dois tipos de devoção:
  • a devoção de veneração (Gen 19,1;Ex 32,13;Jos 5,15;Juz 7,18;13,17s;Jo 5,45; 8,39; Heb 13,7), que é voltada aos santos (chama-se dulia), sendo a veneração especial à Virgem Maria ( Lucas 1,41-45.48) denominada de hiperdulia.
  • a devoção de adoração ou latria (Det 6,13;Luc 4,8; Apo 4,10s), que é unicamente dirigido e prestado à Santíssima Trindade (Deus) (Mateus 28,19).
Esse ato de entrega é expresso através de “práticas piedosas exercidas, privada ou publicamente (co­mo regra devem ser aprovadas pela Igreja). 
Porém, a devoção verdadeira não são só práticas exteriores, mas também uma atitude interior, espiritual, como lemos no conselho de Davi:
“E tu, Salomão, meu filho, conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração leal e com alma devotada, pois ele sonda todos os corações e penetra todos os desígnios do espírito. Se o procuras, ele deixar-se-á encontrar por ti; mas se o abandonas, rejeitar-te-á para sempre.” (I Crônicas 28, 9)
É preciso que as práticas exteriores de devoção demonstrem, de verdade, uma atitude interior, uma vivência real da espiritualidade cristã de verdade, como lemos sobre o rei Amasias:
“Fez o bem aos olhos do Senhor, mas não com um coração inteiramente devotado. “
(II Crônicas 25, 2)

ELISEU DEVOTO DE ELIAS


Na passagem dos Atos dos Apóstolos, vemos o uso da palavra devoto para dar uma qualidade aos prosélitos que seguiam Paulo e Barnabé:
  • “Depois que a assembleia terminou, muitos judeus e prosélitosdevotos seguiram Paulo e Barnabé, os quais com muitas palavras os exortavam a perseverar na graça de Deus.” (Atos dos Apóstolos 13, 43)
O devoto de um Santo é como esses prosélitos, que  seguem os Santos para ouvir a palavra de Deus, para conhecer Jesus, para imitar suas virtudes (Filipenses 3,17; João 8,39; Hebreus 6,12; 13,7; Tiago 5,10).
 
É preciso salientar que a devoção não é igual à idolatria, que é o culto de adoração que se presta a uma criatura, tributando-lhe a honra que é devida só a Deus. 1
Ser devoto, como foi dito mais acima, significa entregar-se  ao amor de Deus, como constatamos na passagem da Bíblia abaixo:

Embora não tenham desaparecido os lugares altos, o coração de Asa foi inteiramente devotado ao Senhor durante toda a sua vida.”(I Reis 15, 14)

Mas ser devoto não significa apenas culto de  adoração, também pode  significar dedicação a alguém, algo ou a algum Santo, como lemos nas passagens bíblica:

Não maltrates um escravo que trabalha pontualmente, nem o operário que te é devotado. “(Eclesiástico 7, 22)

E, retirando-se o anjo que lhe falava, chamou dois dos seus criados, e a um piedoso soldado dos que estavam ao seu serviço.” (Atos 10,7)

A devoção aos Santos na Bíblia pode ser encontrada na devoção de Eliseu para com Elias.

Eliseu seguiu o Profeta Elias para o servir ( II Reis 19,21) e simboliza todos aqueles que são devotos de um Santo:

“Voltou, pois, de o seguir, e tomou a junta de bois, e os matou, e com os aparelhos dos bois cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram; então se levantou e seguiu a Elias, e o servia.”(1 Reis 19,21)
Todo devoto busca aprender do Santo sua experiência de Deus (Hebreus 6,12; 13,7; Tiago 5,10), daí porque Eliseu  pediu um porção dobrada do espírito de Elias (II Reis 2,9).
“Sucedeu que, havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja porção dobrada de teu espírito sobre mim.”
(2 Reis 2,9)
Todo devoto se confia à intercessão de seu Santo favorito (Gênesis 20,7.17; Isaías 37,1-5; Jó 42,8; Filipenses 1,19; Tiago 5,16; Apocalipse 5,8) , como Eliseu que orava Deus invocando o nome de Elias (II Reis 2,14):
“E tomou a capa de Elias, que dele caíra, e feriu as águas, e disse: Onde está o Senhor Deus de Elias? Quando feriu as águas elas se dividiram de um ao outro lado; e Eliseu passou.”
(2 Reis 2,14)
Todo devoto admira a vida de seu Santo padroeiro e se coloca diante dele como Eliseu que louvava Elias (II Reis 2,12).
“O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel, e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, pegando as suas vestes, rasgou-as em duas partes.”
(2 Reis 2,12)
Todo devoto lembra-se de seu Santo padroeiro para imitar-lhe a fé (Hebreus 13,7), as virtudes, para tê-lo como exemplo de amor a Deus e como um intercessor diante do trono do Altíssimo (Apocalipse 7,15; Hebreus 11,4), mantendo-lhe a memória desperta (Isaías 62,6-7).
DEVOÇÃO DE ADORAÇÃO A DEUS:

O culto de adoração da Igreja se expressa na Santa Missa (Atos 2,42; 20,7; I Coríntios 10,16; 11,27), seu culto litúrgico oficial.

Na Missa, adoramos a Trindade Santíssima e ao Corpo e Sangue de Cristo no pão e vinho (I Coríntios 10,16; 11,27).

VERDADEIRA DEVOÇÃO:

A verdadeira devoção se expressa através de atos concretos, que podem ser orações, rituais, obras de caridade e virtudes, como lemos sobre o rei Ezequias na Bíblia:
“Ah, Senhor! Suplico-te lembrar de que andei diante de ti em verdade, com o coração perfeito, e fiz o que era bom aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo.” (2 Reis 20,3)
“Os outros atos de Ezequias, suas obras piedosas, tudo isso se acha relatado na visão do profeta Isaías, filho de Amós, e nos livros dos reis de Judá e de Israel.” (II Crônicas 32, 32)
Outros trechos que falam sobre ser devoto ou piedoso e a necessidade das práticas virtuosas, são:
“Ora, havia em Jerusalém um homem chamado Simeão. Estehomem, justo e piedoso, esperava a consolação de Israel, e o Espírito Santo estava nele.” (São Lucas 2, 25)
“Achavam-se então em Jerusalém judeus piedosos de todas as nações que há debaixo do céu.” (Atos dos Apóstolos 2, 5)

Um certo Ananias, homem piedoso e observador da lei, muito bem conceituado entre todos os judeus daquela cidade”
(Atos 22,12)
Ao contrário, seja hospitaleiro, amigo do bem, prudente, justo,piedoso, continente,” (Tito 1, 8)
“Se alguém pensa ser piedoso, mas não refreia a sua língua e engana o seu coração, então é vã a sua religião.” (São Tiago 1, 26)
“Entretanto, alguns homens piedosos trataram de enterrar Estêvãoe fizeram grande pranto a seu respeito.” (Atos dos Apóstolos 8, 2)
As diversas devoções  expressas na piedade popular são diferentes do culto litúrgico, que é “o culto oficial prestado pela Igreja Católica na Santa Missa com Cristo e por Cristo a Deus“(Atos 2,42; 20,7; I Coríntios 10,16; 11,27).
Porém, apesar dessa diferença, “tem acontecido ao longo dos séculos que certas expressões da piedade popular passaram à liturgia (festas do Natal, do Sagrado Coração de Jesus, do Imaculado Coração de Maria, etc.)“.
Mas, a piedade popular não é contraditória com a liturgia, sendo aceita e até, em muitas vezes, recomendada pela Igreja.
DEVOÇÃO- MEDALHAS E SÍMBOLOS:

Entre as diversas expressões de devoções cristãs catolicas, temos a devoção expressa através de símbolos, medalhas, e imagens sagradas, como encontramos em algumas referências bíblicas:

Depois que os tiveres consagrado, eles tornar-se-ão objetos santíssimos, e tudo o que os tocar será consagrado.” (Êxodo 30, 29)
“Foi feita a lâmina de ouro puro, o diadema sagrado, onde foi gravado, como se grava um sinete: consagrado a Javé.” (Êxodo 39, 30)
Uso de imagens:

“Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.”(Êxodo 25,18)

 “Depois fez o véu de azul, e de púrpura, e de carmesim, e de linho fino torcido; de obra esmerada o fez com querubins.”(Êxodo 36,34-35)

Uso de faixas ou medalhas:

 “E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração;(…)
Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos.
E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.”
(Deuteronômio 6,5-9)

Uso de velas:

“Também lhe farás sete lâmpadas, as quais se acenderão para iluminar defronte dele.”(Êxodo 25,37)

Uso de incenso:

“E Arão sobre ele queimará o incenso das especiarias; cada manhã, quando puser em ordem as lâmpadas, o queimará.”(Êxodo 30,6-7)

Veneração ao templo, igreja, e dias santos:

“Guardareis os meus sábados, e reverenciareis o meu santuário. Eu sou o Senhor.”(Levítico 2,2)

“Havendo, pois, Arão e seus filhos, ao partir do arraial, acabado de cobrir o santuário, e todos os instrumentos do santuário, então os filhos de Coate virão para levá-lo; mas no santuário não tocarão para que não morram; este é o cargo dos filhos de Coate na tenda da congregação.”(Números 4,15)

AS PEREGRINAÇÕES E ROMARIAS
Outra forma de devoção cristã católica são as peregrinações aos lugares sagrados. Como lemos na Bíblia, há lugares que são privilegiados pela manifestação divina:
“Moisés respondeu ao Senhor: “O povo não poderia subir o monte Sinai, pois vós no-lo ordenastes expressamente, dizendo: fixa limites ao redor do monte, e declara-o sagrado.” (Êxodo 19, 23)
“Ordenou o rei que se murasse o lugar e o considerassem como sagrado, após ter-se certificado da exatidão do acontecido.” (II Macabeus 1, 34)
“Era completamente impossível defraudar os que haviam depositado confiança na santidade do lugar e no caráter sagrado e inviolável do templo venerado no mundo inteiro.” (II Macabeus 3, 12)
“Sabereis então que eu sou o Senhor, vosso Deus, que habita em Sião, minha montanha santa. Jerusalém será um lugar sagradoonde os estrangeiros não tornarão mais a passar.” (Joel 4, 17)

PROMESSAS BÍBLICAS AOS DEVOTOS
Na Bíblia, também encontramos promessas de Deus aos que vivem em devoção:
“Senhor, Deus, vinde, pois, habitar nesta moradia, vós e a arca onde reside vosso poder. Senhor Deus, que vossos sacerdotes estejam revestidos de força salutar e que vossos devotos desfrutem de sua felicidade!” (II Crônicas 6, 41)
“Os olhos do Senhor percorrem toda a terra para sustentar aqueles cujo coração lhe é totalmente devotado. Tu te comportaste tolamente nesse negócio, pois doravante terás continuamente guerras.” (II Crônicas 16, 9)
“é porque o Senhor sabe livrar das provações os homens piedosos e reservar os ímpios para serem castigados no dia do juízo,” (
“E tu, Salomão, meu filho, conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração leal e com alma devotada, pois ele sonda todos os corações e penetra todos os desígnios do espírito. Se o procuras, ele deixar-se-á encontrar por ti; mas se o abandonas, rejeitar-te-á para sempre. ”
(I Crônicas 28, 9)

A ORAÇÃO DO DEVOTO SERÁ OUVIDA:
A Bíblia deixa-nos crer que aqueles que vivem em devoção serão ouvidos em suas preces:
“Pelo nome de Davi, vosso servo, não rejeiteis a face daquele que vos é consagrado.” (Salmos 131, 10)
“Senhor Deus, não repilais a prece daquele que vos é consagrado, em memória dos favores que concedestes a vosso servo Davi.” (II Crônicas 6, 42)
Roga, pois, a Deus por nós, porque és uma mulher santa e piedosa.“(Judite 8, 29)
E tu, Salomão, meu filho, conhece o Deus de teu pai e serve-o com um coração leal e com alma devotada, pois ele sonda todos os corações e penetra todos os desígnios do espírito. Se o procuras, ele deixar-se-á encontrar por ti; mas se o abandonas, rejeitar-te-á para sempre.” (I Crônicas 28, 9)

O DEVOTO SERÁ PERSEGUIDO:

Mas a Bíblia também nos previne que todo devoto será perseguido pelo mundo:
“Pois todos os que quiserem viver piedosamente, em Jesus Cristo,terão de sofrer a perseguição.” (II Timóteo 3, 12)
Em nosso tempo, todo devoto e expressão devocional são perseguidos e ridiculrizados pelas pessoas, pois a escritura já profetizava que o adversário, no fim dos tempos, se levantaria contra tudo o que é divino e sagrado:
o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar lugar no templo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus. ” (II Tessalonicenses 2, 4)
Anúncios
Publicado em Uncategorized

RESUMO DA DOUTRINA CATÓLICA

Resultado de imagem para DOUTRINA CATÓLICA
PARA LEMBRAR E RELEMBRAR O CERNE DA NOSSA FÉ

Antes de subir ao Céu, Jesus deixou a Igreja para continuar a Sua obra no mundo.
(E Jesus subiu a um monte e chamou a Si os que Ele quis e constituiu doze deles como Apóstolos para andarem com Ele e pregar e expulsar demônios(Mc 3,13-15).
E ao chefe dos Apóstolos Jesus disse: ” Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja (Mt 16,18).

Eis, pois, que Jesus instituiu uma ÚNICA E VERDADEIRA IGREJA que é a Igreja Católica. São Pedro foi o primeiro Papa, isto é, o representante visível de Jesus na terra. Hoje o representante de Jesus é o Papa Francisco. Toda a verdade e autoridade deixadas por Jesus estão na IGREJA CATÓLICA.

No início do século XVI, por volta do ano 1530, um sacerdote alemão chamado Martinho Lutero, revoltado com certos erros administrativos da Igreja Católica, deixou a verdadeira Igreja e fundou uma “igreja” para si, chamada PROTESTANTE ou LUTERANA. A seguir muitas outras pessoas acharam por bem fundar também, por conta própria, outras “igrejas”, “seitas”, etc.. Muito embora todas essas milhares de “igrejas” e “seitas” que existem hoje pelo mundo falem de Jesus e preguem o Seu Evangelho, elas não se originam da vontade de Cristo. Na verdade, esta divisão, fere dolorosamente o Sagrado Coração de Jesus. Na última Ceia, Jesus rezou: ” Que todos sejam um como Tu, Pai, estás em Mim e Eu em Ti… e o mundo creia que Tu Me enviaste” (Jo 17,21). O Papa João Paulo II, no livro “CRUZANDO O LIMIAR DA ESPERANÇA” – na página 143, assim se expressa: “Não é possível imaginar que esta Igreja, instituída por Cristo sobre o fundamento dos Apóstolos e de Pedro, não seja una”.

VERDADEIRAMENTE, Jesus Cristo instituiu a Igreja como sacramento de salvação para todos os povos. Assim, todas as pessoas de boa vontade, de qualquer raça, de qualquer país, de qualquer religião, podem salvar-se. Mas a salvação só se dá por causa da Igreja Católica, e em vista dos méritos infinitos de JESUS. É por isso que todos, no mundo inteiro, devem chegar ao conhecimento de Jesus e de Sua Igreja. É vontade de Deus e é uma questão de gratidão e justiça amar Aquele que nos salva. Jesus disse aos seus apóstolos: “Ide pelo mundo inteiro, ensinai o Evangelho a todas as gentes e fazei-os discípulos meus”.

Nosso Senhor Jesus Cristo instituiu apenas uma Igreja. Assim, pois, pertencer à verdadeira Igreja de Jesus, que é a Igreja CATÓLICA, é como participar de um banquete com todos os tipos de alimentos os mais deliciosos, que são os SACRAMENTOS (meios extraordinários dados por Deus, eficazes para a salvação eterna), os quais só os padres da Igreja Católica têm o poder e autoridade para ministrar. Freqüentar outras “igrejas” e “seitas” é como ir a um banquete onde só há pão seco e água, no máximo.

Já no século XII, também São Francisco de Assis percebeu que muitos na Igreja: bispos, padres e fiéis, não estavam agindo bem. Porém, ele não saiu da verdadeira Igreja; ao contrário chamou a atenção de todos para corrigirem os erros, e ele próprio deu o exemplo, fazendo muita penitência, e agindo como Deus desejava que a Igreja agisse. E a Igreja foi restaurada por Deus através da humildade de São Francisco de Assis.

São Francisco de Assis agiu com humildade e não saiu da verdadeira Igreja; ao contrário: permaneceu nela e ajudou-a a melhorar. O Padre Martinho Lutero agiu com orgulho e deixou a Igreja.

Os Católicos não são maiores, nem melhores que ninguém, e não são os únicos que se salvam. Ao contrário, poderão ser julgados com maior severidade. Porém, eles, como ninguém mais no mundo, gozam da verdadeira liberdade dos filhos de Deus. E têm à sua disposição TODOS os meios necessários para a salvação, principalmente o maior e o mais importante, que é a Sagrada Comunhão (Jesus presente em Corpo, Sangue, Alma e Divindade na hóstia Consagrada pelo sacerdote). No Evangelho de São João está escrito: “Eu sou o pão vivo, que desceu do Céu. Quem comer deste pão, viverá eternamente; e o pão que Eu darei é a minha Carne para a salvação do mundo” (Jo 6, 51-52). Este Pão Vivo só existe na Igreja Católica. Fora dela, este pão é só pão material, e nada mais. Não há nenhum benefício espiritual em comer este “pão” fora da Igreja Católica. É como querer matar a sede com um copo vazio.

Na Igreja Católica os fiéis têm Cristo vivo, presente, na Hóstia Consagrada como alimento para a vida da alma. Fora da Igreja Católica, os fiéis só podem falar de Jesus.

Outro SACRAMENTO necessário para a salvação é o da penitência. É certo que é somente Deus quem perdoa os pecados. Na Igreja de Cristo que é a CATÓLICA, Deus perdoa os pecados através do sacerdote. Na Confissão, o penitente ouve do sacerdote o perdão dado por Deus. E o penitente tem a certeza absoluta de que Deus o perdoou. Quanto aos outros penitentes que se confessam diretamente a Deus, eles nunca tem a certeza absoluta de que foram perdoados. Eles não ouvem a voz de Deus, como os Católicos a ouvem através da boca do sacerdote. No Evangelho de São João estão estas palavras de Jesus aos Apóstolos: “Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; e àqueles a quem não perdoardes os pecados, estes não serão perdoados”. (Jo 20, 23)

Mas, se a Igreja Católica é tudo isso, por que se fala tão mal dela? Por que tantas críticas sobre os seus erros, como, por exemplo, as torturas na inquisição, etc.? Por que se ataca tanto o Papa?

A resposta é simples: A Igreja Católica é uma instituição divina, mas administrada por seres humanos, que são limitados e erram. A Igreja não erra. A verdade confiada a ela por Jesus permanece imutável. As pessoas, contudo, erram. Além disso, o demônio existe e é inteligentíssimo. Ele sabe que se conseguisse destruir a verdadeira Igreja, que é a Católica, ele teria nas mãos o mundo. É por isso que ele instiga os ataques permanentes contra a Igreja Católica. Dificilmente iremos ver alguém atacando qualquer outra religião, outra igreja, seitas, etc. Mas a Igreja Católica é alvo constante de ataques de todo o tipo. Nas escolas, nas universidades, nas festas, em reuniões de todo tipo, e, principalmente pela TV, sempre há alguém atacando a Igreja de Cristo e debochando dos seus dogmas, isto é: negando ser Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem; negando a infalibilidade do Papa em questões de fé e moral; negando a virgindade perpétua de Maria Santíssima; negando a presença real de Jesus na Eucaristia, etc.

Para finalizar o breve comentário, uma pergunta: – Qual o líder religioso que quase todos os Presidentes e Reis do mundo inteiro vão visitar em Roma, ou que é convidado a visitar os seus países? Qual o líder religioso que muitos Presidentes e Reis chegam a beijar-lhe a mão?

Muitos escolhem outras “igrejas” porque elas são mais alegres. Não se pode trocar o verdadeiro pelo alegre. A verdadeira alegria não é só ficar cantando e pulando. A verdadeira alegria está no coração, e esta alegria só Deus pode dar, na verdadeira Igreja.

A Igreja Católica é, por fim, uma família completa porque ela tem um Pai que é Deus e tem Mãe: A VIRGEM MARIA, chamada também de MÃE DE DEUS. Sim, Ela é Mãe de Deus porque é Mãe verdadeira de Jesus Cristo, que É DEUS! Ela completa a Igreja de Cristo com a sua TERNURA MATERNAL.

Quem é Deus?

Deus é um espírito perfeito e eterno, criador do céu e da terra.

(Temos um só Deus, o Pai de quem tudo provém e nós somos criados por Ele (1Cor 8,5-6). Deus é espírito(Jo 4,24).

Onde está Deus?

Deus está no céu, na terra, em toda parte.

(Em todo o lugar estão os Vossos Olhos observando os maus e os bons(Pr 15,3).

Deus vê e conhece todas as coisas?

Sim. Deus vê, conhece todas as coisas presentes passadas e futuras, até conhece todos os nossos pensamentos.

(Deus conhece todas as coisas(1Jo 3,20). O Senhor sonda todos os corações e penetra em toda a imaginação dos pensamentos (1Cr 28,9).

Há um só Deus

Sim. Há um só Deus e não pode haver mais de um porque é o único e supremo Senhor de tudo e de todos.

(Há um só Deus e Pai de todos que está acima de todos(Ef 4,6). Vedes afinal que Eu Sou um só e não há Deus ao meu lado(Dt 32,39).

Quantas pessoas há em Deus?

Em Deus há três pessoas realmente distintas: Pai, Filho e o Espírito Santo. São três pessoas distintas, mas Se amam tanto que formam um só Deus.

(Ide, pois, ensinai todas as gentes e batizai em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mt 28,19). Jesus Se fez batizar por João no Rio Jordão, e o Espírito em forma de pomba desceu sobre ele. E uma voz veio do Céu (Jo 10,30). Este é o Meu Filho muito amado(Mc 1,9-11).

Como se chama este Mistério?

É o Mistério da Santíssima Trindade.

(Três são os que dão testemunho: o Pai, o Verbo e o Espírito Santo e esses três são um só (1 Jo 5,7).

Existe diferença entre as três pessoas?

As três pessoas em Deus Pai, Filho, Espírito Santo são todas iguais, porque têm a mesma natureza divina, o mesmo poder, a mesma santidade e as mesmas virtudes.

(O Espírito Santo, que o Pai enviará em Meu Nome, ensinar-vos-á tudo. Eu e Meu Pai somos um. Quem Me vê, vê o Pai (Jo 14,25-26)

Deus é eterno?

Antes do mundo existir, Deus já existia. Deus é Pai e Criador de tudo quanto existe. Ele nunca nasceu e nunca morrerá.

(Antes que nascessem as montanhas e se formassem a terra e o mundo, de eternidade em eternidade vós existis ó Deus (Sl 89,2).

Quem é o Pai?

O Pai é Deus, é a primeira pessoa da Santíssima Trindade.

(Um é vosso Pai, que está no céu(Mt 23,9).

Quem é o filho?

O Filho é Deus, é a segunda pessoa da Santíssima Trindade, que se fez homem por amor de nós.

(Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo(Mt 16,16). Deus amou tanto o mundo, que deu Seu Filho unigênito para que todos tivessem a vida eterna(Jo 3,10).

Quem é o Espírito Santo?

O Espírito Santo é Deus, é a terceira Pessoa da Santíssima Trindade. Ele habita naquele que foi batizado e vive em estado de graça. Ele nos santifica e nos ajuda a fazer boas obras. O nosso corpo é o templo e a casa do Divino Espírito Santo.

(Não sabeis que sois templo de Deus e que o Espírito Santo habita em vós?(1Cor 3,16). O Espírito de verdade, que procede do Pai dará testemunho de Mim (Jo 15,26).

Quem fez o mundo?

O mundo e tudo quanto existe foram feitos por Deus; Deus fez tudo do nada e pela força de Sua palavra.

(Olha para o céu e para a terra; vê as coisas que há neles e te convence bem de que Deus as criou do nada(2Mc 7,28).

Existem anjos?

Sim. Deus criou os anjos que são puros espíritos; eles não têm corpo como nós.

(Bendizei ao Senhor, todos os anjos fortes e poderosos que executais as ordens e obedeceis às Suas palavras(Sl 102,20).

Para que Deus criou os anjos?

Deus criou os anjos para Sua glória e Seu serviço. Muitas vezes os anjos também servem aos homens. Nós todos temos um anjo da guarda, que nos acompanha e protege em todo o momento.

(Eis que enviarei o Meu anjo, que vai diante de ti e te guarda pelo caminho. Respeita-o, ouve a sua voz e não o desprezes, pois ele fala em Meu Nome(Ex 23,20-21).

Existem demônios?

Sim. Uma parte dos anjos se revoltou contra Deus e por isso foram expulsos do Paraíso e se tornaram demônios. O demônio nos tenta e quer nos levar ao pecado.

(Deus não poupou os anjos que pecaram, mas precipitou-os no inferno (2Pd 2,4). Vigiai porque o demônio anda em redor como um leão a rugir, procurando a quem possa devorar(1Pd 5,8).

O que é o homem?

O homem é uma criatura de Deus. Ele tem corpo e alma, por isso é capaz de pensar, querer e amar.

(Fizeste-o um pouco inferior aos anjos, de glória e esplendor o coroaste e lhe deste poder sobre as obras de Tuas Mãos(Sl 8,5-7).

Como foi feito o homem?

O homem foi feito à imagem de Deus. Deus formou o corpo do barro da terra e lhe inspirou o espírito da vida. A imagem de Deus que o homem possui, refere-se à “inteligência” e à “vontade”, além da nossa alma, que não podemos ver neste mundo.

(Façamos o homem segundo nossa imagem (Gn 1,26). Deus formou o homem do barro e lhe inspirou no rosto o sopro da vida(Gn 2,7).

Como se chamam o primeiro homem e a primeira mulher?

O primeiro homem chama-se Adão e a primeira mulher chama-se Eva, que foi tirada do homem.

(E Adão pôs à sua mulher o nome de Eva, porque ela era a mãe de todos os viventes (Gn 3,20)

O homem e a mulher têm a mesma dignidade?

Sim, o homem e a mulher têm a mesma dignidade humana, os mesmos direitos e os mesmos deveres. Nenhum é inferior ao outro.

(Eis aqui agora osso dos meus ossos e carne da minha carne(Gn 2,23).

Para que Deus criou o homem?

O homem foi criado por Deus para conhecer, amar e servir a Deus neste mundo, e depois da sua morte, viver com Deus na Sua glória.(Verdade é que Deus criou o homem para a imortalidade (Sb 2,23). Destruída a nossa tenda na terra, temos no Céu uma habitação eterna(2Cor 5,1).

Onde Deus colocou Adão e Eva?

Deus colocou os primeiros homens no paraíso terrestre. Isto significa: viviam felizes, sem sofrimento, sem doenças, sem pecado e sem a morte.

(Deus tinha criado desde o início um paraíso de delícias no qual pôs o homem que tinha formado(Gn 2,5).

Adão e Eva pecaram?

Por tentação do demônio, Adão e Eva desobedeceram a Deus. No seu orgulho queriam ser iguais a Deus.

(E a mulher tirou da árvore o fruto e comeu e deu a seu marido que também comeu(Gn 2,6).

O pecado de Adão e Eva passou para todos os homens?

Porque somos filhos de Adão e Eva, o pecado dos nossos primeiros pais passou para todos os homens. É o pecado original.

(Por um só homem o pecado entrou no mundo e nele os homens pecaram(Rm 5,12).

Todo homem que nasce tem esse pecado original?

Sim, todos os homens nascem com este pecado, que somente será apagado pelo batismo. Por isso todas as crianças devem ser batizadas.

(Quem não renascer por meio da água e do Espírito Santo, não pode entrar no reino dos céus(Jo 3,5).

Maria Santíssima tinha este pecado?

Maria Santíssima é a única pessoa que por graça de Deus não nasceu com este pecado. Por isso A chamamos “ Maria concebida sem pecado”. Ela é a “Imaculada Conceição.”

(Ave Maria cheia de graça (Lc 1,28).

Quem é nosso Salvador?

É Jesus Cristo, Filho de Deus feito homem. Jesus é Deus e Homem.

(Deus amou tanto o mundo que enviou Seu próprio Filho, para que o mundo fosse salvo por Ele(Jo 3,17). E o Verbo Se fez carne e habitou entre nós(Jo 1,14).

Como Jesus se fez homem?

Ele nasceu de Maria Virgem por obra do Espírito Santo.

(O Espírito Santo descerá sobre Ti e a virtude do Altíssimo Te cobrirá, por isso, o Santo que há de nascer de Ti será chamado Filho do Altíssimo (Lc 1,35).

Onde Jesus nasceu?

Jesus nasceu pobre na cidade de Belém da Judéia, em uma gruta de pastores e foi reclinado em uma manjedoura.

(E tu Belém, terra de Judá, não és a menor entre as cidades de Judá, porque

de ti sairá o Salvador do meu povo, Israel(Mt 2,6).

Quem é a Mãe de Jesus?

A Mãe de Jesus é Maria, Nossa Senhora. Ela é verdadeiramente Mãe de Deus.

(O Espírito Santo virá sobre Ti e o Santo que nascer de Ti será chamado Filho de Deus(Lc 1,35).

Quem é São José?

São José é o esposo de Maria e pai adotivo de Jesus.

(E José tomou Maria por esposa e não A conhecia até que deu à luz o seu Filho primogênito e lhe pôs o nome de Jesus(Mt 1,24-25).

Obs.: Nossa Senhora é proclamada “Sempre Virgem Maria”. Virgem antes, durante e depois do parto. Nossa Senhora e São José nunca praticaram os atos próprios dos esposos. Eram puríssimos companheiros: Ela foi sempre virgem e São José foi sempre casto.

Por que Jesus se fez homem?

Jesus foi enviado pelo Pai para nos ensinar o caminho da felicidade e salvar todos os homens do pecado e do inferno.

(Eu Sou a Luz do mundo; quem Me segue não anda nas trevas. Eu Sou o caminho e ninguém vai ao Pai senão através de Mim(Jo 14,7).

O que fez Jesus para nos salvar?

Ele sofreu e morreu por nós na Cruz e ao terceiro dia ressuscitou dos mortos.

(Jesus foi entregue à morte por causa dos nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação (1Pd 3,18).

Como chamamos o Mistério da morte e ressurreição de Jesus?

É o Mistério da Redenção ou Mistério Pascal.

(Ele destruiu o poder da morte e pela ressurreição nos deu uma nova vida. Como todos os homens morrem em Adão, no Cristo todos ressuscitam(1Cor 15,22).

Que fez Jesus 40 dias depois da Ressurreição?

Jesus subiu ao Céu; voltou para junto do Pai. No Céu Ele preparou um lugar para todos os homens que têm boa vontade.

(O Senhor Jesus, depois de ter-lhes falado, foi arrebatado ao céu e sentou-se à direita de Deus (Mc 16,19). “E quando tiver preparado um lugar para vós, virei novamente e vos levarei comigo”(Jo 14, 2-4).

Quem Jesus enviou do Céu para os apóstolos?

Jesus mandou o Espírito Santo.

(O Espírito Santo que meu Pai em meu nome mandará, vos ensinará tudo(Jo 14,26).

O que o Espírito Santo concedeu aos apóstolos?

Ele deu aos apóstolos inteligência, força e coragem para pregar a todos os homens o Evangelho de Jesus Cristo.

(O fruto do Espírito é caridade, alegria, paz, paciência, afabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e temperança(Gl 5,22).

Jesus fundou uma Igreja?

Antes de subir ao Céu, Jesus deixou a Igreja para continuar a Sua obra no mundo.

(E Jesus subiu a um monte e chamou a Si os que Ele quis e constituiu doze deles como apóstolos para andarem com Ele e pregar e expulsar demônios(Mc 3,13-15).

O que é a Igreja?

A Igreja é a grande família de Deus. Formam a Igreja os santos do Céu, as almas do Purgatório e os fiéis aqui na terra que observam os ensinamentos de Jesus.

(Com efeito todos os que são de Cristo e têm o Seu Espírito Santo estão unidos numa só Igreja e ligados uns aos outros(Ef 4,16).

Quem foi o primeiro Papa?

Foi São Pedro. O Papa de hoje é Francisco.

(Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja)Mt 16,18).

Qual é a missão da Igreja?

A Igreja, em nome de Jesus, ensina o caminho da salvação e administra os Sacramentos.

(Ide, pois, ensinai todas as gentes, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a observar tudo o que mandei(Mt 28,19-20).

Quem são os ministros de Jesus aqui na terra?

São o Papa, os bispos e os sacerdotes que pregam e administram os Sacramentos em nome de Jesus.

(Cuidai vós mesmos de todo o rebanho de Cristo, a vós confiado

Quais são os Sacramentos da Igreja?

1- Batismo

2- Confirmação ou Crisma

3- Sagrada Eucaristia (Comunhão)

4- Penitência: Confissão

5- Sacramento dos enfermos (Unção dos enfermos)

6- Sacramento da Ordem (Padres e Freiras)

7- Matrimônio

Todos os homens devem ser batizados?

Sim, todos devem ser batizados para apagar o pecado original e pertencer à Igreja, que é a família de Deus.

(Aquele que crer (em Jesus e no Seu Evangelho) e for batizado será salvo, quem não crer será condenado(Mc 16,10).

Quais são os efeitos do Batismo?

O Batismo apaga o pecado original, faz-nos filhos de Deus e da Igreja e abre para nós as portas do Céu.

(Vós fostes lavados do pecado e consagrados a Deus e aceitos por ele por meio de Jesus Cristo e pelo Espírito de Deus(1Cor 6,11).

Como se batiza a criança que está para morrer?

Derrama-se água sobre a cabeça e se diz as palavras: (diz-se o nome da criança e se acrescenta: “eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”.

Que recebemos na Crisma?

Na Crisma recebemos o Espírito Santo que nos dá inteligência e força para conhecer e fazer o que é bom.

(O Espírito do Senhor Deus está sobre mim, porque o Senhor me ungiu(Is 61,1).

O que é o Sacramento da Eucaristia?

A Eucaristia é Jesus que está presente na Hóstia consagrada com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade.

(A minha Carne é verdadeira comida e o meu Sangue é verdadeira bebida(Jo 6,55).

Quem instituiu a Sagrada Eucaristia?

Foi Jesus Cristo, quando na última ceia tomou o pão em Suas mãos e disse: “Tomai e comei, isto é meu Corpo”. Tomou o cálice de vinho e disse: “Tomai e bebei, isto é meu Sangue”(Lc 22, 19-20).

A quem Jesus deu poder de mudar pão em Seu Corpo e vinho em Seu Sangue?

Jesus deu este poder aos padres que na Santa Missa mudam pão em Corpo e vinho em Sangue de Jesus. Somente na Igreja Católica acontece este Milagre. Somente os sacerdotes da Igreja Católica têm este poder dado por Jesus, para transubstanciar o pão no Corpo e o vinho no Sangue de Cristo. Somente na Igreja Católica se come e se bebe, na Comunhão, o Corpo e o Sangue de Jesus.

(Fazei isto em memória de mim(Lc 22,19).

O que é a Santa Missa?

A Santa Missa é o sacrifício de Jesus na Cruz, porque o mesmo Corpo e o mesmo Sangue que Jesus ofereceu na Cruz ao Pai para salvar o mundo, Ele o oferece também na Missa. O Corpo e o Sangue de Jesus presente na Hóstia e no Vinho da Missa é o mesmo Corpo e Sangue de Jesus na Cruz.

(Isto é meu Corpo que será entregue por vós e é meu Sangue que será derramado para remissão dos pecados(Lc 22,19-20).

Quem pode comungar?

Só pode comungar quem é batizado e está em estado de graça, isto é, sem pecado grave.

(Que cada um examine a si mesmo e assim como deste Pão e beba deste Cálice(1Cor 11,28).

O que acontece com aquele que comunga com pecado grave na alma?

Ele come e bebe a sua própria condenação(1Cor).

O que é o Sacramento da Confissão ou Penitência?

A Confissão é o Sacramento instituído por Jesus Cristo para perdoar os nossos pecados.

(Se confessarmos os nossos pecados, Deus é tão fiel e justo que nos perdoa os pecados e nos purifica de toda iniquidade(1Jo 1,9).

Quem perdoa os pecados?

É Jesus Cristo, por meio do sacerdote da Igreja Católica.

(Recebei o Espírito Santo. A quem vós perdoardes os pecados, a eles serão perdoados. A quem não perdoardes os pecados, estes não serão perdoados(Jo 20,22-23).

O que é necessário para uma boa Confissão?

1. Exame de consciência(lembrar-se de todos os pecados, ao menos dos mortais).

2. Contrição: arrepender-se dos pecados e pedir perdão a Deus.

3. Bom propósito: prometer a Deus não pecar mais.

4. Confissão: dizer os pecados ao sacerdote.

5. Satisfação: rezar a penitência ou fazer uma obra que o sacerdote mandou.

Quem deve se confessar?

Quem cometeu um pecado grave e está em estado de pecado mortal deve se confessar o quanto antes.

(Não te envergonhes de confessar os teus pecados(Eclo 4,31).

Que é o Sacramento do enfermos?

É o Sacramento dado por Jesus para consolar, confortar os doentes, os idosos e pessoas que estão para morrer.

(Está alguém enfermo? Mande chamar os sacerdotes da Igreja e eles rezem sobre ele ungindo-o com óleo no nome do Senhor. E se tiver cometido pecados ser-lhe-ão perdoados(Tg 5,14-15).

Que é o Sacramento da Ordem?

É o Sacramento dos sacerdotes, quando recebem a ordem de pregar e o poder de celebrar a Santa Missa e perdoar os pecados.

(Considerem-nos todos como ministros de Cristo e administradores dos Mistérios de Deus(1Cor 6,4).

Que é o Sacramento do matrimônio?

Pelo Sacramento do matrimônio, Deus abençoa os que querem se casar e dá aos esposos as graças para viverem em paz e amor e cumprir os seus deveres de pais.

(Deus os abençoou. Frutificai e multiplicai-vos e enchei a Terra(Gn 1,28). O que Deus uniu o homem não separe(Tb).

Quais são os mandamentos da Lei de Deus?

1. Amar a Deus sobre todas as coisas.

2. Não tomar Seu Santo Nome em vão.

3. Guardar os domingos e festas de guarda.

4. Honrar pai e mãe.

5. Não matar.

6. Não pecar contra a castidade.

7. Não furtar.

8. Não levantar falso testemunho.

9. Não desejar a mulher do próximo.

10.Não cobiçar as coisas alheias.

 

 

Publicado em Uncategorized

TUDO SOBRE MARIA, DO LIVRO DE GÊNESIS AO APOCALIPSE

Resultado de imagem para MARIA NA BÍBLIA

GÊNESIS 1 v. 26 – Deus com muito amor, e misericórdia mesmo sabendo que os homens nesta Terra são semelhantes a meninos, mas Ele deu poder aos homens da Terra sobre os animais. Por consideração a Maria por Ela ter assinado como se fosse um cheque em branco para salvação da humanidade sem Seu sim, nenhum homem se salvaria na Terra, Ela diante de Deus foi a única mulher que aceitou imolar Seu Filho para Deus em prol da humanidade.
GÊNESIS 3 v. 15 – Todos que aceitam Maria como Mãe são Seus descendentes, irmão de Jesus, quem não a aceita é filho de Lucifer.
GÊNESIS 12 v. 3 – Todos foram abençoados na fé de Abraão, quem amaldiçoa Maria e Jesus porque Eles são descendentes de Abraão, serão amaldiçoados por Deus (Lucas 1 v. 48).
GÊNESIS 13 vs. 14 e 15 – Deus promete terra para todos os descendentes. Hoje são descendentes de Maria e Jesus, a promessa é perpétua.
GÊNESIS 15 vs. 1ss – Deus faz uma aliança com Abraão, estes animais tinham que ser sem defeito, já simbolizavam Aquela que viria ao mundo para dar a Luz ao Salvador que tinha que ser pura sem a mancha do pecado original, esta foi uma aliança firmada por Deus com a Virgem Maria, Ela daria o Seu Cordeiro para ser imolado para a humanidade.
GÊNESIS 17 v. 12 – Ai já mostrava obediência de Maria, mesmo sabendo que Seu Filho é Deus, Ela fez questão que Seu Filho passasse por esta imolação ainda aos 8 dias de nascido, este é o símbolo do batismo antes do Cristo vir a Terra.
GÊNESIS 18 v. 3 – Se Abraão achou graça diante dos olhos de Deus para ser pai já na velhice, muito mais Maria por ser a Mãe do Salvador e também por ser Mãe da humanidade.
GÊNESIS 18 v. 27 – Maria sempre se considerou pó e cinza diante do Seu Senhor, porque sempre foi A humilde das mais humildes.
GÊNESIS 22 vs. 11-12 – Deus impediu o sacrifício de Isaac, porque Deus com Sua sabedoria plena, sabia que Sara não aceitaria a imolação de Isaac, mas Maria foi a única que aceitou a imolação do Filho, nenhuma que nasceu antes, durante ou depois aceitou imolar seu filho a Deus, Maria foi a única.
GÊNESIS 27 vs. 8-9 – Rebeca já simbolizando as mulheres santas, simbolizava Maria e Jacó, simbolizava Jesus, bastou sua Mãe mandar Jacó ir buscar dois cabritos para matar a fome de seu pai Isaac mesmo ele sabendo que um cabrito era suficiente para matar a fome de seu pai, mas como sua Mãe mandou que trouxesse dois cabritos ele com muita obediência a sua Mãe foi trazer o que a Mãe pediu. Já simbolizava o que está escrito no livro de Lucas 2.51 mesmo Ele sendo o Senhor de todas as coisas, Ele aceitou ser submisso a Sua Mãe para que servisse de exemplo o que é humildade, ser submisso a uma criatura e aquele que não aceitar a submissão de Maria será exterminado desta Terra.
GÊNESIS 27, 28-29 – Esta foi a benção que o Sacerdote Zacarias deu a Maria depois que terminou seus serviços de ajuda a Izabel e todo aquele que aceita Maria como Mãe será sempre bendito, – maldito quem não aceitar.
GÊNESIS 32 v. 26 – Antes que o Sol se levante no horizonte primeiro tem que aparecer a Aurora, o Sol é Jesus. Aurora é Maria, é por isto é que tudo está vindo a tona, porque a Aurora vem revelar que o Sol já está a despontar.

ÊXODO 3. 1-6 –  Deus não permitiu que Moisés chegasse perto da Sarça Ardente, já simbolizava que se Moisés era indigno de pisar naquela Terra Santa, seria o mesmo quem era José para entrar no Santuário do Senhor, este Santuário é Maria, e José em hipótese alguma poderia coabitar sexualmente com Maria.
ÊXODO 13 v. 12 – Obediência de Maria sob a Lei de Deus mesmo Ela sabendo que Seu Filho é Deus, foi fiel na observância da Lei de Deus.
ÊXODO 19 v. 16 – Primeiro vem a nuvem; a nuvem simboliza Maria, depois da nuvem vêm a chuva; depois da chuva vem a mudança da natureza, pois sem Maria a humanidade não teria um profundo conhecimento da Santíssima Trindade para haver uma mudança de vida, para um profundo conhecimento de Deus.
ÊXODO 20. 1-21 – Deus expressou o Seu Poder através de uma tábua de pedra os Seus Dez Mandamentos, que já simbolizavam Aquela que haveria de vir, que seria Maria Santíssima, Ela vinha nesta Terra com as Leis de Deus impressas na tábua do Seu Coração, é só consultar 2 Coríntios 3. v. 1-3.
ÊXODO 24 v. 7 – Maria, hoje é este livro da Aliança selado com Deus, pois veio na Terra com a Lei de Deus impressa na tábua do Seu Coração, e hoje em Aparições nos quatro cantos do mundo para selar o Seu povo escolhido.
ÊXODO 25. 17-18 – Deus mandou fazer a imagem de um Querubim para fixar na tampa da Arca que é Deus dando a permissão para fazer a imagem de Maria Santíssima, porque Ela é a Arca de Deus. Ela carregou o próprio Deus encarnado no Seu Ventre por nove meses.
ÊXODO 24 – Deus corou Maria com uma coroa de doze estrelas como Rainha do Céu, da Terra, dos Anjos e dos Santos, porque foi escolhida e firmado com Ela o Sangue desta Aliança perpétua porque o Sangue que Jesus derramou na Cruz foi tomado do Ventre de Maria estes sacrifícios destes animais puros, que já simbolizava o Sangue Puro de Maria.
ÊXODO 27. 20-21 – Maria e Jesus é o candelabro perpétuo, diante dos olhos de Deus. Eles são a Luz que ilumina a Terra, dia e noite.
ÊXODO 32. 15-16 – Já simbolizava o coração de Maria (2º Cor. 3. 1-3)
ÊXODO 33 v. 20 – Graça que Maria recebeu de conceber o próprio Deus e continuar vivendo eternamente, porque quem via a Face de Deus morreria depois.
ÊXODO 34 v. 9 – Deus só atende pedidos de almas virtuosas como de Maria, porque sempre teve muita confiança em Deus para que Ele possa atender.
ÊXODO 39 v. 10 – O primeiro altar no primeiro tabernáculo já simbolizava que Maria foi o primeiro altar de Deus quando segurou o Menino Deus no colo. Para fazer a primeira imolação a Jesus quando foi circuncidado aos oito dias de nascido pelo Sacerdote da época.

LEVÍTICO 6. 12-13 – Deus nos pede que sejamos um santuário perpétuo como foi Maria, pois Seu amor é perpétuo e fiel.
LEVÍTICO 23 v. 10 – Maria seria esta espiga fértil na Terra Prometida.

NÚMEROS 7 v. 89 – Maria sempre será este tabernáculo vivo, diante de Deus.

DEUTERONÔMIO 12 v. 5 – Mostra a felicidade de Maria, fazendo tudo o que agrada a Deus, e cumprindo todas Suas Leis e nos lugares estabelecidos pelo próprio Deus.
DEUTERONÔMIO 22 v. 5 – Mostra a fidelidade e a obediência de Maria em não mudar a Sua estatura para não ofender a Deus, sempre se vestindo com seus trajes de mulher.

JOSUÉ 3 v. 16 – Onde passava a Arca grande, prodígios de Deus acontecia era como acontecia com Maria quando Deus estava encarnado dentro d?Ela, porque Ela é a Arca de Deus do Velho Testamento.

JUÍZES 1 v. 12-15 – O que aconteceu com Caléb, dando o presente a sua filha Axa, foi Deus dando a Sua herança a Sua filha querida Maria no Céu. Confira com o Salmo 9, 14-15.
JUÍZES 9. 8-9 – Mostra a humildade de Maria e a Sabedoria de Deus.

II CRÔNICAS 5 v. 4-10 – Trasladação da Arca. Em meio de oblações de animais puros com a pedra contendo os Dez Mandamentos dado a Moisés e acompanhada com várias figuras de Anjos Querubins, já simbolizava a Pureza de Maria, Ele vivia nesta Terra com a Lei de Deus gravada no seu Coração, Ela é a pedra da Lei de Deus, e as Figuras dos Anjos é Deus dando a permissão para que pudessem fazer a Imagem de Maria Santíssima.

I SAMUEL 1 v. 11 – Ana quando fez esta promessa ao Senhor, já simbolizava Maria, entregaria seu filho como Sacerdote, eterno para Deus.
I SAMUEL 4 v. 3 – Esta Arca que simbolizava Maria sempre intercede a Jesus que nos livre das ciladas de satanás.
I SAMUEL 17 v. 40-47 – Davi pegou cinco pedras para lutar contra o Filisteu, já representava o Terço contendo cinco mistérios e no vers. 47 a multidão naquele dia viu que todo poder é só Deus e não as forças humanas, pois, quando Davi encontrou com Golias, ele arremessou três pedras para derrotar Golias, na terceira foi fatal, já simbolizava que os cristãos de hoje para se livrar da fúria do inimigo só rezando os três Terços para jogar as três pedras no inimigo. Estas três pedras serão arremessadas por um simples cordel, o mesmo que derrotou o Golias, que simbolizava o inimigo.

II SAMUEL 6 v. 12-13 – Quando os carregadores da Arca transportavam a Arca, sacrificava animais. Animais todos sem defeito, já simbolizava aquela que daria a Luz ao Salvador, teria que ser sem defeito sem a mácula do pecado original.

I REIS 4 v. 22-23 – Na casa de Salomão consumia flor de farinha e os animais puros já simbolizava que a Mãe da Eucaristia tinha que ser pura.
I REIS 6 v. 7 – Mostra que Maria veio a esta Terra para trazer só a Pedra Angular.
I REIS 6 v. 30 – Salomão cobriu o pavimento do edifício com ouro. Todo templo como o santuário já simbolizava que Aquela que haveria de vir, tinha que ser A mais nobre das nobrezas, para trazer no Seu Ventre a barra de ouro que é Jesus, porque Ele é Nobre dos nobres.
I REIS 8. 22-53 – Nesta prece de Salomão na época já mostraria hoje a ligação da Virgem Maria com a Igreja Católica. Nesta prece de Salomão hoje simboliza Nossa Senhora clamando a Deus. Para os filhos da Igreja e pelos fiéis.

NEEMIAS 4 v. 17 – Neemias profetizou que somente os filhos, irmãos e sua gente e os guardas que fazem parte da escolta de Maria Santíssima seriam obedientes sem nunca mudar as suas estaturas diante dos olhos de Deus. Isto é, com suas vestes. E todos com as armas ao alcance de suas mãos, isto é, a oração do Santo Terço, eles estariam sempre atentos.
NEEMIAS 8 v. 1-18 – Mostra naquela época como o povo teria um grande respeito pela Palavra de Deus, isto, mostrando também o grande respeito que Maria Santíssima tem pela Palavra de Deus, muito mais que todos os mortais porque Ela é a maior de todos os servos nesta Terra.

TOBIAS 12 v. 7 – A Humildade de Maria era tanto ao ponto de ficar submissa ao Rei e não dizer a ninguém sobre Sua gravidez, deixou sempre que Deus preparava tudo, só louvava a graça de Deus.

CAP. 13 v. 30 – De Judite mostra que Maria é Sacrário de Deus. Tudo que aconteceu com Judite estava Maria no Céu sendo preparada por Deus.
Os 16 Capítulos do Livro de Judite, simbolizando Maria com muita fibra de mulher ilustre, intercedendo junto ao povo para se livrar do inimigo no Cap. 13 v. 23-25, está a resposta do Magníficat. Lc. 1. 42.

No Livro de Estér, com o rei Assuero, representava Deus na Terra e Ester a rainha como em toda casa tem o pai e mãe, num palácio tem o rei com sua Rainha. No Reino Celestial Deus é o Rei e Maria é nossa Rainha que sempre clama a Deus por nós, porque Seu Amor é infinito.

2ª MAC. 1. v. 3 – Jesus sempre trilhou este caminho, porque aprendeu com Maria (1 Cor. 12 v. 31).
2ª MAC. 2. v. 9 – Sempre devemos venerar a sabedoria de Deus. Esta sabedoria oculta é Maria, Deus escondeu dos próprios Serafins.

JÓ 41. v. 18 – Maria sempre com muita humildade derrotou o inimigo em tudo.
JÓ 41. v. 24 – Maria Santíssima tinha muita fortaleza de Deus, para se livrar de todas insídias do inimigo.

SALMO 4. v. 3 – Maria o quanto foi desprezada, quando a Sua viagem a Belém pela ignorância e soberba dos humanos nesta Terra.
SALMO 9 – Proteção dos oprimidos. v. 14-15. Diz que encontramos auxílio junto as portas de Maria que significa oração do Santo Terço.
SALMO 15 – Escolher unicamente a Deus. Como se dá isso no vers. 6, diz que é através do cordel, isto, significa a oração de Santo Rosário, em todo o Salmo diz que recebemos todo tipo de auxílio de Deus. SALMO 16. v. 6 ? Mostra Maria obediente e submissa a Deus v. 8. Mostra Maria sempre prudente para não cair no erro.
SALMO 16 v. 15 – Maria sempre confia na Justiça de Deus e sempre contempla a Face de Deus, porque sempre está cheia de Deus, porque sempre tinha visão da Grandeza do nosso Deus.
SALMO 17. v. 3 – Maria tinha fé com muita confiança em Deus. Por isto é uma agraciada de Deus.
SALMO 17 v. 31 – Para se refugiar em Deus somente aqueles que não são apegados em nada deste mundo como Maria, Ele não deixa nunca passar fome, porque Deus é providência como sempre foi para Maria SS.
SALMO 18. v. 8 – E. 11 – Mostra a obediência de Maria a Deus.
SALMO 20. v. 4 – Mostra Maria, foi a primeira pregadora do Rei Jesus, quando era criancinha de colo, Maria evangelizava e atraiam os filhos de Deus para Ele.
SALMO 21. v. 7 – Mostra a humildade de Maria.
SALMO 21 v. 13 – Mostra a ignorância dos racionais mortais que não louvam a Deus e fazem pouco caso de Maria Santíssima.
SALMO 25 v. 8 – Mostra o grande respeito que Maria sempre tem pela Casa de Deus.
SALMO 26 – Para ser discípulo de Jesus e de Maria é preciso ser forte e ter muita fé, e se entregar totalmente a Deus, porque quem é fiel nas pequenas coisas, também são nas grandes. Quem não é fiel nas pequenas coisas, muito menos será nas grandes.
SALMO 26. v. 4 – Maria é a beleza de Deus e Santuário Seu.
SALMO 30. v. 20 – Quão grande é Deus para aqueles que respeitam e confia n?Ele, como Maria confiou.
SALMO 31 – Somente aquele que tem uma profunda intimidade com Deus como Maria, é que vai gozar por ver os seus pecados perdoados.
SALMO 33. v. 12 – Deus inspira o Profeta a escrever como se fosse Maria ensinando os filhos de Deus, como é respeitar Deus.
SALMO 33. v. 23 – Deus sempre acolheu Maria, porque Ela sempre foi Serva fiel de Deus.
SALMO 37 v. 10-11 – Mostra a confiança de Maria a Deus. Quando estava grávida foi perfeita, esperando que toda revelação a José Seu esposo viesse através de Deus sem nunca passar na frente de Deus.
SALMO 39. v. 2 – Maria sempre esperou no Senhor com muita confiança, e quer que sejamos exemplos como Maria.
SALMO 39. v. 9-10 – Maria sempre faz a vontade de Deus, porque tem a Lei de Deus gravada no Seu Coração.
SALMO 44. v. 10-14 – Diz que todo aquele que tem o coração rico implora interseção de Maria, Ela é a Rainha de Deus.
SALMO 44 v. 18 – Feliz quem tem Maria como Sua Rainha, ele celebrará o Nome de Deus e louvará eternamente.
SALMO 45. v. 5 – Diz que Maria é o braço do rio de Deus e que alegria sentem as cidades de Deus, os santuários do Senhor.
SALMO 46 – Realeza universal. Em todo o universo Deus mostra a Sua Realeza através da fundação da Sua Igreja e quem aceita Maria como Mãe e Rainha, participa entrando dentro do Seu Ventre que simboliza a Igreja Católica Apostólica Romana, para tomar Jesus na Eucaristia para ser levada ao Pai.
SALMO 51 v. 10 – Deus pede que geramos muito amor e confiança como Maria.
SALMO 54. v. 7 – Para escapar da cilada do inimigo, só com muita fé, esperança e amor como Maria, vers. 23 – Maria não era apegada nas coisas deste mundo e sempre dividia o que tinha.
SALMO 58. v. 14-15 – Deus diz quem ofende Maria são cachorros e que não tem o dom do Espírito Santo, e no Fim dos Tempos apareceria muitos perdidos.
SALMO 59. v. 8 – Deus diz que através de Seu Santuário, que é Maria, Ele medirá todo vale que somos nós através de um cordel, que é o Santo Terço, através de nossas orações.
SALMO 61. v. 9 – Maria sempre se refugiou em Deus, sempre foi perfeita em tudo.
SALMO 63. v. 8 ? Quem é um verdadeiro exército de Deus o inimigo nunca o atinge e Maria foi exemplar.
SALMO 67 v. 14 ? Para ser Apóstolos, só imitando Maria, Senhora de grandes virtudes para receber a força da Palavra de Deus para fazer maravilhas diante de Seus inimigos, mas também precisa ser desapegado do ouro e da prata deste mundo como foi Maria Santíssima.

SALMO 70 v. 11 ? Deus nos pede que não vacilamos para não cair nas garras do inimigo, e para isso temos que imitar Maria Santíssima, porque Ela é o exemplo de grande mulher e de todas as virtudes.
SALMO 72 v. 26 ? Deus nos pede que rezemos pelos nossos inimigos, porque Maria Santíssima sempre foi exemplar neste pedido de Deus.
SALMO 73 ? O Santuário desolado. Quando Maria precisou ir para o Egito, como peregrina. No v. 15- Deus tudo providenciava para eles v. 8 ? Eles abandonava em Deus com muita confiança e fé e no v. 23- Mostra o ódio que o inimigo tem contra Maria e Jesus.
SALMO 77 v. 1-4 ? É da vontade de Deus de nos revelar as nossas origens, mas somente aqueles que estão dentro do Coração de Maria é que serão levados ao Coração de Seu Filho Jesus para descobrir as maravilhas que vem da parte de Deus.
SALMO 77 v. 24-25 – Mostra que Deus providenciava tudo para Maria, Jesus e José quando foram para o Egito.
SALMO 77 v. 38-39 – Mostra o amor e misericórdia que Maria sente por este povo que fazem pouco caso d?Ela diante dos Olhos de Deus.
SALMO 80 v. 13 – Deus escolheu Maria entre todos os mortais, porque Ela foi a única que nunca deixou de cumprir com a Sua vontade, Ela é o exemplo de todos os mortais.
SALMO 83. v. 8 – Deus diz quem abre o coração a Maria chega a Deus com rapidez.
SALMO 90 v. 12 – Somente aqueles que consegue conquistar a confiança de Maria Santíssima para tomar conta do Menino Jesus, é que Deus dá ordem aos Anjos para que cuidem, para não tropeçarem em nenhuma pedra, e para que não derrubem o Menino Jesus.
SALMO 91. v. 13 – Maria se elevou como cedro do Líbano, porque além de ser escolhida, é justa, justíssima diante dos olhos de Deus.
SALMO 94 v. 6- Sempre devemos ter muito respeito a Deus como Maria Santíssima, porque Ela nunca se aproximou de Deus sem antes dobrar os Seus joelhos diante de Deus.
SALMO 104 v.15 – Que sejamos humildes como Maria Santíssima, pois Ela sempre respeitou os Sacerdotes da época e os enviados de Deus.
SALMO 107 v. 2 – Deus diz que só seremos fortes se fizermos como Maria Santíssima fez na tribulação e na alegria, tudo entregava a Ele.
SALMO 107 v. 8 – Maria Santíssima é o Santuário de Deus e todas as cidades que somos nós, seremos medidos através de um Cordel. Quem aceita Maria como Mãe e Rainha, reza o Rosário todos os dias.
SALMO 109 v. 7 -Somente as almas Santas que participam desta promessa, e como Maria é Santa das Santas, Ela é exemplo.
SALMO 110 v. 9 – Deus quer que sejamos sal e luz da terra como foi Maria Santíssima para que sejamos Seus filhos.
SALMO 111 v. 3 – A Glória de Deus e a riqueza encontra-se na casa de Maria.
SALMO 112 v. 5 – Quem tem a Ciência de Deus, nada se abate e todos conseguem como nossa Mãe, esmagar a cabeça do inimigo pelas virtudes.
SALMO 113 v. 3 – Deus pede que, se nós entregarmos totalmente a Ele como fez Maria Santíssima, Ele faz todas estas maravilhas, porque tudo é governado por Ele.                                                                SALMO 113 v. 8 – Deus é o Rochedo que se tornou um lençol de água quando estava dentro do Ventre de Maria Santíssima. E tudo Ele dependia d?Ela para voltar a ser a Pedra em fonte de Água Viva.
SALMO 115 v. 3-12 – Maria sempre sendo a mais humilde tem maior gratidão a Deus por tudo que Ele nos dá. SALMO 118. v. 11, 16, 18-21 – Mostra como Maria sempre foi obediente a Deus.
SALMO 118. v. 32 – Aquele que tem verdadeiro amor por Maria, Ela nos levará ao caminho do Seu Filho Jesus.
SALMO 118.V.56 – Feliz o homem que entrega para Maria toda virtude e graça que recebeu de Deus para que Ela seja Sua tesoureira. SALMO 118. v. 62 – Maria louva Deus dia e noite sem cessar.
SALMO 118. v. 85 – Maria sempre com muita fé e humildade vencia toda investida do inimigo.
SALMO 118. v. 94 – Deus é todo nosso bem e também de Maria e por isso tudo o que é d’Ele, Ele nos deu. Inclusive Sua Mãe Maria.
SALMO 118. v. 105-113 – Maria sempre o exemplo de obediência à Deus.
SALMO 118. v. 133 – Preocupação de Maria quando foi trabalhar, e quando chegou no Egito para ajudar José. SALMO 120. v. 4 – Fé, confiança e amor a Deus como Maria tem.
SALMO 121. v. 8-9 – O nome Maria significa amada de Deus e amiga de todos.
SALMO 122. v. 2 – Estar sempre à disposição a Deus como Maria.
SALMO 126. v. 4 – Seremos como flechas agudas nas mãos de Maria para traspassar seus inimigos.
SALMO 130. v. 1 – Maria sempre abandonava em Deus.
SALMO 137. v. 6 – Resposta de Maria no livro Magníficat. Lucas 1 v. 52.
SALMO 141 v. 3 – Deus diz que derramou com plenitude todas a graças do Espírito Santo em Maria Santíssima, é por isto que tudo que acontecia com Ela era guiado por Ele.
SALMO 144 v. 11 – Maria sempre como muito amor e misericórdia, mesmo pela ingratidão dos humanos, Ela aceitou a redenção do Seu Filho Jesus em prol da humanidade.
SALMO 144. v. 16 – Maria e José na sua peregrinação esperava a Providência Divina com muita fé.
SALMO 146 v. 9 – Maria Santíssima era totalmente desprendida de tudo desta Terra, Ela sempre esperava tudo em Deus, e é assim que Ele nos quer também.
SALMO 145 v. 3 – Maria Santíssima sempre colocou toda confiança só em Deus, e que faremos o mesmo.
SALMO 147. v. 9 – Somente Maria e José como criaturas receberão estes mandamentos de Deus.
SALMO 148 v. 6 – Deus diz, que tudo foi criado por Ele e por Ele foi estabelecido todas as coisas, porque esta Sua Lei é inviolável. Isto tudo, inclusive Sua Mãe Maria Santíssima.

LIVRO DE PROVÉRBIOS
PROVÉRBIO 1 v. 8 – Quem é obediente e temente a Deus, não despreza sua mãe terrena, muito menos a Mãe de Deus, Maria Santíssima, porque Ela está acima de todas as mães.
PROVÉRBIO 1 v. 17 – Maria estava sempre atenta para não cair na armadilha do inimigo.
PROVÉRBIOS 4. v. 11 – Com muita docilidade Maria nos guia a Deus para que chegamos com rapidez.
PROVÉRBIOS 8. v. 17 – Quem tem um amor afetivo por Maria nunca cai no pecado.
PROVÉRBIOS 8. v. 19 – Maria é a Mãe da maior riqueza, que é Jesus.
PROVÉRBIOS 8. v. 22 – Mostra que antes de Deus criar qualquer criatura primeiro criou Maria.
PROVÉRBIOS 8. v. 32 – Somente os filhos de Maria, só os predestinados recebem a herança.
PROVÉRBIOS 8. v. 34-36 – Todos para encontrar Maria precisam procurar, e Ela tem que ser encontrada para maior glória e conhecimento da Santíssima Trindade.
PROVÉRBIOS 9. v. 1-18 – Maria faz um convite para a Eucaristia, mas quem não é humilde não aceita porque acha que é loucura.
PROVÉRBIOS 21. v. 28 – Aquele que é obediente e submisso a Maria Santíssima ele conta vitória sobre todos seus inimigos e ninguém pode impedi-los, porque sempre será guiado por Maria e auxiliado por Ela. PROVÉRBIOS 31. v. 11 – Felicidade de José por ter um grande amor como Maria por ser mulher muito virtuosa. PROVÉRBIOS 31. v. 14 – Maria era como um navio que deslizava sobre as águas do mar da vida, levando no Ventre o Pão de Vida que é Jesus, para alimentar toda a humanidade na Terra deste Pão Celestial.

CÂNTICO DOS CÂNTICOS
CAP. 1. v. 3 – Deus quer que nossa alma seja um verdadeiro perfume como a alma de Maria.
CAP. 1. v. 14-16 – A união de Deus com Maria, as delícias do colo de Maria a Jesus nos Seus braços, se sentia entre um leito florido.
CAP. 2 v. 10 – Aqui vemos a intimidade do Menino Jesus com Maria Santíssima.
CAP. 3. v. 7-9 – Jesus quando estava no Ventre de Maria, como Ele se sentia, pois Ela sempre foi a leiteira de Deus.
CAP. 5. v. 2 – Maria trabalhava dia e noite para atender o Sumo Deus.
CAP. 6. v. 3 – Maria promete proteção aos predestinados que venera como Mãe de Amor.
CAP. 6. v. 8-9 – Em toda natureza humana, Maria é a única que possui tal formosura, só Ela é compensada em toda raça de Adão.
CAP. 7. v. 6 – Como Menino Jesus, tratava Sua Mãe desde pequenino.
CAP. 7. v. 8 – Em tudo, Maria sempre foi um objeto de Deus, para todos os Seus desejos.
CAP. 8. v. 5-6 – Assunção de Maria. Porque sempre foi agraciada diante dos olhos de Deus.
CAP. 8. v. 14 – Quando Maria chamou o Menino Deus para fugir de Herodes.

ESCATOLOGIA DE DEUS – Salomão quando viveu na Terra representava o Rei Jesus para Deus. A alma do homem e a mulher. Não tem sexo, por isto que Salomão tinha 700 concubinas. Mas uma era do seu agrado do coração que era a Sulamita representando Maria Santíssima, então toda esta escatologia de Deus simboliza que cada um de nós somos a esposa de Deus, mas somente uma é do Coração de Deus, sim, este número um, é Maria Santíssima e mais nenhuma alma tem este privilégio como Maria.

LIVRO DA SABEDORIA
CAP. 1 v. 1- 11 – Deus diz, que todo aquele que se envolve com Sua Ciência, Ele dá a sabedoria para que conhecemos o quanto os mortais nesta Terra gostam de mentiras, esta sabedoria, Maria Santíssima era repleta, porque Ela sempre foi envolvida na Ciência de Deus.
CAP. 2 v. 24 – Deus diz, que somente as almas nobres é que herdarão a vida como Maria Santíssima entre os mortais, Ela é a mais Nobre da nobreza, por isto Ela está viva com Ele na eternidade.
CAP. 7 v. 15 – Deus diz, que para que nós sejamos Profetas Seu, somente se for perfeito como Maria Santíssima é que seremos seus Profetas.
CAP. 7 v. 26 – Maria sempre tinha visão da alma de Seu Filho Jesus.
CAP. 8 v. 1 – Deus diz, que só imitamos Maria Santíssima, se aguardarmos a atuação da vontade Divina em nossas vidas. CAP. 10 v.13- Deus diz par ele guiar alguém somente se abrir o coração a Ele como Maria Santíssima abriu. CAP. 11v. 21 – Deus diz que tudo é ministrado por Ele, e para distribuir as Suas graças, somente para as almas virtuosas, como a de Maria Santíssima.

ECLESIÁSTICO
CAP. 3 v. 5 – Quem honra Maria, breve ficará rico, porque é obediente a Deus.
ECLESIÁSTICO 24. v. 12 – Maria é o Sacrário Vivo de Deus.
CAP. 31 v. 8 – Deus nos pede que tenhamos um perfeito equilíbrio, como Maria Santíssima teve.
CAP. 51 v. 3 – Somente as almas virtuosas como a de Maria Santíssima, é que tem consciência desta promessa de Deus.
ECLESIÁSTICO 24. v. 13 – Deus quer que toda humanidade seja filho de Maria.
ECLESIÁSTICO 24. v. 24-25 – Somente Maria é que trazia em si própria um fogo vivo e verdadeiro, que viria acender o mundo.
ECLESIÁSTICO 24. v. 26 – Diz que Maria é Mãe da Eucaristia.
ECLESIÁSTICO 24. v. 30-31- Nossa Mãe Maria é agora nossa arca que não deixa nos afundar nesta lama de pecado.
ECLESIÁSTICO 32. v. 24 – Somente os humildes como Maria é que faz tudo com segurança.
ECLESIÁSTICO 35. v. 21 – Somente os humildes como Maria que as orações tem entrada franca no Tribunal de Deus.
ECLESIÁSTICO 36. v. 6 – Oração de Maria em prol da redenção da humanidade.
ECLESIÁSTICO 44. v. 19 – Maria é a Arca que nos livrará do fogo do Fim dos Tempos, porque Deus é assim que escolheu.

LIVRO DE ISAÍAS
CAP. 2. v. 2-5 – Deus faz, uma promessa que, enviaria Sua Mãe em diversas Aparições pelo mundo, para trazer ao povo o caminho certo, isto no Fim dos Tempos.
CAP. 19. v. 1 – Deus faz uma promessa que Sua Mãe Divina. Ela é esta nuvem que veio a esta Terra para fertilizar e fecundar a terra estéreo do nosso coração dos seus habitantes, e foi aí que produziu novos frutos nos habitantes desta Terra para um profundo conhecimento de Deus.
CAP. 34. v. 17 – Deus faz mais uma promessa para os Seus herdeiros, só os que rezam a oração do Santo Rosário de Maria.
CAP. 60. v. 14-15 – Deus diz que todo aquele que faz pouco caso de Maria vai ter que reconhecer seu erro e voltar humilhado. CAP. 66 v. 10-16 – Quando Deus se manifestar nesta Terra, Ele só achará glória no povo que estiver ligado em Sua Mãe Maria.
LIVRO DE JEREMIAS
CAP. 6. v. 22-30 – Deus diz que, aquele povo que persegue Maria, falam mal de Maria, é um povo que vive nesta Terra como uma moeda falsa, rejeitada por Deus.
CAP. 11. v. 19 – Deus diz que tudo que é sagrado, o inimigo faz de tudo para destruir, sem deixar vestígio, aí mostra o martírio de Maria.
CAP. 13. V. 1-27 – Deus com muito amor faz um pedido aos humanos desta Terra, que façam a Sua vontade; que é para nós rezarmos o Santo Rosário no vers. 11, porque este Cinto que cinge o rim de um homem simboliza o Rosário colocado transversal no nosso corpo e por não fazermos a Sua vontade Deus mostra o que é que nos ameaça pela nossa rebeldia.
CAP. 31. v. 22 – Deus envolveu Maria perfeitamente, para gerar também um Filho Perfeito.

LIVRO DE LAMENTAÇÃO DE JEREMIAS
CAP. 1. v. 2-16 – Jeremias profetizou: os filhos de Maria que vão embora para as seitas viram inimigos d’Ela. E por Ela ser o Amor de Deus, Ela chora diante dos olhos de Deus, para que tenha misericórdia dos filhos, inclusive os ingratos que não a aceitam como Mãe.
CAP. 2. v. 8 – Jeremias diz que só através da oração do Santo Rosário para nossa proteção, o Cordel significa oração do Santo Terço.
CAP. 2. v. 15-16 – Todos os filhos de Maria que foram embora para as seitas, viram seus inimigo.
CAP. 2. v. 18-19 – Ela chora diante de Deus dia e noite, inclusive pelos os filhos que fazem pouco caso dela, amor igual não existe só Maria Santíssima.

LIVRO DE BARUC
CAP. 4. v. 1-37 – Maria antes de ter nascido Deus inspira o Profeta e mostra que do v. 1 ao v. 3. Deus inspira o Profeta a escrever quem é Sua Mãe no vers. 4 Deus inspira o Profeta a escrever um verso de louvor e do versículo 5- 29 seria Maria falando conosco. E do versículo 30-37 é Deus, consolando Maria por tudo, que ela está passando pelo pouco caso do desamor dos filhos na Terra para com Ela.

LIVRO DE EZEQUIEL
CAP. 37. v. 21-28 – Deus faz uma promessa que no fim dos tempos Ele vai reunir Seu povo eleito junto de Sua Mãe e entregará tudo para Ela tomar conta.
CAP. 44. v. 1-2 – Deus mostra a virgindade perpétua de sua Mãe Maria Santíssima.
CAP. 47. v. 1-5 – Deus mostra que todas as nossas ações serão medidas pelo Cordel do Santo Rosário que deixamos de rezar e que devemos renascer da água do Batismo para nadar no braço do Rio de Deus que é Maria Santíssima.
OSÉIAS CAP. 2. v. 16-25 – Deus faz uma promessa que depois da vinda de Maria nesta Terra, Ele faria uma aliança com Ela para que tudo se tornasse mil maravilhas.
JOEL 4. v. 18 – Deus diz que depois da vinda de Maria, Ela fecundaria a Terra dos nossos corações para que a santidade abundasse com plenitude na Terra.

LIVRO DE AMÓS
CAP. 7. v. 17 – Deus diz que toda violência na Terra, é gerado por motivos da rebeldia da humanidade de fazerem pouco caso do Seu pedido que é a oração do Santo Rosário.
LIVRO DE MIQUÉIAS
CAP. 2. v. 5 – Deus reclama que as grandes autoridades é o que mais faz pouco caso do Seu pedido inclusive a oração do Santo Rosário.
CAP. 4. v. 1 – Deus faz, uma promessa que no fim dos tempos Ele atrairia os Seus eleitos através das Aparições de Sua Mãe Maria Santíssima.
CAP. 4. v. 11-13 – Deus faz uma promessa que Sua Mãe é muito amor como Ele, mas no dia do Juízo, Ela não poderá interceder mais e virá para julgar as raças de víboras desta Terra.

LIVRO SOFONIAS
CAP. 3. v. 14-15 – Deus diz que Maria nasceu sem a mácula do pecado original.

LIVRO DE AGEU
CAP. 2. v. 8-10 – Deus pede que sejamos como Ele e Maria, totalmente desapegado do ouro desta Terra.

LIVRO DE ZACARIAS
CAP. 2. v. 5-13 – Toda libertação do povo nesta Terra é pela oração do Santo Rosário.
CAP. 2. v. 14 – Deus diz que Maria nasceu sem a mácula do pecado original.
CAP. 4. v. 1-7 – Deus diz que em hipótese alguma pode separá-lO um do outro, Maria e Jesus, porque são os dois candelabros que estão ligados um ao outro através de um tubo.
CAP. 9. v. 9 – Deus diz que Maria nasceu sem o pecado original.

LIVRO DE MATEUS 
CAP. 4. v. 16 – Mateus diz que antes do povo que estava nas trevas irá ver a Luz, primeiro veio a Aurora que é Maria Santíssima.
CAP. 5. v. 3-11 – Jesus subiu em uma montanha para proclamar o Sermão da Montanha, com as nove Bem- Aventuranças, foi para homenagear Sua Mãe, porque em todas estas bem-aventuranças, Ela sempre foi Perfeita e também já representava esta montanha Santa de Deus.
1ª – Bem aventurados os que tem coração pobre, porque deles é o Reino do Céu. O sim de Maria com o coração muito pobre.
2ª – Bem aventurados os que choram, porque serão consolados. Maria chorava com o que as pessoas passavam e o Seu martírio, como chorou.
3ª – Bem aventurados os mansos, porque possuirão a Terra. Fortaleza de Maria aos pés da Cruz, como foi mansa como uma Cordeira.
4ª – Bem aventurados os que tem fome e sede de justiça, porque serão saciados. Maria ficava triste com a indiferença social das pessoas sempre distribuía tudo o que tinha com os pobres.
5ª – Bem aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. Maria com muita misericórdia só pensava em ajudar o próximo.
6ª – Bem aventurados os puros de coração, porque verão a Deus. Maria sempre foi pura de coração, pois Ela é o Amor de Deus.
7ª – Bem aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus. Maria era muito pacífica com todos, inclusive aquele que fazia pouco caso d’Ela e Jesus, a Ela só abençoava.
8ª – Bem aventurados os perseguidos, porque deles é o Reino do Céu. Nesta Terra como Maria foi perseguida quase nunca tinha sossego de tanta perseguição, porque Ela era uma Mulher Justa.
9ª – Bem aventurados sereis, quando vos caluniarem, quando vos perseguirem e disserem falsamente todo mal por causa de Mim. Maria Santíssima, além de ser perseguida era caluniada e o demônio usava muitos para falar mal de Maria.
CAP. 11. v. 16-19 – Jesus diz que tudo que aqui existe, e que nós existimos nesta Terra, porque Maria ganhou graças diante dos olhos do Pai em prol dos filhos.
MATEUS 19. v. 6 – Deus uniu Jesus com Maria, nenhum homem desta Terra poderá desunir.
MATEUS 13. v. 52 – Jesus diz que o Pai tira de Seu tesouro coisas velhas e novas, este Tesouro é Maria Santíssima.
MATEUS. 23. v. 33 – Jesus diz que foi edificada uma Torre no centro desta vinha, esta Torre é nossa Mãe Maria Santíssima.
MATEUS. 22. v. 21 – Se Maria era de Deus, não poderia ser de José.
MATEUS. 25. v. 40 – Maria sempre visitava os pobres e hospitais ajudando os necessitados.

MARCOS 
MARCOS. 6. v. 10-13 – Somos pela vontade de Deus honrar a mãe e pai nesta Terra, senão seremos mortos. Em hipótese alguma podemos desonrar a Mãe do Céu, que é Maria Santíssima.

LIVRO DE LUCAS 

LUCAS 1. v. 28-42 – Esta é a oração da Ave-Maria, é uma oração Bíblica está escrito, pois Deus quis assim.
LUCAS 1. v. 28 -O Anjo chama de graça porque Ela recebeu duas graças: a de ser Santa e não ter o pecado original.
LUCAS 1. v. 34 – Maria diz que não conhecia varão e tão pouco podia conhecer. Aí está a virgindade perpétua de Maria, porque Ela é Esposa só de Deus, e já tinha feito seus votos só a Deus na sua congregação e é por isto, que o Anjo acalmou-A.
LUCAS 1 v. 39 -Deus escolheu Maria para profetiza do fim dos tempos através das Aparições para trazer a palavra ao Seu povo, porque Isabel representava este povo de hoje.
LUCAS 1. v. 52 – Deus diz que do povo eleito, os mais humildes e aqueles que honram Maria e amam como Ela merece, vão ser escolhidos por Maria para sentar nas cadeiras dos Anjos, que se rebelaram contra Deus no Céu e até hoje estas cadeiras ainda estão vagas.
LUCAS 1. v. 68-79 – Deus mostrou todos os Seus desígnios a Zacarias, ele fez este canto depois que Deus deu uma visão a ele sobre todo gênero humano de Adão até a encarnação do Cristo, e seu filho João Batista seria escolhido para ser o precursor por interseção de Maria.
LUCAS 2. v. 51 – Deus era submisso a Sua Mãe Maria, para mostrar o que é humildade, Ele que não precisava ser submisso a Sua Mãe, ficara de exemplo para os que se dizem filhos de Deus.
LUCAS 14. v. 10 – Jesus disse sobre estes bons modos, porque aprendeu com Sua Mãe Maria todas as vezes que ia para a Igreja e sentava no último lugar.

EVANGELHO SEGUNDO JOÃO 

CAP. 1. v. 13 – Deus diz que para ser um verdadeiro devoto de Sua Mãe Maria, só os que são Seus enviados e não os que nascem por vontade da carne.
CAP. 12. v. 24 – Maria é o navio que trouxe este viver, este trigo que é o próprio Senhor, para alimentação da alma e do corpo.
CAP. 15. v. 20 – Jesus disse estas palavras, porque Sua Mãe Maria já tinha tido uma visão sobre as excelências dos predestinados, dada por Deus.

LIVRO DOS ATOS AOS APÓSTOLOS 

CAP. 1. v. 12-14 –  Maria Santíssima estava presente na reunião dos Apóstolos, porque Ela é Esposa do Espírito Santo, e como eles estavam se preparando para Pentecostes e fusão do Espírito Santo, é por isto que Sua presença seria indispensável e também como Mãe da Igreja Católica.
CAP. 2. v. 1 – Estão todos reunidos, inclusive Maria presente quando estava começando a Igreja Católica.

EPÍSTOLA DE SÃO PAULO AOS ROMANOS 
CAP. 1. v. 20  Deus diz que tudo é revelado por Ele, inclusive Maria Santíssima. A revelação só depois de receber confiança de Deus para Ele revelar quem é Maria.
CAP. 4. v. 18 – Maria Santíssima é descendente de Abraão, somente com muito amor, fé e confiança que Ela venceu toda tribulação que passou nesta Terra.
CAP. 6. v. 8 – Maria foi elevada diretamente para o Reino do Cristo, para viver juntamente com Ele na eternidade, porque Ela vive o Cristo.
CAP. 11. v. 33 – Quem tem a Ciência de Deus, é como Maria SS nada nesta Terra poderá abalá-lO.
CAP. 16. v. 6 – Diz que temos que saudar Maria, porque fez muito pela humanidade.

SEGUNDA EPÍSTOLA AOS CORÍNTIOS 
CAP. 1. v. 12 – Deus diz só se recolhendo n?Ele, como Maria, nós não cairemos em tentação.
CAP. 3. v. 1-6 – Deus diz que só Maria Santíssima é que já veio do Céu, com Suas Leis gravadas nas tábuas de Seu Coração, por isto é que foi a única que disse ?sim? a Deus, sem exitar.
CAP. 4. v. 4 – Deus diz que os incrédulos deste mundo não entende que Maria é a glória do Cristo, porque é imagem de Deus e também é a sabedoria oculta de Deus.
CAP. 6. v. 1 – Deus diz que para salvação somente para os humildes e com muito fervor, como de Maria Santíssima.

EPÍSTOLA AOS GÁLATAS 

CAP. 2. v. 20 – Deus diz que deixemos de ingratidão e vivemos intensamente para Ele, pois Maria foi exemplar e que sejamos como Ela.
CAP. 3. v. 7 – Pela fé de Maria, Ela sempre se identificava como Filha de Abraão.
CAP. 4. v. 4 – Deus nasceu de uma mulher muito humilde que se submeteu em todas as leis, mesmo sabendo que era Pura de Coração.
CAP. 4. v. 19 – Como Maria sente as dores da mulher no parto, para que cada um de nós conseguíssemos formar o Seu Filho Jesus em nós.

EPÍSTOLA AOS EFÉSIOS 
CAP. 1. v. 3-4 – Mostra que a sabedoria de Deus é infinita, Deus sabia que Eva e Adão não seriam perfeitos e deixariam entrar no Reino de Deus a morte, então a primeira a ser criada foi Maria Santíssima, para que depois de conferir a plenitude dos tempos, Deus enviaria Maria para se encarnar nesta Terra, como Jesus para trazer-nos a vida eterna.
CAP. 2. v. 19-20 – Se não somos peregrinos, somos santos e concidadãos, membros da família de Deus. Família está composta de pai, mãe e filho. Quem é peregrino não aceita uma família composta de três elementos básicos.
CAP. 5. v. 32- Diz que todo este mistério somente é revelado só aos bens aventurados como Maria.

EPÍSTOLA AOS FILIPENSES 
CAP. 2. v. 7 – Tudo que Jesus passou. Ser semelhante uma carne do pecado, sem ter o pecado tudo foi ministrado pela humildade de Sua Mãe, porque quando era Bebezinho de colo, Sua Mãe Maria Santíssima não se separava do Menino Jesus por nada, tudo acontecia sob os braços de Maria, Ela sempre foi o primeiro altar vivo de Deus na Terra.

EPÍSTOLA AOS COLOSSENSES 
CAP. 1. v. 15 – Deus quis usar Maria Santíssima para esta grandeza.
CAP. 2. v. 9 – Maria Santíssima é um templo sagrado para a divindade de Cristo.                                  CAP. 2. v. 15 – Visão que Maria teve, viu que Jesus tinha todo poder sobre os demônios, porque Ela é imagem e semelhança do Pai, tem vida ligada com Deus.

HEBREUS 
CAP. 2. v. 16 -Estes são os dotes dos bem-aventurados como Maria. Por ter coragem de dar Seu Filho Único em prol da raça de Abraão.
CAP. 5. v. 8-9 – Toda a vontade de Deus aconteceu sob a obediência ao extremo de Maria Santíssima, como foi perfeita.
CAP. 7. v. 26-27 – Maria Santíssima fez questão que Seu Filho se passasse como um qualquer para que toda a humanidade fosse resgatada pelos pecados de todos.
CAP. 9. v. 4-6 – Maria é o verdadeiro altar de Deus, quando aconteceu a Sua circuncisão, Ela segurou-O nos braços e Ela é o altar forrado de ouro e Jesus é a urna de ouro.
CAP. 9. v. 11-14 – Maria Santíssima é este tabernáculo com excelência enviada de Deus, não nascida da vontade carnal e nem da vontade humana, mas só pela vontade de Deus. Para que o Seu Cordeiro fosse imolado pelos pecados da humanidade.
CAP. 10. v. 4-10 – Deus diz que foi através do sangue de Maria Santíssima é que nasceu o Cordeiro Jesus Cristo, para ser uma oblação Pura, no próprio Corpo do Cristo, na Santa Eucaristia.
CAP. 10. v. 26-30 – Aquele que for alertado contra as blasfêmias que comete contra Maria Santíssima, se fizer pouco caso Deus não aceitará mais os sacrifícios de arrependimento e será julgado sem misericórdia por Deus, por crime de apostasia. CAP. 11. v. 10 – Deus diz que Maria Santíssima e Jesus Cristo é fundamentos eternos, fundados por Ele é o Construtor.

EPÍSTOLA DE SÃO TIAGO 

CAP. 1. v. 17 – Maria Santíssima como Perfeita está sempre ligada no Pai.
CAP. 2. v. 5 – Somente os mais pobres, os predestinados como Maria Santíssima é que são escolhidos para os maiores merecimentos e recompensas.

SEGUNDA EPÍSTOLA DE SÃO PEDRO 

CAP. 1. v. 1-4 – Deus diz que uma das graças que Maria Santíssima recebeu é ter vida ligada diretamente a Deus, por não ter a marca do pecado original.
CAP. 1. v. 19-21 – Deus diz que o verdadeiro Profeta tem que estar ligado a Maria Santíssima para ser de Deus, porque Ela é a Estrela da manhã.

LIVRO DO APOCALÍPSE 
CAP. 12. v. 1-17 –  Deus mostra a luta da Mulher Vestida de Sol, a Mulher prof. do livro de Gênese 3. v. 15 que é a própria Maria Santíssima com Seu Filho Jesus e Seus descendentes, sendo perseguido pelo demônio único que não quis a vinda de Maria e Jesus nesta Terra, para que não fosse submisso a Jesus e Maria nesta Terra, é por isto que ele virou o inimigo de Deus.

 

Publicado em Uncategorized

POR QUE CATÓLICOS TÊM TANTOS SANTOS?

Resultado de imagem para santos no ceu
São Paulo nos diz que temos uma família no céu, por isso temos muitos Santos:
 
“Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo,
Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome,”
Efésios 3,14,15
São Paulo também nos diz que os cristãos batizados se aproximaram de uma Igreja que está na terra e no céu, ou seja, não existe Igreja sem os Santos, os espíritos dos justos inscritos nos céus:
“Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos;
À universal assembléia e igreja dos primogênitos, que estão inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos, e aos espíritos dos justos aperfeiçoados;
E a Jesus, o Mediador de uma nova aliança, e ao sangue da aspersão, que fala melhor do que o de Abel.”
Hebreus 12,22-24
Como nos diz a Bíblia é uma multidão que não se pode contar, de todos os povos e línguas:
“Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; “
Apocalipse 7,9
 E para nós, católicos, isso é muito bom, pois os nossos Santos estão dia e noite diante do trono de Deus e são nossos intercessores:
 
“Por isso estão diante do trono de Deus, e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a sua sombra.”
Apocalipse 7,15
“E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro (SANTOS) anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.”

Apocalipse 5,8
Quanto mais intercessores temos nos céus, mas as graças de Deus vêm até nós, pois Deus não escuta os pecadores (João 9,31), mas os justos. Nada melhor que termos uma forçinha ao nosso lado, as orações de um amigo santo pedindo por nós (Tiago 5,16), pois as orações dos Santos nos dão proteção, salvação e milagres:
“Porque sei que disto me resultará salvação, pela vossa oração e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,”
Filipenses 1,19
Por isso também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação, e cumpra todo o desejo da sua bondade, e a obra da fé com poder;
2 Tessalonicenses 1,11
3 Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso;
Colossenses 4,3
No demais, irmãos, rogai por nós, para que a palavra do Senhor tenha livre curso e seja glorificada, como também o é entre vós;
E para que sejamos livres de homens dissolutos e maus;porque a fé não é de todos.
2 Tessalonicenses 3,1,2
 
Ajudando-nos também vós com orações por nós, para que pela mercê, que por muitas pessoas nos foi feita, por muitas também sejam dadas graças a nosso respeito.
2 Coríntios 1,11
 Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,
Efésios 6,8
E assim como há anjos responsáveis por cada igreja, nação (Daniel 10,18-22;11,1), por aspectos da natureza (Apocalipse 7,1-3), com missões específicas, etc.
Os Santos, semelhantes aos anjos (Mateus 22,30; Isaías 62,6-7;Apocalipse 8,2-4),pois já ressuscitaram pelo batismo ( Colossenses 2,12; 3,1) cumprem o mesmo papel (Apocalipse 5,8) e são invocados como protetores (Daniel 12,1; Apocalipse 2,1), vigias, guardas, sentinelas (Isaías 62,6-7) para que intercedam por assuntos específicos relacionados a algo de suas vidas, pois a obra dos Santos os segue (Apocalipse 14,13).
Assim como os Santos Abraão , Moisés  e Elias  acompanhavam a vida de Jesus, interessados na história da salvação. (João 8,56; João 5,45; Lucas 9,28-31; Lucas 11,30-32; Lucas 22,28-30;).

Nossos Santos também nos acompanham como uma nuvem de testemunhas (Hebreus 12,1)  interessados para que completemos o número dos que devem ser salvos (Apocalipse 6,8-11).

 Os Santos não cessam de interceder pela salvação dos homens (Lucas 16,22-31; Apocalipse 5,8; 6,9-11), pois estão vivos para Deus (Lucas 22,28-30) e mesmo depois de mortos ainda falam, como o Santo Abel (Hebreus 11,4).
É uma pena que nem todos creem na comunhão dos Santos, mas os primeiros cristãos da única Igreja fundada por Cristo, a Igeja Católica, que vem desde o início (Mateus 16,18;18,17; Efésios 4,5)  sempre professou esta fé, como nos relatam cartas e testemunhos dos cristãos dos primeiros séculos da Igreja.
Felizes somos nós que temos os Santos, grandes exemplos e intercessores!

Os protestantes nos criticam, mas vivem correndo atrás dos pastores ou algum irmão para pedir oração. Enquantoeles correm atrás de homens que ainda vivem e pecam,nós vamos atrás de homens que estão diante de Deus e já não pecam, pois vivem para Deus no céu.

As imagens de nossos Santos e Anjos são bíblicas feitas para nos recordarmos de suas vidas e exemplos e a Bíblia diz que Salomão também fez imagens de Anjos  e figuras para o Templo:

E estes foram os fundamentos que Salomão pôs para edificar a casa de Deus… revestiu, com ouro, as traves, os umbrais, as suas paredes e as suas portas; e lavrou querubins nas paredes.

2 Crônicas 3,3-7

Também fez na casa do lugar santíssimo dois querubins de obra móvel, e cobriu-os de ouro.
2 Crônicas 3,10

Então me levou ao templo...E foi feito com querubins (Anjos) e palmeiras, de maneira que cada palmeira estava entre querubim e querubim, e cada querubim tinha dois rostos,
A saber: um rosto de homem… e um rosto de leãozinho…assim foi feito por toda a casa em redor.

Ezequiel 41,1.18,19

Deus quem mandou fazer imagens de Anjos e da Serpente para ajudar o povo na oração:

Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.
Êxodo 25,18

E disse o Senhor a Moisés: Faze-te uma serpente ardente, e põe-na sobre uma haste; e será que viverá todo o que, tendo sido picado, olhar para ela. 
Números 21,8

Assim, fazemos cruzes, imagens, pinturas, desenhos, etc, para nos ajudar a lembrar de pessoas, acontecimentos santos, de histórias bíblicas, da igreja, e direcionar nossa mente em oração.
Publicado em Uncategorized

COROAÇÃO DE MARIA É BÍBLICA ?

Resultado de imagem para coroação de nossa senhora
Na Bíblia está escrito que Jesus é o Rei dos Céus e Maria a sua Mãe (Atos 1,14), logo ela é a Rainha Mãe, pois todo Rei nasce de uma Rainha (Lucas 1,31-32).
E na Escritura diz que Jesus herdou o trono de Davi por ter  sangue dele, sangue real que veio através de Maria.
Maria é Rainha, pois é Mãe do Rei e Senhor, assim é a Rainha Mãe (Lucas 1,31-32)
A Bíblia também diz que o Rei Salomão coroou sua mãe Betsabé como Rainha, a Rainha Mãe.
 Jesus, como filho exemplar, mais do que Salomão,
O Rei dos Céus, não pode fazer menos que ele (I Reis 2, 19-20)
Nas escrituras, também temos o relato do amor do Rei Assuero por Ester, que simboliza o amor de Deus por Maria (Ester 2,16-17).
Ela alcançou graça aos seus olhos mais do que todas as mulheres e virgens.
O mesmo relato encontramos em Maria que alcançou “graça diante de Deus” (Lucas 1,30)   era “Virgem” (Lucas 1,27) e foi proclamada “Bendita entre as mulheres” (Lucas 1,42) pelo próprio Espírito Santo através da boca de Santa Isabel. Maria, a Mulher da Graça, foi colocada no lugar de Eva, a Mulher do pecado, do mesmo modo que Ester foi colocada no lugar da rainha Vasti.
Por isso, e muito mais, assim como Ester, merece o título de Rainha.
São João, no Apocalipse, fala do povo fiel, da Igreja, comparando-a a Maria, e mostrando que ela é Rainha (Apocalipse 12,1.5).
Os protestantes teimam em dizer que essa não é Maria, mas apenas simboliza a Igreja.

Eles não querem aceitar  que São João, o discípulo que cuidou da Mãe do Senhor (João 19,27), falou da Igreja, mas também falou de Maria, pois a figura das duas se fundem no texto do Apocalipse e a menção a Maria é clara:

Foi Maria quem deu à luz a Jesus:
“Ela deu à luz um Filho, um menino,… ” (Apo 12,5)
O Filho de Maria, Jesus, que foi elevado aos céus:
“Mas seu Filho foi arrebatado para junto de Deus e do seu trono.” (Apo 12,5)
Por que São João mistura a imagem de Maria com a da Igreja?

Porque Maria é a Virgem feita Igreja, pois foi o Templo mais perfeito de Deus Trindade Santa: filha do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo (Lucas 1,35).
Os protestantes também afirmam que a Rainha dos Céus era uma deusa e é um título pagão, por isso é errado chamar Maria de Rainha, mas esquecem que o rei pagão da Babilônia, Nabucodonosor, é chamado de rei dos reis por Daniel (Daniel 2,37) e isso não impede que Jesus receba o mesmo título (Apo. 17,14; 19,16).
Os protestantes usam o texto bíblico de Jeremias 7,18; 44,18-25 erradamente para tentar diminuir o papel da Mãe de Jesus na História da Salvação:
 
“Mas desde que cessamos de queimar incenso à rainha dos céus, e de lhe oferecer libações, tivemos falta de tudo, e fomos consumidos pela espada e pela fome.” (Jeremias 44,18)
 
“E quando nós queimávamos incenso à rainha dos céus, e lhe oferecíamos libações, acaso lhe fizemos bolos, para a adorar, e oferecemos-lhe libações sem nossos maridos?” (Jeremias 44,19)
 
“Assim fala o Senhor dos Exércitos, Deus de Israel, dizendo: Vós e vossas mulheres não somente falastes por vossa boca, senão também o cumpristes por vossas mãos, dizendo: Certamente cumpriremos os nossos votos que fizemos de queimar incenso à rainha dos céus e de lhe oferecer libações; confirmai, pois, os vossos votos, e perfeitamente cumpri-os.” (Jeremias 44,25)
Os textos acima dentro do seu contexto se referem a uma deusa pagã e não à Virgem Maria, Rainha dos Céus.

Assim como o texto de Daniel se refere a Nabucodonosor (Daniel 2,37) e não a Jesus o Rei dos Céus.
A Virgem Maria é a Rainha dos Céus, mas não é uma deusa, é apenas a humana mais Santa, a Escolhida entre todas as mulheres, a Única que conviveu com Jesus antes de seu nascimento (Lucas 1,35) até sua ascensão e a Vinda do Espírito Santo (Atos 1,14) .
Ela esteve presente na maior parte da vida do Senhor, praticou a Palavra de Deus de forma exemplar (Lucas 11,28), nunca duvidou (Lucas 1,20;38) , jamais perdeu a fé, nem nunca desistiu (João 19,25), possui laços sanguíneos e afetivos que ninguém jamais terá com Jesus.
Por tudo isso, e muito mais, ela é a mais Santa de todos os habitantes celestes e merece o título de Rainha, pois mais do que isso ela já recebeu: Jesus.
O Salmo 45 também menciona de forma profética a realeza de Maria ao dizer:


“As filhas dos reis estavam entre as tuas ilustres mulheres; à tua direita estava a rainha ornada de finíssimo ouro de Ofir.
Salmos 45,8-9



“Então o rei se afeiçoará da tua formosura, pois ele é teu Senhor; adora-o.
Salmos 45,10-11

Deus se afeiçoou da formosura de Maria e Ela achou graça diante dele:


“Disse-lhe, então, o anjo: Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus.
Lucas 1,29-30
Maria é a Casa de ouro (I Crônicas 29,2), pois foi morada do Senhor e é a Mulher do Apocalipse vestida de sol:
“1. Apareceu em seguida um grande sinal no céu: uma Mulher revestida do sol…” (Apocalipse 12,1)
Ainda diz os Salmos:
Em lugar de teus pais estarão teus filhos; deles farás príncipes sobre toda a terra.
Salmos 45,16
E o Apocalipse diz que Maria é a Mãe de todos “que guardam os mandamentos de Deus e têm o testemunho de Jesus” (Apocalipse 12,17), fazendo de nós príncipes.
Outra comparação que podemos perceber é que no Evangelho Maria profetiza:
“Pois eis que desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada,”
Lucas 1,48
 E os Salmos diz:


“Farei lembrado o teu nome de geração em geração; por isso os povos te louvarão eternamente.”
Salmos 45,16-17
 
Não é idolatria chamar Maria de Rainha, pois o Senhor nos fez um  povo de reis e sacerdotes.
Os Apóstolos receberão tronos (Mateus 19,28; Lucas 22,30). Os Santos estão assentados em seus tronos (Apocalipse 11,16). Os Santos reinam com Cristo (Apocalipse 20,4).
Todos receberemos uma coroa de glória se perseverarmos na fé em santidade até a morte (Apocalipse 2,10; Pedro 5,4; I Coríntios 9,25; 2 Timóteo 4,8)
Se todos os santos recebem a coroa da glória, com certeza a da Mãe do senhor é a mais bela, e por isso recorremos à intercessão dela pedindo que ore, rogue por nós, pois diz a Bíblia:
 
“…os ricos do povo suplicarão o teu favor.” (Salmos 45,12)

Assim como a rainha Ester pediu por seu povo diante do rei, Maria, Rainha dos Santos, pede por seu povo diante de Cristo, o Rei do Universo.
Como toda Rainha, seu poder é o da intercessão, do amor.

Diz os Salmos:
A filha do rei é toda ilustre lá dentro; o seu vestido é entretecido de ouro.
Salmos 45,12-13
Publicado em Uncategorized

IMPORTÂNCIA DA RELAÇÃO SEXUAL NO MATRIMÔNIO

Resultado de imagem para IMPORTÂNCIA DA RELAÇÃO SEXUAL NO MATRIMÔNIO

Apesar de terem sido quebrados alguns tabus ao longo das últimas décadas, escrever sobre a importância da relação sexual no matrimônio, ainda continua sendo um desafio. A dificuldade está na concepção limitada na qual nós fomos educados, isto é, a relação sexual tem a procriação como única finalidade. Todavia, ao longo desses últimos anos, descobriu-se que as dimensões do prazer e a dimensão unitiva também têm sua importância na relação sexual.

Elas são partes integrantes do amor de duas pessoas que se amam e que se unem por amor e com amor. Neste sentido, a relação sexual é fruto do amor e geradora de amor. É na relação sexual que o casal “se torna uma só carne” (Gn 2,24) e entra em comunhão profunda.

Embora vivendo num mundo secularizado, que tenha banalizado o sexo reduzindo-o a genitalidade e, sendo muito forte a cultura do prazer (hedonismo), procuramos destacar nesta abordagem somente elementos positivos que dizem respeito à relação sexual. Por isso partimos do pressuposto de que a relação sexual é de suma importância para a vida matrimonial.

Dividimos a nossa abordagem em três pequenos capítulos. Primeiro: o matrimônio e a relação sexual; segundo: algumas dimensões da relação sexual e terceiro: orientações morais para relação sexual no matrimônio. Embora nós destacaremos com maior clareza a questão moral no terceiro capítulo, isso não quer dizer que essa questão não esteja presente nos capítulos anteriores.

Outro aspecto que precisa ser levado em conta é nossa despretensão em esgotar o assunto em questão que por sinal é muito extenso e, de certa forma, complexo. A grande dificuldade que nós encontramos foi sistematizar um conteúdo tão amplo e complexo em cinco laudas. Entretanto, usando da audácia o faremos.

1-       Matrimônio e relação sexual

Lendo os dois primeiros capítulos do livro do Gênesis, tomamos conhecimento de que o Criador não quis que o homem vivesse só (Gn 2, 18), ou numa linguagem mais antropológica, que o humano vivesse só. Por isso parte de Deus a iniciativa de fazer “alguém que lhe corresponda” (Gn 2,20). E ambos se uniram e “formaram uma só carne” (Gn 2,24). Nestes poucos versículos vemos claramente que Deus tem um projeto para o ser humano: unir-se e cooperar na obra da criação “sede fecundos e multiplicai-vos, enchei e subjugai a terra” (Gn 1,28).

Passaram-se vários séculos e ainda hoje homens e mulheres movidos por um sentimento interior, se unem e formam uma comum-união. Essa união é fruto de um processo de conhecimento mútuo, que progride até um compromisso mais sério que é o matrimônio. E nesse itinerário, o amor é a força motora que busca o(a) outro(a) para construir uma só vida, um só projeto. Apesar de que cada cônjuge deve guardar a sua individualidade, no matrimônio não há espaços para individualismos, isto é, a busca de satisfações pessoais.

Aliás, no matrimônio cada cônjuge deve ter a preocupação de fazer o(a) outro(a) feliz e, na felicidade alheia, a própria pessoa ser feliz. Pena que isso nem sempre acontece!

Certamente não estaremos apresentando nenhuma novidade ao dizermos que o matrimônio é constituído por uma série de elementos, dentre os quais destacamos a amizade, a paixão, o conhecimento mútuo, a relação sexual, etc. E é sobre este último elemento que nós queremos nos aprofundar um pouco mais.

Por muito tempo, a relação sexual, mesmo dentro do matrimônio, foi vista como uma “coisa” pecaminosa, sobretudo, se não estivesse voltada para a procriação. Essa concepção praticamente eliminou a nobreza inerente à relação sexual. No entanto, ela é muito mais do que a união genital que visa filhos e filhas; ela é fruto do amor e geradora de amor. Assim escreve Bardelli: “A intimidade sexual pressupõe de fato um envolvimento total da parte humana dos esposos na celebração mais elevada e mais intensa do amor.

Ela não somente manifesta amor, mas o produz. Amor que aperfeiçoa os amantes, mas ao mesmo tempo os une ao amado, que é Deus, fonte de amor e da vida. A intimidade sexual quer dizer também celebração da vida junto com o Espírito e no Espírito, sua fonte inexaurível.”(BARDELLI, Raimundo. O Significado do Amor. “…e os dois serão uma só carne”. Ave Maria- São Paulo-SP, 1996, p 196).

Nestas palavras de Bardelli, podemos perceber que a relação sexual ultrapassa a compreensão míope de genitalidade para se abrir ao amor mútuo e se unir ao amor divino.

A relação sexual não envolve apenas dois corpos, mas sobretudo duas vidas. Se envolvesse apenas dois corpos, certamente os cônjuges correriam o risco de ficar apenas na genitalidade.

E a relação sexual é mais que um encontro entre os órgãos genitais; ela é a conjugação perfeita entre amor e corporeidade; é o amplexo mais íntimo entre espírito e corpo. (Cf BARDELLI, Raimundo. O Significado do Amor. “… e os dois serão uma só carne”. p 164). A relação sexual é o encontro sublime do amor entre um homem e uma mulher. E nesse envolvimento o amor jamais pode ser algo que esteja em segundo plano, pois é ele quem “humaniza e dá sentido à sexualidade” (MOSER, Antônio. O Enigma da Esfinge – A Sexualidade. Vozes – Petrópolis – RJ, 2002, 3ª ed., p 177).

A relação sexual é fruto de um verdadeiro clima de união e é cercado por um cultivo mútuo. Esposos trocam olhares, carinhos e beijos, se tocam, enfim, se seduzem para atingirem juntos uma pregustação de uma outra vida onde o amor reina de modo absoluto. E no coito sexual, parte integrante desse clima, já não são dois corpos que se interpenetram, mas é a comum-união de corpos (pessoas) que vivem intensamente no amor a entrega total.

Outro aspecto que destacamos como importante, é que na relação sexual os cônjuges se dão a conhecer de maneira mais transparente e profunda. Assim se expressa Snoek: “O encontro sexual é a hora da verdade, onde fica difícil dissimular as angústias e os bloqueios e todo tipo de tensões internas. Pois neste grau de intimidade tendem a cair todas as máscaras.” (Citado por Moser. O Enigma da Esfinge – A sexualidade. p 61).

Se olharmos o Código de Direito Canônico, veremos que a consumação do matrimônio só se dá mediante a relação sexual. Assim reza o cânon 1061 § 1: “O matrimônio válido entre os batizados chama-se só ratificado se não foi consumado. Ratificado e consumado, se os cônjuges realizaram entre si, de modo humano, o ato conjugal apto por si para a geração de prole, ao qual por sua própria natureza se ordena o matrimônio, e pelo qual os cônjuges se tornam uma só carne”(Código de Direito Canônico. Loyola – São Paulo – SP, 2001).

Este mesmo cânon apresenta a seguinte nota: “por ‘ato conjugal por si para a geração de prole’ se entende a ereção do membro viril, sua penetração na vagina e a ejaculação no interior desta”. (Cf. Nota do cânon 1061 do Código de Direito Canônico). Conforme está destacado explicitamente, a ereção, a penetração e a ejaculação são como que o selo do matrimônio. Daí mais um argumento que reforça a tese da necessidade da relação sexual no matrimônio.

Certamente há outros elementos que complementariam a questão do matrimônio e da relação sexual. Todavia, como dissemos na introdução, não queremos abordar todos os aspectos que lhe são inerentes.

2- As três dimensões da relação sexual

 

Certamente há uma série de dimensões que constituem a relação sexual. Contudo, vamos enfocar três como sendo as mais importantes: a dimensão prazerosa, a dimensão unitiva e a dimensão procriativa.

Olhando para essas três dimensões e fazendo um estudo um pouco mais aprofundado, percebemos que até os meados do século XX era impossível separar a dimensão prazerosa e unitiva da procriativa. Parecia haver alguma contradição na natureza a impor atitudes inconciliáveis: de um lado a necessidade da relação sexual e, de outro, a impossibilidade de colher seus frutos, no que toca à procriação.

2.1- A dimensão prazerosa

Essa dimensão foi por muito tempo considerada como má e pecaminosa. Todavia, como escreve Bardelli, “o prazer é dom maravilhoso que o plano criador associou à união sexual; não deve, portanto, ser menosprezado, mas vivido como meio para manifestar com maior intensidade a fusão com o(a) amado(a), realizada pela doação total entre os amantes” (BARDELLI, Raimundo. O significado do amor. “…e os dois serão uma só carne”. p 67).

O prazer, elemento tão nobre não só dentro da relação sexual, mas em vários aspectos da vida, na relação sexual corre o risco de ser procurado como fim para si mesmo e não como meio, um gesto de amor. A busca do prazer como um meio de satisfação pessoal, não faz parte do amor conjugal. Aliás, aqui cabe uma informação importante para os casais: as ciências nos dizem que o homem é mais instintivo, por isso chega mais rapidamente ao clímax da relação sexual que a mulher. A mulher pelo fato de ter um “outro tempo” do que o homem, facilmente corre o risco de não atingir o ponto culminante da relação sexual o que pode acarretar em insatisfações e conseqüentemente a busca de outros parceiros que a satisfaçam. E a partir disso surgem aquelas histórias que nós já conhecemos de traições, intrigas e separações entre o casal. Por isso, o casal deve ter muito cuidado, principalmente as mulheres, para que elas não se tornem objetos sexuais. O prazer deve ser mútuo. (Para obter mais informações sobre este assunto, confira BARDELLI, Raimundo. O significado do amor. “…e os dois serão uma só carne”. p 230-232)

2.2- A dimensão unitiva

Essa dimensão já foi amplamente abordada ao longo de nossa exposição anterior. Destacaríamos apenas que a relação sexual faz com que os esposos experimentem a fusão total vivida pelo coração. Na relação sexual vemos um “assemelhamento” de um para com o(a) outro(a), além de construir uma obra maravilhosa, no plano humano e sobrenatural, de união de dois numa só carne.

2.3- A dimensão procriativa

Se recorrermos às Sagradas Escrituras, encontraremos em Gn 1,28 a ordem de Deus: “Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei e subjugai a terra (…)”. Por muitos séculos essa dimensão era a mais importante e a finalidade última da relação sexual. A partir da geração de uma nova vida, o homem e a mulher tornavam-se co-criadores com Deus. Por outro lado, a procriação como fim primário do matrimônio foi ultrapassada pelo delineamento antropológico e teológico do Concílio Vaticano II.(Cf. VIDAL, Marciano. Moral do matrimônio. Vozes – Petrópolis – RJ, 1992, p 128)

Moser também enfoca a questão nos seguintes termos: “uma teologia do matrimônio centrada na procriação é muito unilateral, pois o que está em jogo é, antes de tudo, a ‘fecundidade’ do casal enquanto casal. Antes de gerar filhos é preciso que o casal se gere enquanto casal. O que está em causa é o crescimento de duas pessoas que se descobrem, se confrontam, se amam, caminham juntos para a realização, e por isso se abrem para a vida.”(MOSER, Antônio. O enigma da esfinge – A sexualidade. p 123.)

Claro que é importante destacar a nobreza existente na geração de filhos e filhas. Apenas que é preciso vencer este unilateralismo de que somente este aspecto é aceitável na relação sexual.

3 Orientações morais para a relação sexual no matrimônio

De antemão partimos do pressuposto de que toda relação sexual deve ficar restrita ao âmbito da instituição matrimonial. Se olharmos a doutrina das Igrejas, o matrimônio é considerado como lugar exclusivo das relações sexuais, fora disso, a pessoa automaticamente “se exclui do Reino”. (Cf. VIDAL, Marciano. Moral do matrimônio. p 102.) Porém, tudo isso mudou rapidamente. Antibióticos e contraceptivos tiraram o risco do sexo como o filtro tirou do fumo. Desmitizada e dessacralizada, a sexualidade não tolera mais muita restrição. Atualmente tudo é permitido desde que se goze, se vivencie bem o momento nem que seja às custas do(a) outro(a). É neste sentido que a ética se encontra diante de um desafio. O que dizer? Como se posicionar?

Ao dizer algo sobre este ou qualquer outro tema, a ética não visa tolher a liberdade humana, mas visa sobretudo, salvaguardar valores aí existentes. De maneira muito rápida e sintética, elencaremos alguns desses valores a serem salvaguardados na relação sexual:

a) O matrimônio deve ser monogâmico e indissolúvel;

b) A sexualidade e o amor têm um valor em si mesmos, por isso não podem ser “instrumentalizados”;

c) A relação sexual deve ser a expressão de um amor total, exclusivo e definitivo;

d) A fé cristã coloca a sexualidade e o amor num universo novo de valores. Ambos são vividos dentro de uma história de salvação e dentro do povo de Deus. (Cf. VIDAL, Marciano. Moral do Matrimônio. p 102-105)

A preservação desses e de outros valores irão restituir ou manter a nobreza da relação sexual.

Marciano Vidal também sugere três orientações básicas no que diz respeito ao comportamento sexual enquanto agir moral:

1. Dever moral e integração do “eu”: está preocupado com a busca da maturidade e a integração pessoal. Neste âmbito, a sexualidade é uma força para a construção do “eu”;

2. Dever moral de abertura ao “tu”: a tarefa é realizar a abertura da pessoa ao mundo do “tu”. A sexualidade é que possibilita a relação interpessoal que culmina na construção de um projeto de vida. E aqui está o matrimônio além do celibato e a virgindade. O casal se doa um ao outro numa atitude de amor, de doação total (ágape). Nesta concepção caem todas as formas de egoísmo (hedonismo) e todas as subjetividades humanas;

3. Dever moral na construção de um “nós”: este é o campo social da sexualidade que se abre para além de “eu” e do “tu”. É a abertura a uma realidade maior na qual o casal está inserido. Daí também a importância dos filhos: eles provocam e solidificam a sociabilidade do casal. (Cf VIDAL, Marciano. Moral de Atitudes. 2º Vol. Ética da Pessoa. Ed. Santuário-Aparecida-SP, 2ª ed., 1981, p 374-375.)

Poderíamos destacar ainda uma infinidade de elementos fundamentados na ética cristã, contudo, nos ativemos ao seguinte princípio: a relação sexual é expressão sublime do amor conjugal que visa única e exclusivamente a felicidade alheia. Por isso, na relação sexual ninguém se satisfaz sozinho, mas ambos se completam e comungam da mesma sublimidade. Nessa expressão amorosa não há lugar para sentimentos e satisfações individuais. Tudo está voltado para o(a) outro(a).

Conclusão

Ao finalizarmos esta abordagem, certamente conseguimos destacar ou até mesmo resgatar uma série de elementos da relação sexual. Como frizamos, a relação sexual é muito mais do que a genitalidade que transparece na maioria das vezes; é mais do que se unir (transar) pelo simples fato de copular; é mais do que sentir prazer e visa mais do que gerar filhos. A relação sexual é expressão de amor, fruto do amor e geradora de amor. É a entrega total dos esposos para juntos comungarem e celebrarem o mesmo amor. Na relação sexual o casal comunga do amor de Deus que quer todos unidos a Ele.

Diante disso, nós como pastores do rebanho divino, devermos orientar melhor os noivos durante os cursos que antecedem o casamento, para que dêem devido valor a esta expressão tão nobre de amor. Neste sentido, vemo-nos preocupados com algumas linhas da Renovação Carismática Católica (RCC) que destaca demasiadamente a “pecaminosidade” da relação sexual. Não poucas vezes ouvimos falar de “casamentos espirituais” onde o casal vive o celibato justamente para “estar mais perto de Deus”, para viver melhor, etc. Quando não conseguem cumprir, correm às presas ao confessionário acusar sua “fraqueza”. Ao nosso entender, este puritanismo levará essas pessoas a problemas até mesmo de ordem psicológica, pois, não existe uma integração da energia que é a sexualidade e sim repressão. Diante desse extremismo nós como pastores devemos orientar os nossos fiéis, contudo, sem cair no outro extremo que é o liberalismo sexual.

Ao término desse simples estudo, vemo-nos bastante convictos da necessidade da relação sexual no matrimônio. Oxalá consigamos passar algo sobre isso que tratamos para aqueles que orientamos nos cursos de noivos, nos encontros de casais ou em qualquer circunstância em que nos convidarem para falar sobre isso. Desta forma também estaremos colaborando para que a relação sexual recobre seu sentido que está tão deturpado.

Neuri Francisco Reinisch

Bibliografia

– BARDELLI, Raimundo. O Significado do Amor. “…e os dois serão uma só carne”. Ave Maria- São Paulo-SP, 1996, 263 p.

– BARDELLI, Raimondo. Viver o Amor. Tópicos para Reflexão. Ave Maria- São Paulo- SP, 1996, 269 p.

– BÍBLIA SAGRADA. Vozes- Petrópolis- RJ, 1990.

– CÓDIGO DE DIREITO CANÔNICO. Promulgado por João Paulo II. Loyola– São Paulo- SP, 2001, 503 p.

– GRINGS, Dadeus. Casamento, Amor e Sexo. Ed. Santuário- Aparecida- SP, 2000, 197 p.

– JOSAPHAT, Carlos. Moral, Amor e Humor. Igreja, sexo e sistema na roda-viva da discusão. Ed. Nova Era- Rio de Janeiro- RJ, 1997, 364 p.

– LUCISANO, Antonio e PIETRO Maria Luisa Di. Sexualidade Humana. Orientação Sexual para Adolescentes e Jovens. Paulinas- São Paulo- SP, 1996, 273 p.

– MOSER, Antônio. O Enigma da Esfinge- A Sexualidade. Vozes- Petrópolis-RJ, 2002, 3ª ed., 287 p.

– VIDAL, Marciano. Moral de Atitudes. 2º Vol. Ética da Pessoa. Ed. Santuário- Aparecida- SP, 2ª ed., 1981, 534 p

– VIDAL, Marciano. Moral do Matrimônio. Vozes- Petrópolis- RJ, 1992, 167 p.

Publicado em Uncategorized

O adultério dissolve o matrimônio ?

Resultado de imagem para matrimonio

 

Note-se que muito antes do anúncio da Revelação e até mesmo da instituição de ordenanças religiosas por Deus, o matrimônio por natureza é indissolúvel, não por decreto, mas porque foi assim que Deus o concebeu: “Portanto, não separe o homem o que Deus uniu”.

No entanto os judeus receberam de Moisés a autorização de dar carta de divórcio às suas esposas, contrariando então a própria natureza do matrimônio.

“Disseram-lhe eles: Por que, então, Moisés ordenou dar um documento de divórcio à mulher, ao rejeitá-la? Jesus respondeu-lhes: É por causa da dureza de vosso coração que Moisés havia tolerado o repúdio das mulheres; mas no começo não foi assim. Ora, eu vos declaro que todo aquele que rejeita sua mulher, exceto no caso de matrimônio falso, e desposa uma outra, comete adultério. E aquele que desposa uma mulher rejeitada, comete também adultério. Seus discípulos disseram-lhe: Se tal é a condição do homem a respeito da mulher, é melhor não se casar! Respondeu ele: Nem todos são capazes de compreender o sentido desta palavra, mas somente aqueles a quem foi dado” (Mt 19,7-11)

Conforme vimos Jesus é bem claro sobre a natureza indissolúvel do matrimônio. Esta mesma doutrina foi exposta pelo Senhor no Sermão da Montanha (cf. Mt 5,32).

São Paulo também ensinou a indissolubilidade do matrimônio quando escreveu aos coríntios:

“A esposa está ligada ao marido durante todo tempo em que ele viver. Se o marido morrer, ela ficará livre para casar-se com quem quiser; mas apenas no Senhor” (1Cor 7,39).

O divórcio dissolve o vínculo do matrimônio?

Mesmo verificando que o matrimônio é indissolúvel, o Senhor parece considerar a dissolução do vínculo matrimonial em um caso específico: “exceto no caso de matrimônio falso”.

Algumas versões em português (até mesmo a consagrada King James Version em inglês) trazem “exceto no caso de fornicação”. Isto se deve pelo fato da maioria das versões em português serem baseadas na tradução para o Latim, conhecida como Vulgata (realizada por São Jerônimo no séc. IV). Na Vulgata a palavra grega “porneia” foi traduzida por “fornicationem”, isto é, fornicação.

A versão protestante “Almeida Fiel e Corrigida” também traduziu “porneia” por “fornicação”. A exceção é a revisão desta versão, conhecida como “Almeida Atualizada e Corrigida”, onde “porneia” foi traduzida como “infidelidade” ou “adultério”.

Estas divergências fazem muitas pessoas acreditarem que o adultério dissolve o matrimônio, o que é um ledo engano. Se assim fosse o vínculo matrimonial não seria indissolúvel.

As versões que traduziram “porneia” por “matrimônio falso” (Ed. Ave-Maria, Bíblia de Jerusalém, Pe. Mato Soares, etc) são mais féis ao original, pois “porneia” tem significado de “falsa união”.

As versões que trazem “fornicação” não estão erradas, pois fornicação também diz respeito a uniões ilícitas, no entanto esta palavra nos remete a um sentido mais sexual, o que suscita muitas dificuldades para entender o texto sagrado.

Tudo isto explica a utilização da palavra “porneia” pelo copista grego (já que o Evangelho de Mateus foi escrito em Aramaico).

Na verdade não existe exceção alguma, pois onde não houve verdadeiro vínculo matrimonial, não houve matrimônio válido, e por esta razão o vínculo entre os “cônjuges” pode ser “desfeito”, pois na verdade nunca existiu.

O que seria um falso matrimônio?

O matrimônio falso ou inválido é aquele cujo vínculo matrimonial não existe por faltarem as condições que o tornem válido.

Farei uma comparação com o batismo para facilitar o entendimento. Se alguém for batizado em nome do Pai, da Mãe e da Tia, não pode se considerar uma pessoa batizada. Isto porque um batismo válido só pode ser ministrado em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Algumas denominações protestantes dizem que o batismo só é válido se for num rio, a outra que a água tem que ser filtrada, e assim vai… Uma aceita o batismo por aspersão, enquanto outra só por imersão. Enfim, tudo isto são concepções de validade do batismo.

O mesmo acontece com o matrimônio, sem as condições necessárias ele se torna falso, inválido, ou melhor, inexistente.

O que torna o matrimônio válido ou inválido?

A Antiga Lei se valia de algumas regras para determinar a validade do Matrimônio. Por exemplo, em Ezequiel:

“Eles [os sacerdotes] não desposarão viúvas nem mulheres repudiadas, mas somente virgens de descendência israelita; poderão, entretanto, casar com a viúva de um sacerdote” (Ez 44,22).

Um outro exemplo é a lei do Levirato:

“Se alguns irmãos habitarem juntos, e um deles morrer sem deixar filhos, a mulher do defunto não se casará fora com um estranho: seu cunhado a desposará e se aproximará dela, observando o costume do levirato. Ao primeiro filho que ela tiver se porá o nome do irmão morto, a fim de que o seu nome não se extinga em Israel” (Dt 25,5-6).

Quando estas regras não eram satisfeitas havia então um impedimento ao matrimônio.

Outros exemplos de impedimento são:

–       Quando os noivos não têm a intenção de ter filhos (cf. Rt 1,11-13; Tb 8,9-10);

–       Quando os noivos não têm a intenção de viver juntos para sempre (cf. Tb 8,10);

–       Quando se mata o cônjuge para se casar com quem ficou viúvo (cf. 2Sm 12,9-11);

–       Alguns graus de parentesco invalidam o casamento (cf. Lv 18,6-15; Lv 20,17-20).

A falta de impedimentos não é suficiente para validar o casamento. É preciso que os noivos estejam se entregando ao matrimônio de livre vontade, pois estão assumindo um compromisso onde se doarão de corpo e espírito um ao outro (cf. 1Cor 7,3-4).

A importância do ato público e das testemunhas

É um costume consagrado que as pessoas se casem em lugares públicos, ou na presença de muitas pessoas.

A origem disto está no fato de que são os noivos os ministros do casamento e não o padre ou pastor, como pensam muitos. Se assim não fosse o casamento dos pagãos seria inválido.

Até o séc IV, os cristãos se casavam seguindo o costume dos povos onde viviam, dando um sentido cristão ao seu casamento e abstendo-se das práticas que não estavam conforme a vida cristã, conforme atestamos nos testemunhos de Papa Calisto, Clemente de Alexandria, Tertuliano, Quadrato e outros.

Entretanto, muitos casamentos ocorriam em segredo ou pelo uso da força, desta forma era difícil verificar se houve real vínculo matrimonial. Por esta razão, a partir do séc IV, a Igreja começa a participar das celebrações matrimoniais, exigindo que os noivos contraiam matrimônio na presença do presbítero e da comunidade.

Também é costume consagrado que os noivos escolham pessoas queridas e próximas para serem padrinhos e madrinhas de casamento.

A origem deste costume está na razão de que no passado não se sabia ao certo se os noivos estavam se entregando em matrimônio com mútuo consentimento e sem impedimentos. Desta forma, eram escolhidas pessoas próximas ao casal para serem testemunhas de que o vínculo matrimonial era válido, isto é, que realmente o que estava sendo celebrado era um matrimônio de fato.

Conclusão

De forma alguma é permitido aos batizados desligar-se de sua esposa ou esposo, se contraíram um matrimônio válido e consumado. Da mesma forma, aquele que se une ao separado ou separada também peca gravemente.

Da mesma forma como no poder civil o casamento não pode ser dissolvido sem o aval da autoridade competente, neste caso o Estado, também cabe não aos cônjuges, mas aos Tribunais da Igreja discernir se um vínculo matrimonial pode ou não ter sido válido. Principalmente porque Jesus não delegou ao Estado o múnus de arbitrar sobre o casamento entre batizados.

Portanto, não é porque o Estado permite o “casa e descasa” que tal prática é lícita ao Povo de Deus. Há Estados que permitem a união civil entre homossexuais e por acaso isto torna lícita tal prática entre os Cristãos?

Aos eleitos cabe viver seu matrimônio como vínculo indissolúvel (que só pode ser dissolvido com a morte de um dos cônjuges cf. 1Cor 7,39), como sacramento exigido na sua condição de batizado.

Por isso, não pode um católico se divorciar e nem um protestante. Ambos são batizados. Grande engano comete um ex-católico  casado que deseja contrair novas núpcias achando que seu casamento anterior é falso porque foi celebrado na Igreja Católica.  O mesmo acontece com um ex-protestante casado que acha que seu casamento anterior não é válido porque mudou de Fé.

Tão grande é o mistério do vínculo matrimonial que São Paulo o comparou ao grande mistério da união de Cristo à Sua Igreja (cf. Ef 5,32). “Assim, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu” (Mt 19,6).

Publicado em Uncategorized
Nós Somos a Igreja Católica

 

 

Santa Missa – Passo a Passo

 

Música Litúrgica
Santo Rosário Em Latim Com São João Paulo II [Completo]
As provas da existência de Deus
Santo do dia 20/01/2018 – São Sebastião

 

 

Salmo do Dia 20/01/2018 – Salmo 79 – Reflexão com Dom João Justino

 

Evangelho do Dia 20/01/2018 – (Mc 3,20-21) – 2ª Semana do Tempo Comum

 

 

 

 

Twitter do Papa
Mídia Católica

 

Atualizações
Translator
Italy
Calendário
janeiro 2018
D S T Q Q S S
« dez    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Visitantes
  • 2,892,268 acessos desde 01/05/2011
religião e espiritualidade
religião e espiritualidade
Categorias
LINKS